Meteorologia

  • 24 SETEMBRO 2017
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 14º

Edição

Chamas obrigam à retirada de 95 pessoas na Covilhã

O incêndio que lavra na Covilhã, Castelo Branco, obrigou hoje à retirada de 15 pessoas da aldeia de Casal da Serra, e 80 de um parque de campismo, adiantou hoje a Autoridade Nacional de Proteção Civil.

Chamas obrigam à retirada de 95 pessoas na Covilhã
Notícias ao Minuto

19:40 - 20/08/17 por Lusa

País Proteção Civil

A informação foi transmitida pela adjunta nacional de operações da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), Patrícia Gaspar, no 'briefing' diário sobre os fogos florestais na sede da Proteção Civil, em Carnaxide.

Os moradores da aldeia foram transportados para um pavilhão desportivo, enquanto os utentes do parque de campismo de Pião "foram encaminhados para a Covilhã e aguardam o restabelecimento das condições de segurança para que possam regressar", acrescentou a responsável.

Este incêndio, que é um dos que mais preocupa as autoridades, tem "vindo a lavrar sempre muito perto de povoações", situação que ainda se mantém, explicou Patrícia Gaspar, afetando as localidades de Cortes do Meio, Bouça e Casal da Serra.

A ANPC aguarda ainda confirmação de se terá sido necessário proceder à evacuação de outros lugares, pois "esse é um trabalho que está neste momento ainda em curso, uma vez que os incêndios ainda estão ativos", observou.

Pelas 21:00, as chamas que lavram na Covilhã mobilizavam 365 operacionais, 119 meios terrestres e três meios aéreos.

Também o incêndio de Resende, que lavra em três frentes, afeta as povoações de Talhada, Panchorrinha e Ovadas de Cima.

O combate às chamas neste local junta 242 operacionais e 55 meios terrestres.

Desde 11 de agosto, os incêndios já provocaram uma vítima mortal, 122 feridos (dos quais 114 ligeiros e oito graves), aos quais acrescem 79 pessoas assistidas no terreno.

No dia de hoje, a ANPC registou um total de 205 incêndios florestais, dos quais 24 ainda estão em curso.

Para além do incêndio na Covilhã, a Proteção Civil está a acompanhar "com particular preocupação e atenção 11 incêndios", sobretudo pelas "áreas em que estão a lavrar", entre os quais em Resende (distrito de Viseu), Cabeceiras de Basto (Braga), Alijó (Vila Real), e outro em Porto de Mós (Leiria).

"Vários destes incêndios em curso lavram em áreas onde existem várias povoações dispersas, aldeias, várias habitações", elencou a responsável.

No que toca às previsões meteorológicas para os próximos dias, Patrícia Gaspar referiu que "não há alterações significativas", e mantêm-se 15 distritos em alerta vermelho. Apenas Lisboa, Évora e Setúbal não entram neste grupo.

Quanto aos três helicópteros suíços que irão reforçar o combate às chamas, e que foram anunciados no sábado, a porta-voz disse que já se encontram na Base Aérea de Monte Real e "começarão a operar já amanhã [segunda-feira], assim que for necessário".

Durante a madrugada, um avião C-295 da Força Aérea percorreu "todas as zonas mais afetadas", no sentido de fazer uma vigilância dos locais e identificar pontos quentes.

"Esta mais-valia tem sido um importante apoio às operações no terreno", disse a adjunta nacional de operações.

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório