Serão estes os principais alvos do cibercrime em 2017?

Piratas informáticos usam os conhecimentos que têm para aceder a dados que deveriam ser inacessíveis. Acha que está a salvo?

© iStock
Tech Previsão

Mais de 689 milhões de pessoas foram afetadas, no último ano, por ataques informáticos. A conclusão é de um estudo da Norton, que olha para o mundo do cibercrime e traça algumas perspetivas sobre o que poderá estar para vir. Afinal de contas, o prejuízo em 2016 chegou aos 50 mil milhões de euros.

PUB

Vale a pena pensar, portanto, quais serão os próximos alvos. E não é possível colocar de parte aquela que é conhecida como a internet das coisas, nome dado à revolução tecnológica que liga todo o tipo de dispositivos usados pelas pessoas no seu dia-a-dia.

Entre os gadjets mais utilizados neste âmbito estão as câmaras de videovigilância, muito vulneráveis e fáceis de hackear, de acordo com o TecTudo.

Na lista dos mais propensos a serem acedidos por piratas informáticos estão ainda os carros inteligentes, muitas vezes interligados entre si para facilitar a vida aos condutores. No campo do automobilismo, há já a registar algumas falhas em marcas como a Nissan, a Jeep, a BMW ou a Tesla.

Os computadores pessoais e profissionais são também alvos dos hackers em 2017, nomeadamente através da implantação de vírus do tipo ransomware, que ‘sequestra’ os dados do PC e leva a que sejam pedidas elevadas quantias de dinheiro para a sua recuperação. O valor é pedido, muitas vezes, em bitcoins.

Posto isto, precisa de dicas para se manter protegido? Pode começar por ter cuidados com os links que abre após receber no email, por criar passwords seguras e por manter atualizado o firmware do seu computador. Em casa, não se esqueça de alterar as passwords-padrão dos dispositivos que compra e liga à rede.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS