"Contribuição dos imigrantes é positiva, perceção dos portugueses também"

O inquérito sobre a perceção dos europeus quanto aos imigrantes mostra uma tendência positiva e Portugal pouco difere de outros países, apesar de a imprensa refletir o contrário, salientou hoje a secretária de Estado para a Igualdade.

© Instagram
País Catarina Marcelino

Catarina Marcelino falava em Lisboa numa sessão de apresentação de um estudo europeu sobre atitude perante imigrantes e refugiados, cujos dados indicam que Portugal é o país com mais abertura para o acolhimento de refugiados mas dos que mais se opõe à imigração.

PUB

O inquérito compara dados de 2014/15 com outros de 2002/3 e entende a secretária de Estado que revelam uma evolução positiva, apesar de a imprensa dizer ao contrário. "Não faço a leitura catastrófica que hoje li nos títulos da comunicação social", disse.

A secretária de Estado citou um relatório recente (Observatório das Migrações) para dizer que em 2014 eram filhos de estrangeiros 09% dos que nasceram, quando esses estrangeiros representam 3,8% da população.

E depois, acrescentou Catarina Marcelino, os imigrantes contribuem regularmente para a Segurança Social e são dos que menos recorrem a prestações.

Portugal, disse a secretária de Estado, tem de investir na relação com a imigração e na forma como o fenómeno é visto, explicando: "acredito que precisamos a sério de investir num sistema de educação para que na escola os jovens aceitem a diferença e a não-violência".

"Espero que isso, na escola pública, no próximo ano se concretize, espero que dentro de 10 anos haja uma mudança", afirmou.

Ainda que Portugal não seja país de extremismos nem que a nível político (no Parlamento) alguém seja contra os refugiados a secretária de Estado manifestou-se preocupada com o "racismo assumido" em relação aos ciganos, cidadãos portugueses.

"É um problema grave e muito sério", que "cria conflito entre portugueses", disse.

Os dados do European Social Survey foram divulgados hoje em Lisboa num encontro sobre o tema "Europa, migrações e identidades".

 

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS