Meteorologia

  • 13 DEZEMBRO 2018
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 16º

Edição

"Discurso de Rio não foi galvanizante. Ele não é uma pessoa galvanizante"

Miguel Sousa Tavares deu aquela que é a sua opinião a propósito do 37.º Congresso do Partido Social-Democrata que se realizou, entre sexta-feira e domingo, no Centro de Congressos de Lisboa.

"Discurso de Rio não foi galvanizante. Ele não é uma pessoa galvanizante"
Notícias ao Minuto

21:12 - 19/02/18 por Patrícia Martins Carvalho 

Política Miguel Sousa Tavares

"O discurso de Rui Rio não foi galvanizante, mas ele também não é uma pessoa galvanizante”. É desta forma que Miguel Sousa Tavares começou por descrever o arranque do antigo autarca como líder do PSD.

No seu comentário semanal nos estúdios da SIC, em Carnaxide, o escritor afirmou que Rui Rio ficou “notavelmente aquém” no que ao “enunciar das reformas” diz respeito, pois o comentador considera que “é preciso começar a avançar já”.

“Não digo com projetos de lei, mas que diga quais são as linhas de orientação em que ele aposta. [Rui Rio] tem que ter algumas ideias novas, porque senão esta discussão vai levar dez anos e nós não temos dez anos para fazer as reformas que o país precisa”, avisou.

Ainda sobre aquele que é o novo líder do PSD, Sousa Tavares sublinhou que “como chefe do maior partido da oposição, Rio já devia ter marcado algumas linhas obrigatórias ao Governo”.

Dando um exemplo, o comentador disse, a propósito dos incêndios, que Rui Rio já deveria ter dito que o “Governo se devia demitir se acontecer [no verão] algo de longe parecido” com a tragédia do ano passado.

“Mas foi tudo muito vago, muito difuso. Parece que já não há urgência em coisa nenhuma”, rematou Sousa Tavares.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório