Meteorologia

  • 29 NOVEMBRO 2022
Tempo
10º
MIN 8º MÁX 16º

AO MINUTO: Avião militar cai junto a Kiev; UE garante dificultar invasão

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a escalada da tensão na Ucrânia.

AO MINUTO: Avião militar cai junto a Kiev; UE garante dificultar invasão
Notícias ao Minuto

07:53 - 24/02/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Rússia/Ucrânia

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, autorizou durante a madrugada desta quinta-feira uma "operação militar especial" na região de Donbass, no leste da Ucrânia. 

Num discurso transmitido na televisão russa, Putin advertiu os países do Ocidente a ficarem fora do conflito e ameaçou com "consequências que nunca viram".

Momentos depois, foram ouvidas explosões em várias cidades ucranianas, incluindo na capital Kiev. É o início da guerra na Ucrânia.

O primeiro-ministro, António Costa, pediu durante a madrugada ao Presidente da República uma reunião urgente do Conselho Superior de Defesa Nacional. O encontro está agendado para as 12h de hoje.

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre as tensões na Ucrânia:

15h00 - Boa tarde! Encerramos o acompanhamento AO MINUTO do escalar de tensões na Ucrânia desta manhã. Pode acompanhar aqui o registo da tarde.

13h28 - Unidade da NATO e UE mostra o quão isolada a Rússia está, diz Stoltenberg
 
O secretário-geral da NATO saudou hoje a forte unidade da organização do Atlântico Norte e da União Europeia (UE) na resposta à agressão russa na Ucrânia, considerando que tal evidencia "o quão sozinha e isolada a Rússia está".

13h27 - Força de elevada prontidão da NATO pode abranger até 1049 portugueses
 
A participação de Portugal numa força de elevada prontidão de até 7 dias que poderá ser ativada pela NATO prevê o empenhamento de até 1049 militares, 7 aeronaves, 1 navio e 162 viaturas táticas, segundo dados divulgados em janeiro.

13h19 - Ucranianos respondem a apelo e fazem fila para doar sangue em Kharkiv

Depois de o presidente Volodymyr Zelensky ter lançado um apelo para que os ucranianos dessem sangue, de modo a ajudar os soldados feridos devido invasão russa ao país, que teve início esta madrugada, a população de Kharkiv começou a fazer longas filas à porta de um dos bancos de sangue da cidade.

13h15 - Relação de forças militares é largamente favorável aos russos
 
A Rússia, que lançou hoje um ataque sobre a Ucrânia, tem uma força militar largamente favorável relativamente ao seu adversário, que tem poucos meios antiaéreos apesar da ajuda ocidental, segundo dados do Instituto Internacional de Estudos Estratégicos.

13h14 - MNE chinês diz "entender preocupações" da Rússia com a sua segurança
 
A China "entende as preocupações de segurança da Rússia", disse hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros chinês, Wang Yi, ao homólogo russo, Sergei Lavrov, horas após o início da invasão russa da Ucrânia.

13h13 - "O mais sério ataque à paz na Europa nas últimas décadas", diz Macron

O presidente francês, Emmanuel Macron, falou hoje ao país sobre a situação do conflito entre a Ucrânia e a Rússia e destacou que a invasão russa é uma “violação” das regras das Nações Unidas.

“Ao escolher a guerra Putin decidiu fazer o mais sério ataque à paz na Europa nas últimas décadas”, afirmou, destacando que este “é um ponto de viragem na Europa”.

Macron revelou ainda que irá anunciar brevemente sanções contra a Rússia.

13h06 - Avião militar ucraniano cai junto a Kiev. Terá sido abatido e há 5 mortos

Um avião militar ucraniano com 14 ocupantes a bordo despenhou-se, esta quinta-feira, perto de Kiev, a capital da Ucrânia, avança a AFP. A aeronave terá sido abatida. O serviços de emergência ucranianos falam em, pelo menos, cinco mortos, revela a Reuters. 

13h05 - Forças militares russas entraram em Kiev a partir da Bielorrússia
 
Unidades militares russas entraram na região de Kiev, a partir da Bielorrússia, para realizar um ataque com mísseis Grad contra alvos militares, informaram hoje autoridades militares ucranianas, num comunicado.

13h05 - Organizações humanitárias pedem respeito pelos direitos humanos
 
As organizações Amnistia Internacional e Human Rights Watch apelaram hoje a que as partes em conflito na Ucrânia respeitem os direitos humanos e cumpram as suas obrigações de direito internacional, nomeadamente protegendo vidas e bens civis.

13h04 - PEV condena invasão russa e apela ao fim imediato da intervenção militar
 
O PEV condenou hoje a "ação belicista da Rússia" contra a Ucrânia, considerando que "nada justifica a guerra e a consequente perda de vidas humanas", apelando ao Kremlin para "travar de imediato" os bombardeamentos e a intervenção militar.

13h01 - OSCE alerta para crise humanitária
 
A secretária-geral da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), Helga Schmid, reiterou a condenação do ataque da Rússia contra a Ucrânia e advertiu que a guerra está a provocar uma crise humanitária. 

13h00 - Twitter bloqueou contas que mostravam atividade militar russa na Ucrânia

A invasão da Ucrânia pela Rússia fez com que vários utilizadores do Twitter partilhassem informações o estado das coisas e tomando também a iniciativa de combater a desinformação sobre a situação. Todavia, estes utilizadores foram surpreendidos quando o Twitter começou a suspender as suas contas.

12h58 - GP da Rússia em risco. F1 já se pronunciou e Vettel diz que não vai

O conflito Rússia-Ucrânia pode ter efeitos a vários níveis, nomeadamente no desporto e no desporto automóvel. A Fórmula 1 tem agendado no calendário desta temporada o Grande Prémio da Rússia, de 23 a 25 de setembro, mas a verdade é que a sua realização está risco.

12h58 - Chanceler alemão diz que Putin está a colocar em causa a paz na Europa
 
A invasão da Ucrânia pela Rússia "coloca em risco a vida de inúmeras pessoas inocentes" e "põe em causa a paz" na Europa, afirmou hoje o chanceler alemão, Olaf Scholz.

12h48 - União Europeia "irá tornar o mais difícil possível" a invasão da Rússia 

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, afirmou hoje que a União Europeia “irá tornar o mais difícil possível” a invasão “agressiva” da Rússia à Ucrânia.

Destacando que falou esta manhã com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, e que este lhe pediu “o que for possível fazer para ajudar”, von der Leyen anunciou que a União Europeia irá avançar com “um pacote massivo de sanções” contra a Rússia.

“O presidente Putin escolheu trazer a guerra de volta para a Europa… A UE tornará isso o mais difícil possível e irá prosseguir com um pacote massivo de sanções”, frisou.

12h40 - UEFA reúne de emergência e final da Champions deve mudar de local

A final da presente edição da Liga dos Campeões não deverá acontecer em São Petersburgo, na Rússia, como inicialmente decidido pela UEFA. O organismo que rege o futebol europeu convocou esta quinta-feira uma reunião de emergência, que acontecerá amanhã, para retirar a final da prova à Rússia por conta do ataque à Ucrânia, adianta a Associated Press. 

12h40 - Madeira prevê impacto nas ligações aéreas diretas a Moscovo e Kiev
 
O Governo da Madeira indicou hoje que a ofensiva militar da Rússia em território da Ucrânia terá impacto no setor do turismo, afetando as ligações aéreas diretas entre a região e as capitais dos países em conflito, Moscovo e Kiev.

12h38 - Ucranianos em Portugal "contam com a nossa solidariedade e segurança"
 
Após ter feito uma primeira declaração acerca da invasão russa em território ucraniano, António Costa recorreu ao Twitter para dar uma mensagem à comunidade ucraniana que vive em Portugal: "Podem contar com a nossa solidariedade e segurança".

12h38 - UE garante assistência política, financeira e humanitária à Ucrânia
 
O Conselho Europeu condenou hoje, "com a maior veemência possível", a "agressão militar sem precedentes" da Rússia à Ucrânia, garantindo à população ucraniana assistência política, financeira e humanitária por parte da União Europeia (UE).

12h36 - Bruxelas apoia acolhimento de refugiados e agradece prontidão a 5 países
 
A Comissão Europeia disse hoje estar "pronta" para, se necessário, apoiar os Estados-membros da União Europeia (UE) no acolhimento de refugiados ucranianos, após a invasão russa do país, agradecendo a cinco países a "vontade de proporcionar proteção imediata".

12h35 - Serviço de fronteiras ucraniano gravou o momento de entrada da Rússia

O serviço de fronteiras ucraniano filmou o momento em que as tropas russas entram na Ucrânia através da Crimeia. No vídeo consegue ver-se um vasto arsenal militar a entrar no país.

12h34 - Procissão de velas em Fátima vai pedir paz
 
O percurso entre a Igreja Paroquial de Fátima e os Valinhos vai ser palco, no domingo, de uma procissão de velas pela paz na Ucrânia, em resposta aos apelos do papa e do administrador apostólico de Leiria-Fátima.

12h34 - Israel condena as ações russas na Ucrânia
 
"Ainda há tempo para parar e voltar à mesa de negociações e resolver as diferenças pacificamente com a mediação das potências mundiais" pede Yair Lapid, ministro dos Negócios Estrangeiros de Israel.

12h33 - NATO convoca cimeira virtual de líderes para sexta-feira
 
O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, anunciou hoje a realização de uma cimeira de líderes da organização, por videoconferência, para sexta-feira, para os Aliados discutirem os próximos passos a dar face ao "ato brutal de guerra" lançado pela Rússia.

12h31 - Erdogan diz que invasão russa é "inaceitável" e vai contra "o direito internacional"

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, considerou “inaceitável a operação militar lançada pela Rússia no território da Ucrânia” e descreve-a como “um passo” que é “contrário ao direito internacional”.

“Consideramos inaceitável a operação militar lançada pela Rússia no território da Ucrânia hoje e a rejeitamo-la”, começou por afirmar na rede social Twitter.

“Este passo, que consideramos contrário ao direito internacional; É um golpe difícil para a paz, tranquilidade e estabilidade da região”, acrescentou.

12h25 - Exército russo invade o norte da região de Kiev

O exército russo invadiu o norte da região de Kiev, avança a agência de notícias AFP, que cita guardas da fronteira ucraniana. 

#BREAKING Russian forces break into north of Kyiv region: Ukraine border guards pic.twitter.com/NWpWwviV8t

— AFP News Agency (@AFP) February 24, 2022

12h20 - Menino morre em bombardeamento em Kharkiv

Um menino morreu na região ucraniana de Kharkiv após um prédio ser bombardeado, revelaram os serviços de emergência do país, citados pela agência de notícias Reuters.

Regista-se também a morte de seis pessoas em Brovary, nos arredores de Kiev, de 18 pessoas num ataque de mísseis em Odessa e de três guardas na fronteira. 

12h14 - Ryanair cancela ligações aéreas com Ucrânia por pelo menos 14 dias
 
A Ryanair anunciou hoje que cancelou todos os voos de e para a Ucrânia por "pelo menos 14 dias", após o início da ofensiva russa naquele país e o encerramento do seu espaço aéreo.

12h12 - "Esta ação hedionda e bárbara de Vladimir Putin deve terminar em fracasso"

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, afirmou, à semelhança do secretário-geral da NATO, que os "aliados farão tudo" o que for possível para responder à ameaça de Putin.

Frisando que a Rússia "desencadeou a guerra no nosso continente europeu" e que "incontáveis ​​mísseis e bombas caíram sobre uma população inteiramente inocente", Boris defende que "não se pode simplesmente desviar o olhar".

O Reino Unido prepara-se para aprovar "um conjunto maciço de sanções" contra a Rússia e o primeiro-ministro apela ao Ocidente para "cessar coletivamente" a dependência do petróleo e gás russos. 

"A nossa missão é clara: diplomaticamente, politicamente, economicamente e, eventualmente, militarmente, esta ação hedionda e bárbara de Vladimir Putin deve terminar em fracasso", frisou.

12h02 - Geórgia consternada com ataque russo recorda guerra de 2008
 
A Geórgia mostrou-se hoje consternada pela agressão russa à Ucrânia e pediu a paragem da operação militar anunciada hoje pelo Presidente russo, Vladimir Putin, recordando a guerra de 2008 nas regiões separatistas da Ossétia do Sul e Abecásia.

12h01 - Boris Johnson pede reunião de emergência de líderes da NATO
 
O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, defendeu hoje uma reunião de emergência dos líderes da NATO "o mais brevemente possível" para discutir a invasão militar da Ucrânia pela Rússia.

12h00 - "Ocupação"? Palavra é "inaceitável" e Rússia quer "desnazificação"

"Ninguém está a falar de uma ocupação da Ucrânia e essa palavra é inaceitável". Foi desta forma que o porta-voz do governo russo, Dmitry Peskov, adjetivou a presença russa em território ucraniano, iniciada nesta madrugada.

11h58 - Costa afirma que tem plano de evacuação de portugueses
 
O primeiro-ministro afirmou hoje que Portugal tem um plano de evacuação de cidadãos portugueses e luso-ucranianos da Ucrânia e que há abertura para o acolhimento de familiares dos ucranianos residentes no país.

11h55 - Autoridades moldavas encerram espaço aéreo após invasão à Ucrânia
 
As autoridades da Moldávia anunciaram hoje que encerraram o seu espaço aéreo e que também pediram ao Parlamento a introdução do estado de emergência no país, após a invasão da vizinha Ucrânia pela Rússia.
  

11h45 - Registadas mais explosões em Kiev

Foram registadas novas explosões na capital Kiev, confirmaram as autoridades ucranianas. Segundo o Ministério do Interior do país, citado por um jornalista no local, helicópteros russos atacaram e assumiram controlo do aeroporto militar, em Hostomel, a cerca de 40 quilómetros da capital.

11h42 - NATO garante "todas as medidas necessárias" de dissuasão e mobiliza meios
 
A Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO) considerou hoje que a invasão russa da Ucrânia representa "uma séria ameaça à segurança euro-atlântica", garantindo "todas as medidas necessárias" de dissuasão e mobilizando meios e destacamentos para proteger aliados.

11h41 - Parlamento Europeu com sessão urgente para "resposta europeia" à invasão
 
O Parlamento Europeu vai ter, na terça-feira em Bruxelas, uma sessão plenária extraordinária para uma "resposta europeia sem precedentes" após a invasão russa da Ucrânia, anunciou hoje a presidente da instituição, condenando a "agressão russa".

11h30 - NATO fará "tudo o que for necessário" para defender os aliados

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, frisou hoje que a organização fará “tudo o que for necessário” - "por terra, ar e mar” - para proteger os países aliados. 

Em conferência de imprensa, Stoltenberg afirmou que a Europa e os Estados Unidos da América vão “agir em unidade”.

“Temos de reagir com uma unidade reforçada, as democracias têm de se juntar porque a democracia irá sempre prevalecer sobre a autocracia e a liberdade irá sempre vencer a opressão”, afirmou.

O responsável acrescentou que "a invasão não nos apanhou [à NATO] de surpesa" e que o alerta foi lançado "há meses". No entanto, apesar dos "esforços diplomáticos, a Rússia decidiu invadir a Ucrânia." "Estamos a ter um comportamento preventivo", defendeu.

11h26 - Exército russo anuncia avanço territorial dos separatistas pró-russos
 
O exército russo anunciou hoje que os separatistas pró-russos no leste da Ucrânia realizaram avanços territoriais contra o exército ucraniano, após a invasão militar de hoje da Rússia.

11h25 - Chega condena "veementemente" ofensiva russa e pede "duras sanções"
 
O Chega condenou hoje "veementemente" a ofensiva militar russa contra a Ucrânia, manifestando solidariedade com o povo ucraniano e considerando que o Kremlin deve ser alvo de "condenações públicas e políticas" e de "duras sanções económicas".

11h24 - Impacto do ataque russo na economia? Costa diz que é "cedo" para avaliar

O primeiro-ministro, António Costa, considerou esta quinta-feira que ainda é cedo para avaliar o possível impacto do conflito na Ucrânia na economia e, em particular, no Orçamento do Estado para 2022 (OE2022). 

11h23 - Primeiro-ministro de Cabo Verde condena "intervenção militar" na Ucrânia
 
O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, condenou hoje, no parlamento, a "intervenção militar" da Rússia na Ucrânia, afirmando que ameaça a segurança global, e pediu uma solução pela via diplomática.

11h23 - Anúncio da invasão foi gravado há três dias? Sinais apontam que sim

O presidente da Rússia anunciou, esta quinta-feira, o início de uma "operação militar especial" no Leste da Ucrânia, mas há alguns detalhes no vídeo do discurso de Vladimir Putin que estão a alimentar especulações de que a mensagem terá sido gravada já há alguns dias.

11h19 Dezoito pessoas morreram em ataque de míssil em Odessa

Segundo as autoridades regionais, citadas pela agência de notícias Reuters, dezoito pessoas morreram num ataque de míssil em Odessa

Há também registo de seis vítimas mortais na cidade de Brovary, localizada a cerca de 25 quilómetros da capital Kiev. 

11h12 - Imagens mostram coluna militar russa a entrar na Ucrânia pela Crimeia

11h03 - Bombardeamentos continuam 

A Ucrânia continua a ser alvo de ataques, segundo reportam testemunhos no local. De acordo com a SIC, em Kiev, depois de duas explosões, as pessoas foram encaminhadas para abrigos improvisados.

Em baixo, pode ver um mapa dos condicionamentos nas estradas de Kiev. "Vermelho significa 'pare'".

11h00 - Rio considera ação da Rússia "inaceitável" e pede "fortes punições"
 
O presidente do PSD classificou hoje a ação militar da Rússia na Ucrânia como "ilegal, desnecessária e inaceitável", defendendo que deve acarretar "fortes punições".

10h51 - IL solidária com povo ucraniano "sob ataque do regime autocrático russo"
 
A Iniciativa Liberal solidarizou-se hoje com o povo ucraniano que está sob "ataque criminoso do regime autocrático russo", defendendo que Portugal deve ajudar "imediatamente os portugueses na Ucrânia e as famílias ucranianas" no país.

10h50 - Centenas de ucranianos cruzam a fronteira para se refugiarem na Roménia
 
Várias centenas de cidadãos ucranianos cruzaram hoje a fronteira que separa o seu país da Roménia, procurando refúgio em casas de amigos e familiares perante a operação militar da Rússia, informaram as autoridades romenas.

10h44 - Cabo Verde. Presidente "preocupado" com "consequências " da invasão russa
 
O Presidente de Cabo Verde, José Maria Neves, disse hoje estar "muito preocupado" com o conflito militar na Ucrânia, face às "consequências incalculáveis" que representa para a Humanidade, apelando ao diálogo.

10h42 - Alemanha e Itália apoiam endurecimento das sanções contra a Rússia
 
A ministra alemã dos Negócios Estrangeiros disse hoje que Berlim e os aliados da Alemanha vão aplicar "sanções mais severas" contra a Rússia, enquanto Itália, Macedónia do Norte e República Checa condenaram também a operação militar contra a Ucrânia.

10h41 - Forças ucranianas dizem que vários tanques russos foram destruídos

O Exército da Ucrânia afirmou que quatro tanques das forças russas foram destruídos em Kharkiv, a segunda maior cidade do país. 

“O inimigo sofre perdas”, afirmou na rede social Twitter. 

blockquote class="twitter-tweet">

За нашою оперативною інформацією, на об`їздній дорозі міста #Харків спалено 4 танки! Противник несе втрати. #UAF #AFU #СПРОТИВ #UKRAINE #JFO #ООС #WARINUKRAINE pic.twitter.com/UVkVItmc3w

— Генеральний штаб ЗСУ (@GeneralStaffUA) February 24, 2022

10h40 - "Temos um conjunto de elementos para ser colocado sob as ordens da NATO"

António Costa fez, na manhã desta quinta-feira, a primeira declaração ao país após a Rússia ter invadido e atacado a Ucrânia, numa ofensiva que teve início esta madrugada. "Queria reafirmar a condenação veemente por parte de Portugal da ação militar desencadeada pela Rússia. Durante o dia de hoje, teremos reuniões do Conselho Europeu onde a questão essencial serão as medidas de sanções a aplicar à Rússia na decorrência desta ação", começou  por declarar a partir de São Bento. 

10h39 - Forças russas lançaram ataque em três frentes e há vítimas civis
 
Um conselheiro presidencial ucraniano disse hoje que as forças russas lançaram um ataque à Ucrânia em três frentes, através do norte, do leste e do sul, e referiu haver vítimas civis, mas sem dar pormenores.

10h31 - Gás natural sobe 29% para 113 euros por MWh
 
O gás natural TTF (Title Transfer Facility) para entrega em março subiu hoje 29% no mercado holandês para mais de 100 euros por megawatt hora (MWh), depois de a Rússia ter invadido a Ucrânia hoje de madrugada.

10h30 - Boris Johnson vai apresentar hoje "sanções esmagadoras" contra a Rússia
 
O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, fará uma declaração no Parlamento hoje para apresentar a resposta do Reino Unido à invasão militar da Ucrânia pela Rússia, incluindo "sanções esmagadoras", indicou um membro do Governo.

10h29 - Ataque na Ucrânia terá impacto nos preços dos combustíveis em Portugal

O ataque da Rússia em território ucraniano, que fez disparar o preço do barril do Brent para acima dos 100 dólares por barril, vai ter impacto nos preços dos combustíveis em Portugal, de acordo com o secretário-geral da Associação Portuguesa De Empresas Petroliferas (APETRO), António Comprido.

10h27 - UE garante que Rússia será responsabilizada por invasão "premeditada"
 
A Rússia será responsabilizada pela sua agressão militar "premeditada" à Ucrânia e "não deve ter dúvidas de que a UE permanecerá resolutamente unida ao tomar as próximas medidas", declarou hoje o chefe da diplomacia europeia, em nome dos 27

10h27 - Scott Morrison classifica a invasão russa da Ucrânia de "brutal"

O primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, considerou a invasão russa da Ucrânia de "brutal" e "sem provocação", enquanto anunciava esta manhã novas sanções a mais 25 indivíduos e quatro instituições financeiras do país.

10h25 - Moedas diz que "Lisboa está com Kiev" e que ação de Putin é "inaceitável"

"Lisboa está com Kiev", afirmou esta manhã Carlos Moedas, depois da invasão à Ucrânia.

"A ação militar de Putin é totalmente inaceitável. A comunidade internacional tem que estar solidária com a Ucrânia. Um abraço a todos os nossos munícipes luso-ucranianos", escreveu o Presidente da Câmara Municipal de Lisboa.

10h24 - Pedro Filipe Soares defende "resposta imediata" à Rússia mas sem escalada

"Começa a guerra, é urgente restabelecer a paz", defende Pedro Filipe Soares, deputado do Bloco de Esquerda, numa publicação no Twitter

10h23 - Marcelo reúne-se às 10h30 com ministro da Defesa e CEMGFA em Belém
 
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai reunir-se hoje às 10:30 com o ministro da Defesa e o chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas (CEMGFA) para preparar a reunião do Conselho Superior de Defesa Nacional.

10h23 - China apela ao diálogo e critica Estados Unidos por agravarem a situação
 
A China voltou hoje a apelar ao diálogo para resolver a crise na Ucrânia, mas recusou criticar o ataque da Rússia, acusando os Estados Unidos e os seus aliados de agravarem a situação.

10h22 - Lituânia vai declarar Estado de Emergência. É o primeiro dos 27 a fazê-lo
 
"Hoje, assinarei um decreto sobre a introdução do Estado de Emergência, que será aprovado pelo parlamento em sessão extraordinária", afirmou o presidente Gitanas Nauseda.

10h11 - Presidente ucraniano pede doações de sangue e apoio à defesa do país

Volodymyr Zelenskyy, presidente da Ucrânia, fez esta manhã um discurso à nação, apelando a que qualquer pessoa com experiência militar se junte à defesa da Ucrânia.

Garantiu, neste apelo, que o governo vai fornecer armas para às pessoas que as quiserem e pediu para os cidadãos fazerem doações de sangue, porque há soldados feridos nos hospitais ucranianos. 

10h10 - Mais de 40 soldados e dez civis ucranianos mortos

Mais de 40 soldados ucranianos morreram e várias dezenas ficaram feridos na sequência da invasão russa à Ucrânia. A informação está a ser avançada por um conselheiro do presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, citado pela Reuters.

Já a agência de notícias Agence France-Presse (AFP) revela que existem "cerca de 10 civis mortos".

09h55 - "Mercados reagem em pânico" ao ataque. Petróleo e ouro disparam

Foram registadas fortes explosões em pelo menos cinco cidades da Ucrânia, incluindo na capital, Kiev, horas depois do presidente russo, Vladimir Putin, ter anunciado o início de uma operação militar na Ucrânia. Em resposta a este ataque, os principais índices bolsistas reagiram "em pânico", com fortes quedas, ao passo que o petróleo está a disparar e já vale mais de 100 dólares por barril. 

09h54 - Lukashenko propõe negociações entre Rússia e Ucrânia na Bielorrússia

Alexander Lukashenko, presidente bielorrusso, propôs, na manhã desta quinta-feira, que a Rússia e a Ucrânia mantenham negociações em Minsk, a capital da Bielorrússia, avança a Reuters que cita a agência russa RIA.

09h50 - Lukashenko diz que Bielorrússia não vai participar na invasão
 
O presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, país aliado da Rússia, disse hoje que o seu exército não vai participar da invasão da Ucrânia.

09h49 - Moldávia declara estado de emergência

A presidente da Moldávia, Maia Sandu, revelou hoje que o país vai declarar estado de emergência e está preparado para receber milhares de pessoas vindas da vizinha Ucrânia. 

“Vamos ajudar quem precisa da nossa ajuda e apoio”, afirmou, citada pela agência de notícias Reuters.

09h44 - As primeiras imagens das regiões ucranianas após os ataques russos
 
Cidadãos procuram locais mais seguros para se protegerem, como estações de metro, ou tentam fugir das cidades. Há prédios bombardeados e destruídos. Atenção: algumas imagens podem ferir suscetibilidades.

09h43 - Kiev pede à Turquia que encerre espaço aéreo e marítimo aos russos
 
As autoridades ucranianas pediram ao governo turco que encerre aos russos o seu espaço aéreo e o acesso aos Estreitos do Bósforo e Dardanelos, em resposta ao ataque lançado por Moscovo contra a Ucrânia.

09h41 - "Estamos do lado certo da história, a Rússia está do lado errado"

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, afirmou que a Ucrânia “está do lado certo da História” e a Rússia “do lado errado”.

"Estamos do lado certo da história, a Rússia está do lado errado", afirmou numa declaração ao país.

“A Rússia atacou o nosso Estado… da mesma maneira que a Alemanha nazi fez na Segunda Guerra Mundial. A partir de hoje, os nosso países estão em lados opostos da história mundial”, frisou.

Zelensky afirmou ainda que fará um ponto da situação a cada hora e apelou os ucranianos na Rússia a divulgar imagens sobre a invasão russa, pois acredita que os meios de comunicação russos não a estão a noticiar. 

09h20 - Conselho da Europa condena ataque militar russo
 
A secretária-geral do Conselho da Europa, Marija Pejcinovic Buric, condenou hoje o "ataque militar" russo contra território ucraniano, que denunciou como uma "flagrante violação" do estatuto da organização pan-europeia, a que pertencem Rússia e Ucrânia.

09h12 - Shchastia "recapturada" aos russos. Há "cerca de 50 inimigos mortos"

"A cidade de Shchastia (na região de Luhansk), que foi atacada pelo agressor russo, foi recapturada", indica a imprensa ucraniana, através de um tweet da Eurom>

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório