Meteorologia

  • 24 OUTUBRO 2017
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 14º

Edição

Lavrov critica "luta de crianças" entre EUA e Coreia do Norte

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, criticou hoje a troca de acusações entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, classificando-a como uma "luta de crianças", e pediu calma e diplomacia para solucionar a crise.

Lavrov critica "luta de crianças" entre EUA e Coreia do Norte
Notícias ao Minuto

19:59 - 22/09/17 por Lusa

Mundo Tensão

Em conferência de imprensa, Lavrov defendeu que haja negociações e que um país europeu neutro atue como mediador.

O chefe da diplomacia russa considerou que o mundo não pode ficar sem dar resposta às ações de Pyongyang, mas acrescentou que "também é inaceitável começar uma guerra" na península coreana.

Lavrov apelou para o "arrefecimento dos ânimos" e para que se opte por uma "abordagem razoável" em vez de emocional, assegurando que a Rússia continuará a trabalhar com a China nesse sentido, apesar de, por enquanto, a sua proposta conjunta para impulsionar as negociações não ter funcionado.

Moscovo e Pequim propuseram este verão que a Coreia do Norte suspendesse os seus testes balísticos e nucleares e que os Estados Unidos e a Coreia do Sul suspendessem as respetivas manobras militares, para tentar facilitar o diálogo.

Em resposta a uma pergunta sobre a relação entre o acordo nuclear com o Irão e a situação na Coreia do Norte, o MNE russo disse que, se os Estados Unidos decidirem romper o acordo com Teerão, estarão a enviar "um sinal muito equívoco" a Pyongyang.

Segundo Lavrov, o mundo está a dizer ao regime norte-coreano de Kim Jong-Un que, se abandonar o seu programa nuclear, serão levantadas as sanções que lhe foram impostas pela comunidade internacional, mas se Washington puser termo ao acordo com o Irão, dará razões à Coreia do Norte para não negociar.

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório