Meteorologia

  • 23 OUTUBRO 2018
Tempo
20º
MIN 19º MÁX 20º

Edição

Pedrógão Grande: Livro sobre o concelho é dedicado às vítimas do incêndio

Um livro de divulgação dos valores culturais e naturais de Pedrógão Grande, que os autores dedicam às vítimas do incêndio de 17 de junho de 2017, é apresentado nesta vila do distrito de Leiria na terça-feira.

Pedrógão Grande: Livro sobre o concelho é dedicado às vítimas do incêndio
Notícias ao Minuto

10:15 - 23/07/18 por Lusa

País Leiria

Trata-se de um contributo para as pessoas conhecerem melhor o concelho "naquilo que ele tem de melhor, a sua história, a água das albufeiras do Cabril e Bouçã e a natureza", disse hoje à agência Lusa Aires Barata Henriques, que produziu 'Pedrógão Grande e o Cabril, de encantos mil' em coautoria com Nuno Soares.

Editada pela Câmara Municipal, presidida por Valdemar Alves, a obra é também uma homenagem "a todos quantos lutam pela defesa da floresta e amam a natureza", bem como "aos que apostam no renascimento do Vale do Zêzere", devastado pelos fogos e por décadas de êxodo das populações rurais.

Através deste livro, numa edição de 500 exemplares, e de 'Pedrógão Pequeno, Jóia do Cabril', de Aires Henriques e Ema Cruz, editado em 2013, "melhor se revela a beleza e imponência de todo o Vale do Zêzere, a oriente da Serra da Lousã, por onde um dia -- que antecedeu o nascimento de Portugal - deambularam heróis reais e se suscitaram as mais fantásticas lendas".

"Importa-nos sobretudo este livro como firme alicerce de sustentação do património histórico e cultural de Pedrógão Grande, bem como sã achega para uma política de desenvolvimento, progresso e bem-estar local", escreve Aires Henriques na contracapa.

Na sua opinião, este trabalho monográfico deve servir, designadamente, para apoiar a candidatura de Pedrógão à Rede de Castelos e Muralhas do Mondego, enquanto "linha de defesa sul do Condado Portucalense", da qual o concelho passou a fazer parte em 1135.

Com 370 páginas, o livro pode ainda reforçar o "trabalho da Agência para o Desenvolvimento da Serra da Lousã e dos sete concelhos que a integram", e o "enquadramento da Rota da Princesa Peralta que, partindo de Conímbriga (Condeixa), acaba em Pedrógão e no Cabril", entre outras propostas.

"Este trabalho é fruto que nasce da semente que é a História, que devemos aproveitar para nos conhecermos melhor enquanto pedroguenses e, assim, penetrarmos nas nossas raízes e no nosso passado, pois tornamo-nos melhores quando sabemos donde viemos", afirma o autarca Valdemar Alves, num texto inserido na publicação.

Nuno Soares, por sua vez, salientou à Lusa que "uma obra desta envergadura", mais dirigida à promoção turística do município, "não existe desde os anos 80" do século XX.

Com "Pedrógão Grande e o Cabril, de encantos mil", disse, os autores pretendem "colmatar esta lacuna", tendo recolhido e investigado "tudo o que consideram importante para o concelho", no norte do distrito de Leiria, onde há um ano deflagrou o incêndio florestal em que morreram 66 pessoas e mais de 200 ficaram feridas.

O livro é apresentado pelo historiador Saul António Gomes, professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, no salão nobre dos Paços do Concelho de Pedrógão Grande, na terça-feira, feriado municipal, às 17:00.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório