Meteorologia

  • 01 FEVEREIRO 2023
Tempo
12º
MIN 5º MÁX 14º

AO MINUTO: Começaram negociações; Macron falou com Putin e Zelensky

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre o conflito na Ucrânia.

AO MINUTO: Começaram negociações; Macron falou com Putin e Zelensky

A invasão russa na Ucrânia faz hoje uma semana, e os russos conseguiram tomar a primeira cidade no país. A cidade portuária de Kherson foi conquistada durante a madrugada, com os ucranianos a concederem a derrota.

As negociações previstas para ontem entre as delegações russas e ucranianas serão realizadas esta quinta-feira às 12h, depois de um adiamento.

A reunião está marcada para a cidade de Brest, na Bielorrússia, perto da fronteira com a Polónia.

Do outro lado da Ásia, na China, o New York Times avança que o governo de Xi Jinping terá pedido à Rússia para adiar a invasão, de modo a não coincidir com os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim.  

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre o conflito na Ucrânia:

16h00 - Boa tarde. Encerramos a cobertura AO MINUTO que iniciamos esta manhã sobre a invasão russa na Ucrânia, mas pode continuar a seguir a cobertura da tarde aqui.

15h04 - Oligarcas russos veem mega-iates ser apreendidos na Europa

Face às sanções da União Europeia contra a Rússia, como consequência da invasão à Ucrânia, foram vários os oligarcas russos que começaram a mover os seus mega-iates para outras águas, como Montenegro e Maldivas. Contudo, nem todos conseguiram evitar a apreensão das suas embarcações de luxo.

15h02 - Tsikhanouskaya diz que Bielorrússia é um "Estado pária"

A líder da oposição democrática na Bielorrússia, Sviatlana Tsikhanouskaya, voltou a criticar o ditador Alexander Lukashenko, acusando-o de fazer guerra "contra todo o mundo democrático".

15h01 - Uber oferece viagens gratuitas ilimitadas na fronteira da Ucrânia

A Uber anunciou que pretende providenciar apoio aos refugiados ucranianos com uma série de novas medidas, nomeadamente por via de viagens gratuitas ilimitadas na fronteira da Ucrânia. 

14h56 - Arrancaram as negociações na Bielorrússia

As negociações entre as delegações russas e ucranianas já começaram, segundo o conselheiro do presidente ucraniano Volodymyr Zelensky. A reunião tem como objetivo, diz, chegar a um acordo para um cessar-fogo imediato e criar corredores humanitários.

14h33 - Amnistia Internacional alerta para três possíveis crimes de guerra

Depois de ter confirmado na quarta-feira que há dez ataques passíveis de serem considerados crimes de guerra na Ucrânia, a Amnistia Internacional publicou hoje no Twitter uma imagem de três ataques russos em Kharkiv que, segundo a organização não-governamental, poderão ser considerados crimes de guerra.

O ataque em questão foi o bombardeamento de segunda-feira a edifícios residenciais na segunda maior cidade ucraniana.

14h24 - Macron ligou a Zelensky e a Putin sobre possível cessar-fogo

O presidente francês ligou esta quinta-feira a Vladimir Putin, com a Sky News a avançar que os dois falaram durante cerca de 90 minutos, e Macron terá dito ao seu homólogo que "está a mentir a si próprio". Já na conversa entre Macron e Zelensky, o ucraniano terá prometido que não se iria render e salientou as dificuldades de tentar negociar enquanto decorrem bombardeamentos.

14h15 - Delegação ucraniana já chegou à reunião com a Rússia

Os diplomatas ucranianos já chegaram a Brest, na Bielorrússia, onde vão tentar negociar um cessar-fogo com a delegação russa. A notícia foi avançada pela agência estatal russa Tass.

14h11 - Ministério da Defesa do Reino Unido faz uma atualização sobre as áreas atacadas pelos russos

14h09 - Nove mortos em ataque aéreo a duas escolas ucranianas

O governador de Chernihiv confirmou que morreram nove pessoas num ataque aéreo russo a duas escolas, que também atingiu algumas casas na área. Citado pela Sky News, o governador disse no Telegram que "não há nenhuma infraestrutura militar perto". "Há hospitais, muitas escolas e infantários, dezenas de edifícios de grande altura", vincou.

14h05 - Invasão russa terá "enorme impacto" nos direitos humanos de milhões

A Alta-Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, alertou hoje para o "enorme impacto" da invasão russa nos direitos humanos de milhões de pessoas na Ucrânia.

13h55 - Hospital de São João terá 138 camas de várias especialidades para acolher feridos
 
O Hospital de São João, no Porto, terá disponíveis 138 camas de várias especialidades, incluindo Pediatria, para acolher doentes ucranianos, caso seja necessário, anunciou hoje o diretor da Unidade Autónoma de Gestão de Urgência e Medicina Intensiva.

13h31 - Parlamentar russo diz que invasão estava a ser planeada há um ano

Um parlamentar russo afirmou, na quarta-feira, que Moscovo começou a planear a invasão à Ucrânia há doze meses, cita a BBC. "Esta operação não foi preparada de forma espontânea", disse Rifat Shaykhutdinov à televisão estatal Channel One TV. "Estava em preparação há um ano, talvez mais. Apercebemo-nos [do que se passava] e temos estado a avisar de antemão", acrescentou.

13h02 - MNE ucraniano alerta para operação de 'bandeira falsa' pelos russos

O ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano, Dmytro Kuleba, alertou esta quinta-feira que os russos poderão estar a planear uma operação de 'bandeira branca' no seu próprio território, de modo a justificar mais ataques contra a Ucrânia. Kuleba diz que o ataque poderá surgir em Popovka, perto da fronteira com a Ucrânia.

12h59 - Civis ucranianos já podem disparar sobre russos

Os cidadãos ucranianos já estarão autorizados a disparar contra os invasores russos, depois de ter sido atualizada a lei marcial na Ucrânia. A informação foi dada por um membro da comissão parlamentar, Andriy Osadchuk, que afirmou no Facebook que "foram levantadas todas as restrições ao uso de armas por civis para repelir os ataques da Rússia ou de outro país durante a lei marcial".

Há milhares de cidadãos ucranianos a voluntariarem-se para combater pelo país, assim como os homens que foram obrigados a ficar no país para lutar contra a Rússia.

12h55 - Autocarro com famílias refugiadas deverá chegar a Olhão na terça-feira

Várias famílias ucranianas, na sua maioria mulheres e crianças, deverão chegar na terça-feira a Olhão num autocarro disponibilizado pela autarquia e que hoje partiu rumo à Polónia, disse à Lusa o presidente da Câmara.

12h38 - Ordem e médicos ucranianos e russos criam gabinete de apoio humanitário

A Ordem dos Médicos (OM) e médicos ucranianos e russos criaram um gabinete de apoio humanitário para ajudar os refugiados junto às fronteiras com a Ucrânia e até dar apoio nos hospitais ucranianos, avançou hoje à Lusa o bastonário.

12h36 - UNESCO exige que Rússia "cesse" ataques a escolas e universidades

A UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) exigiu hoje que a Rússia "cesse imediatamente" os ataques contra escolas, universidades, locais de memória do Holocausto e infraestruturas de comunicação na Ucrânia.

12h32 - Vídeo captura bombardeamento em zona civil de Chernihiv, no norte da Ucrânia

As autoridades de emergência ucranianas avançaram que o ataque provocou, até às 15h30, pelo menos 22 mortes.

12h26 - IKEA suspende atividade na Rússia. Medida afeta 15.000 funcionários

O grupo sueco de mobiliário e objetos para o lar IKEA anunciou hoje a suspensão temporária da sua atividade na Rússia e na Bielorrússia devido à invasão da Ucrânia por Moscovo, uma medida que impacta 15.000 trabalhadores.

12h24 - China nega ter pedido à Rússia que adiasse invasão para depois dos JO

A China disse hoje ser "completamente falso" que tenha pedido à Rússia que esperasse pelo fim dos Jogos Olímpicos de Inverno, em Pequim, para iniciar a invasão da Ucrânia, conforme noticiado pelo jornal The New York Times.

12h17 - Delegação ucraniana a caminho de Brest

O chefe de gabinete de Volodymyr Zelensky publicou uma selfie, afirmando que está a caminho das negociações com os russos. A reunião para tentar chegar a um acordo está marcada para as 12h (hora de Lisboa) em Brest, na Bielorrússia.

12h16 - Família de polícia tentou fugir, mas acabou assassinada pelos russos

Todos os membros da família de um polícia foram mortos a tiro pelos russos nos arredores de Kherson, enquanto tentavam fugir da guerra e da cidade agora tomada pelos invasores.

12h15 - Peskov diz que suspensão da Rússia dos Paralímpicos de Inverno é "monstruosa"

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, classificou a suspensão de atletas russos e bielorrussos dos Jogos Paralímpicos de Inverno como "monstruosa" e "vergonhosa". Citado pela Reuters, Peskov afirmou que a decisão é "uma vergonha para o Comité Paralímpico Internacional".

12h10 - Crianças russas têm aula sobre "necessidade" de invasão da Ucrânia

As crianças russas com idade escolar estão a ser ensinadas sobre a "necessidade" da invasão e da guerra na Ucrânia. De acordo com informações reveladas pela SkyNews, o Kremlin 'deu', esta quinta-feira, uma aula virtual sobre "como a missão de libertação da Ucrânia é uma necessidade".

11h53 - Equipa do Tribunal Penal Internacional já está a caminho da Ucrânia

Uma equipa do Tribunal Penal Internacional (TPI) já abandonou as instalações em Haia, nos Países Baixos, e encontra-se a caminho da Ucrânia, revela, esta quinta-feira, a agência Reuters. Vão investigar eventuais crimes de guerra.

11h51 - Hungria rejeita proposta para oferecer proteção a refugiados ucranianos

O secretário do primeiro-ministro húngaro Viktor Orban disse esta quinta-feira que a Hungria não vai aceitar a proposta da Comissão Europeia, que oferece proteção temporária aos refugiados ucranianos. O governo húngaro do Fidesz tem um histórico de políticas e discurso anti-refugiados, indo contra a União Europeia na receção de refugiados desde a crise de refugiados de 2015.

11h45 - Um milhão de refugiados chegaram à UE, mas Bruxelas espera mais

Um milhão de ucranianos estão já na União Europeia devido à invasão russa do país, revelou hoje a Comissão Europeia, esperando mais milhões de refugiados e a entrada em vigor "em dias" da legislação que permite corredores humanitários.

11h40 - França apreende iate de oligarca russo

O ministro da Economia francês, Bruno Le Maire, confirmou esta quinta-feira que as autoridades francesas apreenderam um super iate de um oligarca russo e empresário petrolífero, Igor Sechin, que estava atracado perto de Marselha desde o dia 3 de janeiro.

11h36 - "Vamos reconstruir todos os prédios, todas as ruas, todas as cidades"

A Rússia vai pagar por todos os danos infligidos à Ucrânia, garantiu hoje o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, prometendo "reconstruir todos os edifícios" destruídos pelos ataques russos.

11h29 - Guerra "não dever ser tabu" entre adultos e crianças

A guerra é um "assunto sério" e "não deve ser um tabu" entre adultos e crianças, pelo que profissionais de saúde aconselham "uma conversa" com linguagem "adequada e simples" sobre a situação na Ucrânia para prevenir ansiedades e medos.

11h28 - Maior fabricante de bebidas destiladas suspende fornecimento à Rússia

A Diageo, o maior fabricante de bebidas destiladas do mundo, com sede em Londres, no Reino Unido, suspendeu o fornecimento de álcool à Rússia, avançou, esta quinta-feira, a agência Nexta. "A nossa prioridade é a segurança do povo Ucrânia e de toda a região", disse um porta-voz.

11h07 - Navio cargueiro do Bangladesh bombardeado em porto ucraniano

Um navio cargueiro de origem bengalês foi atingido por artilharia russa esta quinta-feira, enquanto estava preso no porto de Olivia, na Crimeia. À Reuters, o diretor-executivo da empresa proprietária do cargueiro informou que, dos 29 tripulantes, um morreu e os 28 restantes não ficaram feridos.

11h00 - Borrell apela novamente ao cessar-fogo

O chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, voltou a apelar novamente ao cessar-fogo na Ucrânia, e reiterou o pedido de corredores humanitários por parte do presidente ucraniano.

10h53 - Pelo menos 227 civis mortos, incluindo 15 crianças

Pelo menos 227 civis, incluindo 15 crianças, foram mortos e outros 525 ficaram feridos na invasão da Rússia à Ucrânia, indica um comunicado do Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA).

10h45 - Autocarro recolhe refugiados e leva idoso ucraniano que quer ir à luta

Um atleta ucraniano de 73 anos apanhou hoje "boleia" de um autocarro humanitário que partiu de Braga em direção à Polónia, para ir combater ao lado do filho e defender o seu país da invasão russa.

10h29 - República Checa declara estado de emergência

O governo checo declarou esta quinta-feira o estado de emergência, devido ao fluxo de refugiados ucranianos que tem chegado ao país. "Estamos a implementar puramente por razões técnicas, para que possamos gerir o fluxo", disse o primeiro-ministro Petr Fiala, citado pela CNN.

10h14 - Maternidade de Kyiv protege mulheres e bebés numa cave

Enquanto as tropas russas se aproximam de Kyiv, e as forças ucranianas e os próprios residentes lutam para defender a capital, mulheres continuam a dar à luz e crianças nascem em plena guerra. Num hospital da cidade, pais, futuros pais, filhos e irmãos protegem-se dos bombardeamentos numa cave.

10h12 - Vídeo mostra destruição em Irpin, na periferia de Kyiv

10h09 - Negociações planeadas para as 12h

As negociações entre Rússia e Ucrânia, marcadas para a cidade de Brest, na Bielorrússia, deverão ocorrer às 12h (hora de Lisboa), segundo avançam as agências estatais russa e bielorrussa.

10h02 - "Esta é a luta das pessoas. Putin não tem hipótese de ganhar"

As afirmações são de Dmytro Kuleba, ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, que, através do Twitter, partilhou (e comentou) uma imagem onde é possível ver centenas de ucranianos a bloquear a entrada das tropas russas na cidade de Energodar, a sul do país.

9h58 - Lavrov compara Estados Unidos a Hitler, mas diz-se disponível para negociar

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergei Lavrov, voltou a fazer comparações entre o Ocidente e os nazi, comparando "o controlo sobre a Europa" dos EUA a Hitler e a Napoleão. No entanto, apesar de criticar os americanos e os britânicos, a quem acusa de procurar o conflito, Lavrov diz que a Rússia está disponível para negociar um acordo, "na condição de que seja uma negociação entre partes iguais".

9h50 - Rui Pinto publica excertos de comunicações militares russas na Ucrânia

Depois de ter denunciado que o oligarca russo Alexander Mikheev, diretor-geral da Rosoboronexport, empresa que exporta produtos de defesa russos, voou num jato português do Dubai, nos Emirados Árabes Unidos para Hanói, no Vietname, Rui Pinto mostrou, na sua conta no Twitter excertos de comunicações militares russas na Ucrânia.

9h49 - Zelensky: "Não temos nada a perder, exceto a nossa liberdade"

O presidente ucraniano publicou um vídeo esta quinta-feira a informar que as linhas defensivas ucranianas estavam a aguentar a invasão ucraniana, apesar da tomada de Kherson. Fazendo uma analogia com a pandemia, Volodymyr Zelensky disse que "faz uma semana que um outro vírus nos atacou" e afirmou que os ucranianos não têm "nada a perder, exceto a liberdade".

O líder também argumentou que o facto da Rússia passar a atingir mais edifícios civis mostra que a resistência ucraniana foi capaz de impedir uma vitória rápida. E, citado pelo Kyiv Independent, vincou o passado de guerras e crises que não destruíram a Ucrânia.

9h45 - Escalada do petróleo prossegue. Brent já superou os 119 dólares

A escalada do petróleo prossegue, numa altura em que a matéria-prima está a ser impulsionada pela guerra na Ucrânia. Nesta sessão o barril do Brent já chegou a superar o 'patamar' dos 119 dólares por barril, aproximando-se assim do nível dos 120 dólares.

9h40 - Bombardeamentos em Kharkiv fazem 34 mortos - dez são crianças

Os serviços de emergência ucraniana publicaram esta quinta-feira fotos de vários edifícios residenciais destruídos em Kharkiv, bombardeados pelos russos. Segundo as autoridades, morreram 34 pessoas nestes ataques, entre as quais foram identificadas dez crianças, e registaram-se 285 feridos.

9h36 - Forças ucranianas atualizam alegadas baixas russas para nove mil soldados

O balanço mais recente das baixas russas, feito pelas forças ucranianas, dá conta de que terão morrido nove mil soldados russos em apenas uma semana de invasão, além de terem sido eliminados mais de 200 tanques, 900 transportes de tropas, mais de 300 carros, entre outras estruturas de artilharia.

Na noite de ontem, as forças armadas russas admitiram pela primeira vez um número de baixas, bastante abaixo das estimativas ucranianas: 498.

9h15 - H&M vira costas a Putin e suspende vendas na Rússia

A H&M anunciou a suspensão temporária de vendas para a Rússia, à medida que as tropas russas avançam Ucrânia dentro.

9h14 - Míssil russo atinge reservatório de petróleo

Os russos bombardearam um reservatório de petróleo de Chernihiv, cidade localizada no norte da Ucrânia. A nuvem de fumo foi captada pelas autoridades ucranianas, que afirmam que o reservatório tem capacidade para 5 mil metros cúbicos de petróleo.

9h06 - Rádio russa Ekho Moskvy anuncia dissolução após ser banida do ar

A rádio independente russa Ekho Moskvy (Eco de Moscovo), uma emissora histórica no cenário dos média russos, anunciou hoje a sua dissolução, após ter sido banida do ar pelas autoridades por causa da cobertura da invasão da Ucrânia.

Bom dia. Se só chegou agora, eis os pontos-chave sobre a manhã na guerra da Ucrânia:

8h57 - Austrália pede às redes sociais para bloquearem conteúdos dos média russos

O governo australiano pediu ao Facebook, ao Twitter, ao Google e a outras plataformas para bloquearem os média russos no país, à semelhança do que fizeram na União Europeia. Citado pelo The Guardian, o ministro das comunicações, Paul Fletcher, disse que há "um volume significativo de conteúdos promovendo violência, extremismo e desinformação em relação à invasão russa".

8h50 - Bombardeamentos não permite retirar feridos em Mariupol

O presidente da câmara de Mariupol criticou desesperadamente os bombardeamentos russos na cidade costeira de Mariupol, no sul da Ucrânia, por não pararem tempo suficiente para permitir às autoridades encontrar feridos. Segundo a Sky News, Vadym Boichenko repetiu num vídeo o apelo para que seja criado um corredor humanitário.

8h38 - Kasparov avisa: "Ucrânia faz parte do plano de Guerra Mundial de Putin"

Garry Kasparov voltou, esta quinta-feira, a recorrer às redes sociais para apontar o dedo ao presidente russo, Vladimir Putin, no seguimento da invasão por parte das forças militares à Ucrânia, que dura já quase há uma semana. 

8h35 - Conselheiro de Zelensky pede corredores humanitários em zonas mais atingidas

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky voltou a pedir esta quinta-feira para que sejam criados corredores humanitários nas zonas mais afetadas pela guerra, para fazer chegar comida e apoio médico a quem precisa. Numa publicação no Twitter, o conselheiro do presidente alerta que "as cidades onde as tropas russas estão mobilizadas estão a tornar-se em locais de pilhagens, roubos e homicídios".

8h30 - Santos Silva diz que UE deve avançar com mecanismo de apoio a refugiados

O ministro dos Negócios Estrangeiros defende que é altura de a União Europeia avançar com um mecanismo comum de apoio aos refugiados e que a guerra na Ucrânia uniu os países da UE.

8h19 - "Defender o país cabe a todos". Médico ucraniano em Portugal pensa voltar

Desde o passado dia 24 de fevereiro que Dmytro Nagirnyak vive colado ao telemóvel. Lê notícias, ouve rádio ucraniana, passa o Telegram a pente fino e não larga as redes sociais. Mantém contacto com a família que deixou na Ucrânia - avós, tios e primos - mas a ansiedade de saber o que se passa no país onde nasceu consome-lhe os dias. 

8h18 - Paris teme cerco russo de cidades ucranianas

O ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Jean-Yves Le Drian, mostrou hoje preocupação sobre o cerco a cidades ucranianas pelas forças de Moscovo.

8h14 - Russos invadiram espaço aéreo japonês

O Japão afirmou esta quinta-feira que um helicóptero russo terá entrado no seu espaço aéreo, apesar das sanções impostas contra a Rússia. É a terceira vez que um incidente destes acontece - o Canadá e a Suécia já se queixaram de uma situação semelhante - e o ministro da Defesa japonês, citado pelo Wall Street Journal, diz que o aumento da atividade militar russa pelo mundo "é preocupante".

8h09 - Capa da Time homenageia Zelensky e povo ucraniano

A capa da revista Time toma esta quarta-feira o lado da Ucrânia, fazendo uma homenagem ao povo e ao presidente do país. A frase, em cirílico, ecoa as palavras ditas por Zelensky no seu discurso ao Parlamento Europeu: "a vida vencerá a morte, e a luz vencerá a escuridão".

8h03 - Rússia e Bielorrússia afastadas dos Jogos Paralímpicos de Inverno

O Comité Paralímpico Internacional anunciou, em forma de comunicado emitido através das plataformas oficiais ao início da manhã desta quinta-feira, que decidiu "recusar a entrada de atletas da Rússia e da Bielorrússia nos Jogos Paralímpicos de Inverno de Pequim".

8h00 - Bebés nascem em abrigos de Kyiv

A vida continua em Kyiv, apesar da guerra. Depois da notícia do nascimento de um bebé no metro da capital ucraniana, um jornalista do Kyiv Independent cita a polícia e confirma que já nasceram três bebés ucranianos em abrigos para ataques aéreos.

7h56 - Alemanha vai entregar mais 2.700 mísseis antiaéreos

A Alemanha decidiu entregar mais 2.700 mísseis antiaéreos à Ucrânia, disse hoje uma fonte governamental alemã. O Governo alemão "aprovou um apoio suplementar à Ucrânia", disse a fonte, citada pela agência de notícias France-Presse, numa referência aos mísseis do tipo STRELA.

7h30 - Forças russas aprovaram plano de invasão a 18 de janeiro

A invasão da Rússia à Ucrânia, que decorre desde 24 de fevereiro, estava prevista iniciar-se quatro dias antes e os planos operacionais foram aprovados a 18 de janeiro, revelam documentos militares russos capturados pelo Exército ucraniano.

7h25 - Resistência ucraniana paralisa avanço russo em Kyiv, confirmam os EUA

O comboio militar russo que se dirige para Kyiv foi paralisado, entre as últimas 24 e 36 horas, pela resistência ucraniana e porque as forças da Rússia estariam a reagrupar-se e a avaliar a situação, informou hoje o Pentágono.

7h20 - Ucranianos confundem russos com sinais de trânsito

É mais uma imagem da criativa resistência ucraniana que está a tornar-se viral nas redes. As autoridades rodoviárias têm removido vários sinais de trânsito para confundir os invasores russos, e, num sinal em particular, todas as direções mandam os russos para Haia - cidade onde fica o Tribunal Penal Internacional.

7h15 - Zelensky orgulhoso por "heróis" ucranianos contrariarem planos russos

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, na noite de quarta para quinta-feira expressou a sua satisfação por os planos "astutos" da Federação Russa, que invadiu o seu país, terem sido contrariados, declarando-se orgulhoso da resistência "heroica" dos seus concidadãos.

7h10 - Bombardeamento russo a Kharkiv atingiu três escolas e a catedral

Os ataques aéreos russos atingiram várias infraestruturas na cidade ucraniana de Kharkiv, incluindo três escolas e a catedral, noticiou hoje a cadeia de televisão CNN.

7h05 - Invasão russa causou mais de um milhão de refugiados

A invasão russa da Ucrânia causou mais de um milhão de refugiados, informou hoje o Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

7h00 - China pediu à Rússia para adiar invasão para depois dos Jogos Olímpicos

O Governo chinês pediu à Rússia, no início de fevereiro, que não iniciasse a invasão da Ucrânia antes do fim dos Jogos Olímpicos de Inverno que decorreram na China, noticia o New York Times.

7h00 - Bom dia. Começamos esta quinta-feira com mais um acompanhamento AO MINUTO do conflito entre a Rússia e a Ucrânia. Pode recordar o anterior aqui.

Leia Também: Ucrânia. Autoridades confirmam tomada russa de Kherson

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório