Meteorologia

  • 19 ABRIL 2018
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 21º

Edição

Estes problemas de saúde surgem e são agravados pelas mudanças climáticas

Tanto o frio, como o calor extremos podem afetar o seu organismo, física e mentalmente.

Estes problemas de saúde surgem e são agravados pelas mudanças climáticas
Notícias ao Minuto

15:00 - 18/03/18 por Liliana Lopes Monteiro

Lifestyle Clima e corpo humano

As consequências do efeito de estufa, de desastres naturais e de um planeta mais quente contribuem para o aumento do stress e da ansiedade, de infecções, comprometem ainda o sistema imunológico, e podem até ser um fator determinante no desenvolvimento de doenças mentais.

Saiba mais sobre como as alterações climáticas nos estão a influenciar:

Afetam as alergias

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, as temperaturas elevadas agravam os sintomas das doenças respiratórias, tais como a asma ou simples alergias, porque aumentam os níveis de poluentes no ar. Temperaturas mais quentes e níveis mais altos de CO2 significam também uma maior libertação de pólen pelas plantas, o que intensifica as alergias.

Aumentam a incidência de algumas doenças

Quanto mais elevadas são as temperaturas, maior é o risco de inundações e da propagação de doenças transmitidas pela água. Um estudo de 2013 sobre a ocorrência de inundações no continente Europeu descobriu que, à medida que as enchentes aumentavam, a taxa de incidência de várias doenças também aumentava, tais como a diarreia, problemas virais ou bacterianos transmitidos por roedores e infeções propagadas por mosquitos, carrapatos, moscas e pulgas.

Afetam a reação aos medicamentos

Um estudo de 2013 descobriu que, à medida que as doenças geradas pelas mudanças climáticas aumentam, ficamos mais propensos a tomar mais medicação, tornando-nos dependentes destas drogas, incluindo de antibióticos e analgésicos. A toma exagerada desses fármacos faz com que paradoxalmente nos tornemos também mais resistentes aos seus efeitos, o que poderá tornar-se eventualmente desastroso, caso a ciência não consiga produzir novas alternativas de cura.

Fica mais vulnerável ao stress

Estudos das Nações Unidas mostram que as ondas de calor produzem stress e ansiedade extremas, com picos insustentáveis na temperatura corporal, que tornam as condições de trabalho insuportáveis e aumentam o risco de doenças cardiovasculares, respiratórias e renais.

Afetam a saúde mental

O aumento de temperatura é difícil para quem sofre de problemas de saúde mental. Estudos mostram que os extremos na temperatura, especialmente o calor, aumentam a incidência de doenças do foro psicológico, de comportamentos agressivos, violência e até suicídio. Durante as ondas de calor, os indivíduos diagnosticados com algum tipo de doença mental enfrentam um maior risco de mortalidade, por razões que até agora não são inteiramente claras para a comunidade científica.

Podem alterar o ciclo menstrual

O ar poluído pode contribuir para um ciclo irregular. Isso porque os poluentes da atmosfera afetam os níveis hormonais e o metabolismo humano.

Aumenta as probabilidades de nascimentos prematuros

Vários estudos concluíram que a exposição a temperaturas extremas no início das gestações, especialmente durante as primeiras sete semanas, pode multiplicar significativamente a taxa de partos prematuros.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.