Meteorologia

  • 20 NOVEMBRO 2019
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 16º

Edição

Macedónia do Norte marca eleições antecipadas para 12 de abril

A Macedónia do Norte vai realizar eleições antecipadas a 12 de abril, oito meses antes do fim da legislatura, na sequência da União Europeia (UE) ter negado ao país uma data para a abertura de negociações de adesão.

Macedónia do Norte marca eleições antecipadas para 12 de abril
Notícias ao Minuto

21:35 - 20/10/19 por Lusa

Mundo Macedónia do Norte

"Há um consenso para que a votação se realize a 12 de abril", anunciou hoje o primeiro-ministro, Zoran Zaev, após uma reunião entre os líderes políticos e o presidente do país, Stevo Pendarovski.

O social-democrata Zaev tinha solicitado a convocação de eleições quanto antes, após manifestar o seu descontentamento com a incapacidade da UE em abrir negociações, o que o primeiro-ministro qualificou de "erro histórico".

"Nós cumprimos com as nossas obrigações, mas a UE não o fez. Somos vítimas de um erro histórico que provocou enorme deceção. Mas essa decisão é o resultado dos seus assuntos internos que não podemos mudar", assegurou Zoran Zaev.

Agora serão os cidadãos a decidir em que direção vai marchar o país, acrescentou.

Na conta da rede social do Facebook, também escreveu a dar apoio às reformas em curso no país, mas assegurou que um governo por si só não está em condições de mudar tudo, mas requer o apoio dos seus dois milhões habitantes.

Em cumprimento com a lei da Macedónia, que estipula que o primeiro-ministro deve deixar o cargo cem dias antes das eleições, Zaev vai demitir-se a 3 de janeiro para dar espaço à formação de um governo técnico que dirigirá o país até à data da votação.

A Macedónia do Norte é desde 2005 candidato oficial para a adesão à UE, mas o início das negociações com Bruxelas foi sistematicamente adiado, em particular devido ao contencioso com a Grécia sobre o nome da ex-república jugoslava.

Nos dois últimos anos, o governo social-democrata de Skopje firmou acordos bilaterais com a Bulgária e a Grécia para ultrapassar as tensões regionais, e aguardava que estes progressos se traduzissem numa adesão mais rápida à UE e NATO, os dois principais objetivos da política externa de Zaev.

Após o acordo com Atenas, a Antiga República Jugoslava da Macedónia (Fyrom, na sigla inglesa) passou a designar-se Macedónia do Norte e a Grécia levantou o seu veto para a adesão do país vizinho à NATO, um processo que está em marcha e que tornará a Macedónia do Norte no 30.º membro oficial da Aliança nos próximos meses. A Albânia foi integrada em 2009, juntamente com a Croácia.

Durante a visita à Macedónia do Norte do secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, no início de outubro, foi manifestado o apoio de Washington à adesão do pequeno país balcânico à UE e NATO, com o objetivo de contrariar a crescente influência da Rússia e da China nos Balcãs, duas potências mundiais e que em diversos setores da política interna macedónia são considerados parceiros alternativos à União Europeia.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório