Conselheiro "próximo" de Trump na mira do FBI

Os investigadores da polícia federal norte-americana que inquirem sobre as relações entre a equipa da campanha eleitoral de Donald Trump e a Federação Russa estão interessados num alto responsável atual da Casa Branca, segundo o Washington Post.

© Reuters
Mundo EUA

Este responsável é um conselheiro "próximo" de Donald Trump, segundo noticiou hoje aquele diário.

PUB

O nome daquele colaborador ou daquela colaboradora não foi revelado pelas fontes da publicação, que não obstante adiantou que para a polícia federal (FBI, na sigla em Inglês) é uma testemunha importante.

Já se sabia que antigos conselheiros do Presidente norte-americano estavam na mira dos investigadores, como o seu antigo conselheiro de Segurança Nacional, Michael Flynn, ou o seu antigo diretor da campanha eleitoral, Paul Manafort.

Trump sempre negou qualquer relação com a Federação Russa durante a campanha eleitoral, na qual Washington acusou Moscovo de ter feito pirataria informática e prejudicado a candidata democrata Hillary Clinton.

A Casa Branca previu hoje que o inquérito, cuja direção foi entregue na quarta-feira a um procurador especial, Robert Mueller, provaria a correção do multimilionário republicano.

"Como o Presidente já disse, um inquérito completo confirmará que não houve relação entre a campanha e uma entidade estrangeira", declarou o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer.

Trump tinha acabado de descolar para a Arábia Saudita, quando o artigo do Washington Post foi publicado.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser