Meteorologia

  • 15 NOVEMBRO 2019
Tempo
MIN 8º MÁX 13º

Edição

Mitch McConnell critica pesadelo estratégico causado pela saída da Síria

O líder republicano do Senado nos Estados Unidos, Mitch McConnell, qualificou, na sexta-feira, a decisão do presidente Donald Trump em retirar as forças americanas da Síria como um "pesadelo estratégico".

Mitch McConnell critica pesadelo estratégico causado pela saída da Síria
Notícias ao Minuto

09:26 - 19/10/19 por Lusa

Mundo EUA

"A retirada das forças americanas da Síria é um grave erro estratégico. Isso vai deixar o povo americano e seu território menos seguro, encorajar os nossos inimigos e enfraquecer alianças importantes", escreveu McConnell num artigo publicado pelo Washington Post.

Segundo McConnell, a combinação entre "uma retirada norte-americana e a escalada das hostilidades turco-curdas criam um pesadelo estratégico para o nosso país".

"Mesmo se o cessar-fogo de cinco dias anunciado na quinta-feira seja bom, os acontecimentos da semana fizeram regressar a campanha dos Estados Unidos contra o Estado Islâmico e outros terroristas", acrescentou.

Na quarta-feira, Donald Trump defendeu a sua decisão de retirar as forças norte-americanas da Síria elogiando uma abordagem "estrategicamente brilhante".

McConnell, geralmente um forte defensor do presidente norte-americano já havia condenado a decisão de retirar as tropas do nordeste da Síria, que coincidiu com o lançamento da Turquia de uma ofensiva no norte da Síria contra os curdos, em 09 de outubro.

Os combatentes curdos das forças democráticas sírias (SDF) eram anteriormente aliados dos Estados Unidos na luta contra o grupo jihadista estado islâmico (IS).

Apesar de uma trégua até terça-feira à noite negociada pelo vice-presidente dos EUA, Mike Pence, com Ancara, os combates prosseguiram na sexta-feira.

No seu artigo, Mitch McConnell não mencionou o Trump pelo nome, ao comparar a retirada de Síria com a política estrangeira de seu predecessor democrático Barack Obama.

"Vimos o estado islâmico prosperar no Iraque após a retirada do presidente Barack Obama. Veremos isso novamente na Síria e no Afeganistão se abandonarmos os nossos parceiros e nos retirarmos desses conflitos antes de ganharmos", advertiu.

"As guerras da América só serão 'infinitas' se a América se recusar a conquistá-las", disse McConnell numa aparente referência ao argumento de Donald Trump para defender a retirada, a fim de sair de "guerras intermináveis".

A Turquia disse na noite de quinta-feira que concordaria em suspender por cinco dias a sua ofensiva, se os combatentes curdos, descritos como "terroristas" por Ancara, se retirarem das áreas fronteiriças da Turquia no nordeste da Síria.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório