Meteorologia

  • 09 DEZEMBRO 2019
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 17º

Edição

Portuguesas ameaçadas depois de se casarem em troca de dinheiro

Duas mulheres portugueses foram aliciadas para se casarem com cidadãos do Bangladesh. Depois do casamento receberam dinheiro, mas começaram a ser ameaçadas.

Portuguesas ameaçadas depois de se casarem em troca de dinheiro
Notícias ao Minuto

10:44 - 14/11/19 por Filipa Matias Pereira 

País casamento ilegal

A Polícia Judiciária deteve, recentemente, três membros de uma célula pertencente a organização criminosa internacional de auxilio à imigração ilegal. Os detalhes do 'modus operandi' são agora revelados e dão conta que duas mulheres portuguesas foram alvo de ameaças depois de se terem casado por dinheiro.  

Detalha agora a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa, numa nota publicada na sua página institucional, que os arguidos são oriundos de Portugal e do Bangladesh. Defende o Ministério Público que, segundo fortes indícios recolhidos, criou uma associação com o objetivo de favorecer, a troco de dinheiro, a entrada de cidadãos nacionais de países fora do Espaço Schengen em território nacional.

Falamos de cidadãos que não podiam residir, permanecer ou trabalhar legamente em Portugal e, por isso, o objetivo da arguida, alega a acusação, era "facilitar que tais cidadãos obtivessem autorização para permanecer no nosso país, através da celebração de casamentos com portuguesas que angariava propositadamente para o efeito".

Outros dois arguidos, estes oriundos do Bangladesh, aderiram ao grupo com o objetivo de se casarem e, assim, conseguirem regularizar a sua situação em território de um qualquer país do Espaço Schengen. Para tal, solicitaram à arguida que fossem arranjadas duas jovens portuguesas com quem pudessem casar-se.

Ora, em dezembro de 2014, a arguida apresentou uma proposta a duas mulheres que viviam em Portugal com dificuldades económicas, "propondo-lhes que se deslocassem à Irlanda e aí se casassem com uma pessoa estrangeira e ilegal em território europeu, recebendo em troca a quantia de 5 mil euros". As mulheres aceitaram a proposta, viajaram algumas vezes até á Irlanda e, em 2015, casaram-se com os arguidos. Receberam, em troca, 1.500 euros.

Nas idas à Irlanda, as ofendidas pernoitaram em casa dos arguidos que, durante a noite, lhes fechavam a porta do quarto à chave para que estas não fugissem. Durante o dia, quando não havia necessidade de saírem para tratarem de documentos, as mulheres em trancadas dentro de casa contra a sua vontade. Depois de celebrados os casamentos, os arguidos ameaçaram as vítimas, obrigando-as a entregar-lhes dinheiro.

No primeiro interrogatório foi aplicada aos arguidos a medida de coação de prisão preventiva por se julgar verificado, em concreto, o perigo de continuação da atividade criminosa e perigo de fuga.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório