Meteorologia

  • 14 NOVEMBRO 2018
Tempo
18º
MIN 18º MÁX 18º

Edição

Filho de Trump não se lembra de discutir ingerência russa com o pai

O filho mais velho do Presidente dos Estados Unidos afirmou, durante uma audição no Senado, que não se recordava se tinha discutido a investigação sobre a alegada ingerência russa nas presidenciais norte-americanas com o pai, foi hoje divulgado.

Filho de Trump não se lembra de discutir ingerência russa com o pai
Notícias ao Minuto

17:10 - 16/05/18 por Lusa

Mundo EUA

Em setembro passado, Donald Trump Jr. foi ouvido numa audição no Comité de Justiça do Senado (câmara alta do Congresso norte-americano) no âmbito de uma das várias investigações relacionadas com o dossiê russo.

Hoje, o comité divulgou mais de 1.800 páginas com a transcrição das audições do filho mais velho do Presidente e de outros elementos que marcaram presença numa reunião com uma advogada russa nas instalações da Trump Tower, em Nova Iorque, antes das eleições presidenciais norte-americanas de novembro de 2016.

Trump Jr. evitou responder a várias perguntas durante a audição, afirmando que não se recordava, nomeadamente se tinha falado com o pai sobre a investigação, segundo a transcrição.

Também disse que não achava que existisse algo de errado em participar na reunião que decorreu na Trump Tower em junho de 2016, encontro que foi marcado com a promessa de acesso a documentos comprometedores para a então candidata presidencial democrata Hillary Clinton.

Esta reunião está igualmente sob escrutínio na investigação federal sobre a alegada ingerência da Rússia liderada pelo procurador especial Robert Mueller.

A par de Trump Jr., o comité do Senado ouviu outras quatro pessoas que estiveram presentes na reunião em Nova Iorque: Rob Goldstone (o publicitário britânico ligado à indústria musical russa que agiu como intermediário para marcar o encontro); Rinat Akhmetshin (um ex-espião soviético que trabalha como lobista); Ike Kaveladze (um empresário com dupla nacionalidade russa e americana) e um tradutor.

O comité não chegou a ouvir pessoalmente Natalia Veselnitskaya, a advogada russa que esteve no centro da reunião na Trump Tower. O painel do Senado divulgou, no entanto, as respostas por escrito que a advogada enviou para o presidente do Comité de Justiça, o republicano Chuck Grassley, no ano passado.

O procurador especial Muller está a investigar a alegada ingerência russa nas eleições norte-americanas de 2016, se a campanha presidencial de Trump está envolvida e se existiu uma eventual obstrução da justiça.

A reunião na Trump Tower, e a resposta inicial da administração norte-americana às informações relacionadas com este encontro, têm sido um dos focos da investigação federal.

No ano passado, e após a divulgação de notícias sobre a reunião na Trump Tower, a Casa Branca afirmou que o Presidente tinha estado envolvido na elaboração da declaração inicial sobre o encontro.

A declaração disse então que o encontro tinha sido agendado para abordar um programa de adoções de crianças russas.

Uma versão contrariada por mensagens de correio eletrónico divulgadas pelo próprio Trump Jr. Os 'emails' mostraram que o filho mais velho do Presidente tinha aceitado ir ao encontro após a promessa de informações comprometedoras sobre Clinton.

Ainda no âmbito do dossiê russo, o filho mais velho de Trump também foi ouvido, em dezembro do ano passado, na Comissão de serviços de informações ('Intelligence') da Câmara dos Representantes (câmara baixa do Congresso).

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório