Meteorologia

  • 13 DEZEMBRO 2018
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 12º

Edição

A perda de um animal de estimação tem de ser levada mais a sério

Dividem-se as opiniões sobre o peso que um animal tem na vida de alguém.

A perda de um animal de estimação tem de ser levada mais a sério
Notícias ao Minuto

08:05 - 23/06/18 por Mariana Botelho 

Lifestyle Animais de estimação

O amor por um animal de estimação, que é adotado e passa a fazer parte da rotina e muda a dinâmica de uma casa, é uma realidade que acontece diariamente em qualquer parte do planeta.

Se há extremos de ambos os lados – os que maltratam os animais mas também os que os que quase os humanizam -, em casos mais intermédios existem os que acolhem o cão ou gato como membro da família.

A contrastar, estão os que ‘não gostam de animais’, dizem os próprios, que não entendem que a dor de o perder pode ser tão desgostosa quanto a perda de um ente querido. É por esta falta de sensibilidade para com a perda de um animal de estimação que quem passa pelo problema retrai-se, esconde os seus sentimentos e põe até a hipótese de ter algum problema ou ser demasiado sensível por estar a sofrer assim por um animal.

Doug foi dono de Delia por 17 anos. Foi buscar a cadela ao canil, sem querer dar demasiada importância à adoção, sem saber que se apaixonaria pelo animal que o acompanharia por toda a sua adolescência. Quando Delia morreu, Doug passou um período bastante mau, em que tendia a isolar-se e não se conseguia concentrar no trabalho.

Este é um caso real igual a tantos outros. Foi descrito no Scientific American, que cita o psicólogo Guy Winch para alertar para a necessidade de se levar mais a sério a perda de um animal de estimação, pois embora se esteja a falar de uma experiência devastadora, que pode ter consequências a nível emocional e psicológico, a sociedade não reconhece.

‘Arranjas outro’, ouve-se dizer numa tentativa de ajuda distante que prova que, aos olhos de muitos, o tempo de vida passado com qualquer cão, gato ou outro animal, é um feito que marca o seu dono, que tem direito ao luto a que não tem como fugir.

O perder a rotina de passear o cão diariamente ou ser acordado pelo gato às sete da manhã (mesmo ao sábado) são experiências que se integram de tal forma na rotina diária que muitos deprimem ao perdê-las, refere Winch.

Ter um animal de estimação é benéfico à saúde humana. Aumenta o humor, estimula a socialização e torna-o até mais produtivo. Mesmo que na altura tal não seja associado à morte do animal, a perda tem de facto grande impacto na vida do ser humano.

Todavia, o assunto parece não ser merecedor da importância que carece. O dono do animal retrai-se, não desabafa com amigos ou colegas por receio de parecer demasiado sensível e nem pensa em pedir ao patrão para tirar um dia a fim de se recompor. O problema é real, faz parte da vida de muitos e por isso o assunto tem de ser falado e visto como tal, pela saúde do indivíduo que sofreu a perda.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório