Meteorologia

  • 19 NOVEMBRO 2019
Tempo
MIN 7º MÁX 14º

Edição

"Economia portuguesa tem hoje bases sólidas para continuar a crescer"

O Ministério de Mário Centeno considera que existem "bases sólidas" para que a economia portuguesa continue a crescer acima da zona euro.

"Economia portuguesa tem hoje bases sólidas para continuar a crescer"

Em reação aos números do PIB divulgados, esta quarta-feira, pelo INE e que deram conta de uma aceleração do crescimento da economia nos primeiros três meses do ano, o Ministério das Finanças considera que a economia portuguesa tem bases sólidas para manter os progressos.

Num comunicado a que o Notícias ao Minuto teve acesso, o gabinete de Mário Centeno destaca ainda alguns dos "pilares sólidos", que são uma garantia para o futuro, tais como o investimento dos últimos anos, a estabilização da banca, o reequilíbrio das contas externas e os progressos na consolidação orçamental. 

A tutela salienta ainda a convergência do crescimento económico português com o da Europa, "trajetória essa que perdura já há mais de dois anos". 

Uma vez que a economia portuguesa está a crescer com base na procura interna, o Ministério salienta o contributo do investimento para este facto: 

"A aceleração do investimento no primeiro trimestre é o principal destaque da aceleração da economia. Este maior crescimento reflete-se no aumento das importações, onde se destaca o crescimento expressivo da importação de bens de investimento, como é o caso de máquinas e outros bens de capital, material de transporte e produtos transformados destinados à indústria", pode ler-se.

Sobre o abrandamento das exportações, que funciona como um 'travão' ao crescimento, o Ministério justifica que resulta do "aumento da incerteza geopolítica e das tensões comerciais globais, que tem impactado em especial as maiores economias da Europa". 

A economia portuguesa começou o ano a acelerar, em resultado do aumento da procura interna. Os dados divulgados, esta quarta-feira, pelo INE revelam que o crescimento do produto interno bruto (PIB) foi de 1,8%, o que significa uma aceleração face ao trimestre anterior. O valor, saliente-se, superou também as expectativas dos economistas.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório