Meteorologia

  • 25 ABRIL 2019
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 14º

Edição

"Até ao momento, não há confirmação de qualquer vítima mortal portuguesa"

O primeiro-ministro português falou aos jornalistas sobre Moçambique à saída da reunião do Conselho Europeu.

"Até ao momento, não há confirmação de qualquer vítima mortal portuguesa"
Notícias ao Minuto

15:00 - 22/03/19 por Pedro Filipe Pina 

País António Costa

Houve reunião do Conselho Europeu, esta sexta-feira de manhã, em Bruxelas. À saída, o primeiro-ministro, António Costa, deu conta dos pontos que resultaram desta reunião.

Entre os temas em cima da mesa esteve a ajuda a Moçambique, numa altura em que no país ainda decorrem buscas por sobreviventes e se procura dar ajuda imediata a populações afetadas pela devastação provocada pelo ciclone Idai.

Entre os portugueses afetados pelo ciclone, cerca de três dezenas estavam esta quinta-feira ainda por contactar ou localizar. Já hoje, segundo avançou fonte à TVI, foi revelado que haverá uma vítima portuguesa a lamentar e esta manhã já 14 cidadãos nacionais tinham sido localizados.

António Costa realçou que cada vez mais portugueses têm sido encontrados. Já sobre a vítima mortal, adiantou, com cautela, que “até ao momento, não há confirmação de qualquer vítima mortal portuguesa”.

Da parte da Europa, o primeiro-ministro deu conta da “total disponibilidade, de acordo com os mecanismos de emergência europeus, para poder corresponder à ajuda que venha a ser solicitada por Moçambique”.

“Ontem”, acrescentou de seguida, “Moçambique acionou este mecanismo, agora está a ser feito um levantamento das necessidades no terreno”. Em função deste levantamento, serão definidas as verbas tidas como necessárias. Saliente-se que de Portugal partiram já dois C-130 com pessoal técnico, cães especializados em busca e material.

Neste momento, vários dos portugueses que não tinham sido localizados nos dias anteriores têm, felizmente, vindo a ser progressivamente localizados”, destacou António Costa, que lembrou que o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas se encontra em Moçambique.

“Até este momento não há confirmação de qualquer vítima mortal entre portugueses. Não há nenhuma confirmação, até ao momento”, realçou ainda o primeiro-ministro. Saliente-se que, segundo a TVI, a possível vítima mortal portuguesa estaria juntamente com outras dezenas de pessoas, numa quinta devastada pelo ciclone Idai.

Esta sexta-feira, o balanço de vítimas em Moçambique já ultrapassava as 280 vítimas mortais, segundo números de um ministro moçambicano à Rádio Moçambique.

Entre Moçambique, Maláui e Zimbabué, os três países afetados pelo ciclone Idai, o número de vítimas aproxima-se das 600 mas teme-se que ainda possa subir consideravelmente.

O ciclone afetou pelo menos 2,8 milhões de pessoas nos três países africanos. A área submersa em Moçambique é de cerca de 1.300 quilómetros quadrados, segundo estimativas de organizações internacionais. A cidade da Beira, a segunda maior do país, onde viviam perto de meio milhão de pessoas, foi particularmente fustigada pela força do ciclone Idai.

Em Portugal, multiplicam-se as iniciativas de apoio a Moçambique para uma tragédia que obriga à urgência imediata, mas que continuará a ter impacto no futuro do país durante os próximos tempos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório