Meteorologia

  • 20 AGOSTO 2017
Tempo
21º
MIN 20º MÁX 23º

Edição

Nove países da América Latina condenam violência e lamentam vítimas

Nove governos da América Latina condenaram na quinta-feira a violência na Venezuela e lamentaram as vítimas mortais nos protestos a favor e contra o Presidente Nicolás Maduro, indicaram num comunicado conjunto, difundido em Bogotá.

Nove países da América Latina condenam violência e lamentam vítimas
Notícias ao Minuto

06:17 - 21/04/17 por Lusa

Mundo Venezuela

"Condenamos energicamente a violência que foi desencadeada na Venezuela e lamentamos a perda de mais vidas", de acordo com o comunicado dos nove países latino-americanos.

A declaração foi subscrita pelos governos da Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, México, Paraguai, Peru e Uruguai.

"Juntamo-nos à declaração feita pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, instando à adoção de medidas concretas de todas as partes para reduzir a polarização e criar as condições necessárias para enfrentar os desafios do país, em benefício do povo venezuelano", explica o comunicado.

O secretário-geral da ONU, o português António Guterres, manifestou na quinta-feira preocupação com a situação na Venezuela e apelou ao Governo do Presidente Nicolás Maduro e à oposição que iniciem um diálogo construtivo e reduzam a polarização.

"A ONU instou hoje o Governo e a oposição da Venezuela a esforçarem-se para reduzirem as tensões prevalecentes e evitarem mais confrontos", explica um comunicado publicado em castelhano na página de Internet daquele organismo.

No documento, o porta-voz de António Guterres, Stephan Dujarric, explica que a ONU está preocupada com os últimos acontecimentos naquele país da América do Sul.

Pelo menos três pessoas morreram, 62 ficaram feridas e 312 foram detidas na quarta-feira, dia em que a oposição venezuelana organizou um protesto, nas principais cidades do país, contra "a rutura" da ordem constitucional.

Os protestos contra o Governo do Presidente Nicolás Maduro intensificaram-se há três semanas, após a divulgação de duas sentenças em que o Supremo Tribunal de Justiça concede poderes especiais ao chefe de Estado, limita a imunidade parlamentar e assume as funções do parlamento.

Desde então nove pessoas foram assassinadas, dezenas ficaram feridas e centenas foram detidas pelas autoridades venezuelanas, durante as manifestações, que têm sido fortemente reprimidas pela Guarda Nacional Bolivariana (polícia militar) e pela Polícia Nacional Bolivariana.

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Ser o primeiro a saber será ainda mais rápido

Descarregue a aplicação e aceda a toda a informação do Notícias ao Minuto por smartphone ou tablet de uma forma mais cómoda, intuitiva e imediata.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório