Meteorologia

  • 21 JANEIRO 2020
Tempo
10º
MIN 6º MÁX 13º

Edição

PAN 'ataca' deputados socialistas que criticaram votos de congratulação

André Silva acusou os deputados socialistas de terem criticado o PAN "com o paternalismo e a sobranceria de quem se sente acima da mediocridade geral".

PAN 'ataca' deputados socialistas que criticaram votos de congratulação

André Silva reagiu, na quarta-feira, às manifestações de alguns deputados socialistas nas redes sociais, que têm demonstrado "o seu enfado por alguns votos que deram entrada esta semana", entre eles "o voto de congratulação do PAN 'pelo fim da utilização de elefantes para passeios turísticos no Camboja a partir de 2020'. E estes deputados, sublinhou André Silva numa publicação na sua página oficial de Facebook, fazem-no "com o paternalismo e a sobranceria de quem se sente acima da mediocridade geral".

Este foi o caso de Tiago Barbosa Ribeiro que, "numa publicação, colou a imagem do cabeçalho do voto do PAN, esse disparate, acompanhada do seguinte texto: 'Mais uma semana em que os votos começam a cair um atrás do outro, apoucando o papel da Assembleia da República. É este triste espectáculo que alguns partidos querem ter todas as semanas. E o que seria da Humanidade sem estas posições do nosso Parlamento?'".

Aproveitou o líder do PAN para recordar os votos de congratulação do PS, nomeadamente "pela eleição de lusodescendentes ao Congresso Americano", "pelo sobreiro 'Assobiador' de águas de moura premiado como árvore europeia do ano", "pelos 100 Anos do 'Almanaque do Camponez'", pelo "reconhecimento, pela União Europeia, do Folar de Valpaços como indicação geográfica protegida" e pelos "50 anos da ida da Humanidade à Lua".

"E o que dizer sobre o apoucar o papel do Parlamento?", questionou o deputado, referindo ainda que o PS "recebeu e prestou vassalagem a Xi Jinping, chefe de Estado da China, um regime autocrático, totalitário, de partido único, onde não existe liberdade de expressão, religiosa ou de imprensa, que obteve a pontuação de zero na secção referente ao processo eleitoral e pluralismo no índice de Democracia de 2018 compilado pela Economist Intelligence Unit".

A China, relembrou ainda André Silva, é "um regime tenebroso que persegue, aprisiona e assassina pessoas, com o qual o Parlamento português tem, espante-se, um grupo parlamentar de amizade". A respeito deste tema, aliás, o PAN propôs que este grupo cessasse "por violação grosseira da norma parlamentar que diz não poderem existir grupos parlamentares de amizade relativos a países que não tenham parlamentos plurais livremente eleitos".

Mas esta proposta "foi rejeitada com os votos contra do PS. Esta é a bitola daqueles que julgam ter sentido de Estado e que, como ninguém, envergonham e enxovalham a imagem e o papel do Parlamento português".

Ainda sobre os elefantes usados em passeios turísticos no Camboja, Bebiana Cunha recorreu também às redes sociais para atirar: "Desculpem lá qualquer coisinha se a empatia incomoda e não tem fronteiras". A deputada defendeu também que "qualquer passo em qualquer país que simbolize a evolução deve ser saudado, mas pelos vistos esses 2 min incomodaram outros deputados, ou porque não se passa em Portugal ou porque se trata de elefantes".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório