Meteorologia

  • 24 MAIO 2018
Tempo
16º
MIN 16º MÁX 16º

Edição

Macron diz a Merkel que "precisa" da Alemanha para reformar a Europa

O Presidente francês, Emmanuel Macron, afirmou hoje que França "precisa" da Alemanha para reformar a Europa, a dois dias de uma votação crucial para a formação de um governo de coligação entre os conservadores e os social-democratas alemães.

Macron diz a Merkel que "precisa" da Alemanha para reformar a Europa
Notícias ao Minuto

19:06 - 19/01/18 por Lusa

Mundo Diplomacia

"O que simplesmente posso dizer é que a ambição [do programa europeu francês] que carregamos não pode ser concretizada sozinha e que precisa de ser conjugada com a ambição alemã", disse o chefe de Estado francês, numa conferência de imprensa conjunta com a chanceler alemã, Angela Merkel, no Eliseu (sede da Presidência francesa).

Este encontro entre Macron e Merkel, o primeiro desde o anúncio do acordo de princípio firmado pelos conservadores alemães liderados pela chanceler Angela Merkel e pelo Partido Social-Democrata (SPD) de Martin Schulz, esteve centrado no futuro da Europa e nas prioridades de Paris e de Berlim.

As consequências para a política europeia do congresso extraordinário do SPD, que vai referendar no domingo o acordo de princípio alcançado com os conservadores (União Democrata-Cristã - CDU, de Angela Merkel, e o seu aliado bávaro União Social Cristã - CSU) no passado dia 12 de janeiro, dominou as perguntas lançadas pelos jornalistas presentes no Eliseu.

"O meu fervor europeu e a conceção de uma Europa forte não depende da decisão de um outro partido político, embora espere que o SPD dê luz verde para iniciar conversações", declarou Merkel.

A chanceler alemã frisou, no entanto, que a estabilidade do governo alemão é indispensável para fazer avançar a construção europeia.

"Para agir na Europa, é essencial ter um governo estável na Alemanha", disse a política alemã.

A Alemanha está sem governo desde a realização de eleições gerais naquele país, a 24 de setembro, e Merkel procura cumprir, com o futuro governo de coligação, um quarto mandato.

Macron preferiu não comentar "assuntos de política interna de um país amigo", mas realçou o compromisso europeu manifestado tanto no acordo de princípio como no seio do SPD.

Devido à expectativa em torno das negociações do novo executivo alemão, os dois governantes adotaram uma postura prudente e não deram pormenores sobre as respetivas propostas para o fortalecimento da União Europeia (UE).

Para Macron, o importante é "saber para onde quer ir" a Europa, porque a partir do momento que esse ponto esteja definido serão encontrados os meios para atingir tal caminho.

O Presidente francês reiterou a sua visão de uma Europa "que protege", "com mais soberania" em matérias como a defesa, novas tecnologias e ambiente.

"Temos de construir a partir das convergências. Sempre construímos assim a Europa", frisou Macron.

Já Angela Merkel deu mais destaque à estabilidade da zona do euro, argumentando que esta "deve estar na vanguarda da competitividade", e às fronteiras da UE, que na sua opinião "não estão protegidas".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.