Meteorologia

  • 12 DEZEMBRO 2018
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 13º

Edição

Numa década, Portugal ficou sem mais de 500 estações de correios

Por outro lado, o concelho com maior número de balcões de correios é o de Lisboa, seguido por Barcelos.

Numa década, Portugal ficou sem mais de 500 estações de correios
Notícias ao Minuto

08:07 - 10/10/18 por Beatriz Vasconcelos 

Economia Dados

Num período de 10 anos, Portugal perdeu mais de 500 balcões de correio, de acordo com dados da agência de estatística portuguesa e divulgados pela Marktest. Lisboa é o concelho com maior número de estações, seguido por Barcelos. 

A redução de que aqui falamos verificou-se no espaço temporal entre 2006 e 2016. No final dessa década existiam cerca de 2.339 balcões, o que significa menos 524 estações do que em 2006, ou menos 18,3%. 

Lisboa lidera a tabela com o maior número de estações, com 61, seguida por Barcelos, que tem um total de 38, e por Sintra e Vila Nova de Gaia, ambos os concelhos com 34, segundo o mesmo relatório. 

Outra das curiosidades é que há seis concelhos que têm apenas uma estação de correios.

Os Correios de Portugal - CTT garantiram, na terça-feira, ter mais formas de atendimento em todo o país do que em 2014, apesar do fecho de estações.

"Nós temos 2.380 e muitos pontos de acesso em todo o país e até temos mais hoje do que tínhamos em 2014 e, portanto, nós estamos com mais pontos de acesso e mais próximos das populações", disse o presidente dos CTT, Francisco de Lacerda, em declarações à agência Lusa. 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório