Meteorologia

  • 30 JULHO 2021
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 27º

Edição

AO MINUTO: Gravidade dos casos "pede prudência"; 2.841 mortes no Brasil

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a Covid-19 em Portugal e no Mundo.

AO MINUTO: Gravidade dos casos "pede prudência"; 2.841 mortes no Brasil

A Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgou o boletim epidemiológico desta terça-feira, que dá conta de 384 novos casos de Covid-19 e mais 13 mortes. No total, Portugal contabiliza 814.897 contágios e 16.707 óbitos. O número de recuperados ascende agora a quase 763 mil. Os casos ativos prosseguem num sentido descendente, e situam-se agora nos 35 mil

A descer também continuam a seguir os internamentos., nas últimas 24 horas tiveram alta e enfermaria mais 41 doentes, e 18 de UCI.

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) continua a a estudar os alegados efeitos da vacina da AstraZeneca/Universidade de Oxford, mas declarou que ainda não chegou a uma conclusão final.  No entanto, a diretora executiva da EMA, Emer Cooke, frisou hoje que "é fundamental" os cidadãos confiarem nas vacinas aprovadas e que os produtos que o regulador europeu autoriza "são seguros"

Pode consultar nestes mapas interativos a evolução da pandemia de coronavírus em Portugal e no mundo

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a Covid-19 em Portugal e no Mundo.

00h02 - Termina aqui o registo desta terça-feira. De manhã publicaremos um novo artigo no qual vai poder continuar a acompanhar os principais desenvolvimentos da pandemia em Portugal e no mundo. E, não se esqueça: se sentir sintomas relacionados com o coronavírus ligue para a Linha SNS24 - 808 24 24 24.

23h59 - Uma equipa de 30 profissionais de saúde cubanos chegou a Moçambique para reforçar o país no combate ao novo coronavírus, anunciou hoje o Ministério da Saúde. 

O grupo de profissionais, entre os quais enfermeiros intensivistas, desembarcou hoje no Aeroporto Internacional de Maputo. "Estes especialistas juntam-se ao primeiro grupo de 14 profissionais de saúde que chegaram ao país em 24 de janeiro de 2020", refere o ministério.

23h38 - O primeiro-ministro francês, Jean Castex, disse hoje que vai receber a vacina da AstraZeneca assim que a sua utilização for novamente autorizada para aumentar a confiança no imunizante cuja administração foi suspensa em vários países europeus. 

"Dado o que está a acontecer, o que acabou de acontecer com a AstraZeneca, seria sensato que eu fosse vacinado muito rapidamente, assim que a suspensão seja levantada", disse. Castex acrescentou que queria demonstrar aos seus concidadãos "que a vacinação é a porta de saída desta crise".

23h12 - O Coordenador da comissão técnica de vacinação contra a Covid-19 da DGS admite que "qualquer especialista na área fica preocupado" não pela frequência das reações adversas à vacina da AstraZeneca, mas "porque são graves".

"Quando se levanta uma dúvida, aquilo que devemos fazer perante a população que está obviamente à espera de ser vacinada para se proteger de uma doença grave, é dizer que estamos a colocar a sua segurança em primeiro lugar. Levantou-se uma dúvida. É verdade que estamos a falar de casos muito raros, se olharmos para os 17 milhões de doses já administradas pela AstraZeneca nos países europeus, mas a sua gravidade colocou-nos uma atitude de prudência", clarificou Válter Fonseca. 

23h03 - O Brasil registou esta terça-feira o número de óbitos diários mais elevado desde o início da pandemia. Segundo os dados divulgados pelo Ministério da Saúde, morreram 2.841 pessoas nas últimas 24 horas. Este foi o quarto dia em que o Brasil reportou mais de duas mil mortes.

O número de novas infeções também foi um dos mais elevados. Foram detetados 83.926 novos casos de infeção

O Brasil acumula 11.603.535 casos confirmados e 282.127 vítimas mortais. Soma ainda 10,2 milhões de recuperados

22h15 - A empresa norte-americana Moderna anunciou hoje que começou a testar a sua vacina contra a Covid-19 em milhares de crianças dos seis meses aos 11 anos de idade, um novo passo considerado necessário para pôr fim à pandemia.

20h59 - O especialista em Ciências Farmacêuticas Hélder Mota-Filipe alertou hoje que a suspensão da vacina da AstraZeneca cria um ambiente de falta de confiança na população difícil de reconstruir, retirando-se "mais uma arma fundamental" no combate à pandemia.

"Se nós começamos a criar um ambiente de suspeição ainda por cima não fundamentado, do ponto de vista científico, estamos a destruir esse potencial que é o único que temos neste momento que é a vacinação", advertiu.

20h55 - O CDS-PP, PCP e BE manifestaram-se hoje preocupados com os efeitos do prolongado ensino a distância na qualidade da formação, sobretudo nos cursos com maior componente prática, um problema que também não tem descansado as próprias instituições. 

20h43 - A suspensão temporária da administração da vacina contra a Covid-19 da AstraZeneca e Universidade de Oxford pode levantar o "perigo" de reforçar movimentos antivacinas em Portugal, reconheceu hoje o coordenador da 'task force'. 

"Há sempre esse perigo. Claro que temos de temer a criação de dúvidas no espírito das pessoas que faça que possam ter um maior receio no processo de vacinação como um todo e, em especial, de uma determinada vacina", disse Henrique Gouveia e Melo, sem manifestar reservas para qual dos "dois pratos da balança" pende a sua análise.

"Num prato existem algumas dúvidas que devem ser esclarecidas, mas do outro há um benefício extraordinário e esse é claro: a vacinação salva milhares de pessoas. Portanto, do outro lado temos uma dúvida e do outro lado temos uma vacina que salva milhares de pessoas", acrescentou. 

20h38 - A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), maior centro de investigação médica do Brasil e vinculado ao governo, minimizou hoje os possíveis riscos gerados pela vacina da AstraZeneca contra a Covid-19 e descartou a suspensão da imunização no país

20h31 - O coordenador do plano de vacinação contra a Covid-19 evitou hoje expressar a sua posição sobre a suspensão temporária da administração da vacina da AstraZeneca, mas manifestou-se confiante em retomar o processo de vacinação em cinco ou seis dias.

"Se a pausa não for muito prolongada, retomaremos o ritmo que estávamos a ter com a vacina da AstraZeneca e recuperamos muito rapidamente esta pausa, que é uma pausa de cinco, seis dias... o que for necessário para se esclarecer a dúvida que existe neste momento", disse em entrevista à agência Lusa o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo.

20h29 - O jogo entre os Países Baixos e a Letónia, de apuramento para o Mundial2022 de futebol, vai ter até 5.000 espetadores, servindo de ensaio para a possibilidade de admitir público nas bancadas no Euro2020.

20h14 - O secretário-geral do PCP dramatizou hoje um atraso com o plano de vacinação para a Covid-19 e avisou que se não for cumprido pode causar "laivos de descontentamento" que depois podem "passar ao desespero"

19h32 - O presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP) revelou hoje que o programa de rastreios de infeção com SARS-CoV-2 nos estabelecimentos de ensino deverá ser alargado ao superior, na sequência de negociações que estão a decorrer. 

19h25 - Comissão Europeia apresenta na quarta-feira uma proposta para criação de um livre-trânsito digital que comprove vacinação ou recuperação da Covid-19, para facilitar a circulação na União Europeia (UE), esperando uma "decisão rápida" dos Estados-membros. 

19h13 - O presidente francês Emmanuel Macron e o primeiro-ministro italiano Mário Draghi consideraram hoje "encorajantes" as declarações a Agência Europeia dos Medicamentos (EMA) que disse estar "firmemente convencida" das vantagens da vacina AstraZeneca contra a Covid-19.

18h53 - A ministra da Saúde disse hoje que Portugal conta receber no segundo trimestre cerca de quatro milhões de vacinas contra a Covid-19 da Pfizer/BioNTech, com quem Bruxelas acordou hoje a antecipação do fornecimento de 10 milhões de doses.

"Relativamente às quantidades de doses da vacina Pfizer/BioNTech no nosso país, aquilo que temos sinalizado como para entrega no primeiro trimestre é uma quantidade de doses de cerca de 1,3 milhões, e no segundo trimestre uma quantidade de cerca de quatro milhões", disse Marta Temido, que falava em conferência de imprensa após dirigir, desde Lisboa, uma videoconferência de ministros da Saúde da UE.

18h39 - A Comissão Europeia exortou hoje os Estados-membros a utilizarem todas as doses de vacinas contra a Covid-19 que têm ao seu dispor, pois "cada dose conta" e há países cuja taxa de utilização é de apenas 50%. 

18h38 - O Governo garantiu hoje que a confiança de Portugal no processo de vacinação e nas instituições da União Europeia "não sai beliscada" pelos problemas com o fármaco da AstraZeneca, justificando a suspensão com "as incertezas" sobre o vírus.

"A nossa confiança no processo de vacinação e na Comissão e nas agências europeias não sai em momento nenhum beliscada pelo facto de nós, por transparência, darmos nota de que, num contexto de uma doença nova e de medicamentos novos, termos momentos de incertezas", declarou a ministra da Saúde, Marta Temido.

18h36 - Cerca de 40 mil trabalhadores de quatro mil creches de todo o país vão ser testados à Covid-19 esta semana, num processo cujo arranque foi assinalado hoje na Azambuja (Lisboa) pela ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. 

18h35 - A Madeira registou 40 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, mais 48 doentes recuperados, estando notificadas 651 situações ativas e 30 pessoas hospitalizadas, anunciou hoje a Direção Regional de Saúde (DRS).

18h33 - A presidência portuguesa da União Europeia (UE) espera que os países europeus que suspenderam "temporária e provisoriamente" o uso da vacina da AstraZeneca contra a Covid-19, após efeitos secundários em vacinados, retomem a administração "a curto prazo".

A ministra da Saúde, Marta Temido, apontou que os países que optaram por esta interrupção do uso da vacina da AstraZeneca "sublinharam ter-se tratado de uma suspensão provisória (...) em resultado de casos de vários países, que os peritos europeus e nacionais estão a analisar cuidadosamente".

18h32 - O governo britânico anunciou, esta segunda-feira, que mantém a confiança na vacina da AstraZeneca, cuja administração foi suspensa por vários países europeus. 

"Os coágulos sanguíneos podem ocorrer naturalmente e não são incomuns. Mais de 11 milhões de doses da vacina Covid-19 AstraZeneca já foram administradas em todo o Reino Unido, e o número de coágulos sanguíneos relatados após a administração da vacina não é maior do que o número que teria ocorrido naturalmente na população vacinada", garantiu o responsável pela segurança da Autoridade Reguladora de Medicamentos (MHRA), Phil Bryan.

18h30 - A Islândia anunciou hoje que vai permitir a entrada, sem qualquer outra forma de controlo, a todos os viajantes que, a partir de quinta-feira, apresentarem um certificado de vacinação contra a Covid-19

18h28 - As autoridades de saúde francesas referiram esta terça-feira que foram detetados 29.975 novos casos de Covid-19 em 24 horas, numa fase em que o número de contágios está a crescer. Foram ainda reportadas 408 mortes. No total, França soma 4.108.108 casos positivos e 91.170 óbitos. O total de recuperados aumentou para 275 mil

18h03 - O Ministério da Saúde espanhol revelou esta terça-feira que foram identificados 4.962 novos casos de contaminação e morreram mais 141 pessoas no espaço de 24 horas. Em termos globais, Espanha perfaz um número acumulado de 3.200.024 casos confirmados e um total de 72.565 vítimas mortais

17h19 - A subdiretora-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Mariângela Simão, alertou hoje que todas as farmacêuticas "estão com problemas" de produção de vacinas contra a Covid-19, defendendo o aumento da capacidade instalada a nível mundial.

"Todos os produtores estão com problemas, seja a Pfizer, seja a Moderna, seja a AstraZeneca. A estabilização da produção ainda não está fechada", afirmou a responsável da OMS para a área do acesso a medicamentos num debate online promovido pela agência Lusa sobre as vacinas contra o novo coronavírus.

17h18 - Áustria, Croácia, Bulgária, Eslovénia, Letónia e República Checa pediram hoje à Comissão Europeia que crie um mecanismo que corrija o que consideram ser uma "distribuição injusta de vacinas" contra a Covid-19 entre os 27 países do bloco comunitário.

17h16 - A Ordem dos Médicos (OM) defendeu hoje que deve passar-se à população uma mensagem de "segurança e tranquilidade" relativamente às vacinas, salientando que têm uma segurança superior, na maior parte dos casos, aos medicamentos utilizados diariamente. 

17h08 - A Proteção Civil italiana notificou esta terça-feira mais 502 mortes associadas à doença causada pelo vírus SARS-CoV-2, o maior registo diário desde 26 de janeiro. O número acumulado de mortes no país é agora de 103.001, o segundo maior número de mortes associadas à Covid-19 na Europa, depois do Reino Unido.

Foram, ainda, contabilizados mais 20.396 casos de contágio. Itália acumula um total de 3.258.770 casos positivos confirmados desde o início da pandemia.

17h03 - O Governo informou esta terça-feira que, até ao dia de hoje, já foram administradas 1.193.186 doses das vacinas contra a Covid-19. De acordo com o tweet da República Portuguesa, 343.722 pessoas já receberam a segunda dose, enquanto 849.464 ainda só receberam a primeira.

16h47 - O Departamento de Saúde e de Assistência Social britânico anunciou esta terça-feira que foram diagnosticados 5.294 casos de infeção por coronavírus e morreram 110 pessoas nas últimas 24 horas. Em termos acumulados, o Reino Unido contabiliza 4.268.821 infeções e 125.690 vítimas mortais

16h29 - O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, solicitou hoje o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para projetos de combate à pandemia de Covid-19 na América do Sul e políticas de desenvolvimento sustentável na Amazónia. 

16h17 - O presidente da Câmara de Vila Nova de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, agradeceu hoje ao Governo por estar "a preparar o futuro" pós-pandemia da Covid-19, lançando obras "úteis e marcantes" como a expansão das linhas de Metro do Porto.

16h00 - A subdiretora-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Mariângela Simão, admitiu hoje que se verifica um "certo pânico" na Europa devido aos casos que levaram à suspensão, por precaução, da vacina da AstraZeneca contra a Covid-19.

"Há um certo pânico e uma tomada relativamente rápida de decisão de suspender [o uso da vacina] - em alguns países foi a suspensão apenas de alguns lotes -, enquanto a OMS e a própria Agência Europeia do Medicamento (EMA, na sigla em inglês) estão a dizer claramente, que neste momento, é preciso investigar melhor", afirmou a responsável da OMS para a área do acesso a medicamentos.

15h36 - Cerca de 33.000 romenos cancelaram consultas para receberem a vacina da AstraZeneca nas últimas 24 horas, 7% do total das vacinações previstas, depois de vários países terem suspendido temporariamente o uso desse fármaco. 

Leia Também: AO MINUTO: Casos ativos e internamentos continuam a descer em Portugal

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório