Meteorologia

  • 17 OUTUBRO 2017
Tempo
20º
MIN 19º MÁX 20º

Edição

Temer apanhado na Operação Lava Jato. Recorda-se de que teia é esta?

O senador brasileiro Aécio Neves foi afastado do seu mandato pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e o juiz relator da Operação Lava Jato indeferiu o pedido apresentado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) para a detenção do parlamentar.

Temer apanhado na Operação Lava Jato. Recorda-se de que teia é esta?
Notícias ao Minuto

08:30 - 20/05/17 por Lusa

Mundo Brasil

O juiz Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF) e que analisa este caso em concreto, foi quem indeferiu a detenção do senador.

Candidato derrotado nas últimas eleições pela ex-Presidente Dilma Rousseff e atual presidente do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), que apoia o Governo de Michel Temer, Aécio Neves foi gravado por Joesley Batista, um dos donos da JBS, a pedir dois milhões de reais (570 mil euros) como suborno.

A Operação Lava Jato, iniciada em março de 2014 pela Polícia Federal (PF) brasileira, investiga um esquema de corrupção, branqueamento de capitais e desvio de dinheiro envolvendo a companhia estatal brasileira Petrobras.

Cronologia das fases da Operação Lava Jato e os desdobramentos da investigação:

1.ª fase - 17 de Março de 2014

A operação é iniciada pela Polícia Federal. Dezassete pessoas são presas, incluindo Alberto Youssef, 'doleiro' (pessoa que cambia dinheiro de forma ilegal) suspeito de comandar o esquema.

2.ª fase - 20 de Março de 2014

Paulo Roberto Costa, ex-diretor de abastecimento da Petrobras de 2004 a 2012, é preso sob suspeita de destruir e ocultar documentos do suposto esquema de corrupção na estatal brasileira.

3.ª fase - 23 de Abril de 2014

Após receber relatórios das investigações da Lava Jato, a Justiça aceita a denúncia contra Alberto Youssef e seis investigados na operação.

4.ª fase - 11 de Junho de 2014

Paulo Roberto Costa, depois de libertado, volta a ser preso pela Polícia Federal.

5.ª fase - 03 de Julho de2014

O juiz Sérgio Moro envia ao STF indícios da suposta relação de Youssef com o ex-Presidente e atual senador Fernando Collor (Partido Trabalhista Brasileiro/PTB).

6.ª fase - 06 de Setembro de 2014

De acordo com a imprensa brasileira, após fechar um acordo de "delação premiada" (testemunho em troca de redução da pena), Paulo Roberto Costa revelou que três governadores, seis senadores, um ministro e pelo menos 25 deputados federais foram beneficiados com pagamentos de suborno.

24 de Setembro de 2014

O Ministério Público Federal e Alberto Youssef assinam o acordo de "delação premiada".

7.ª fase "Operação Juízo Final" - 14 de Novembro de 2014

A PF cumpre mandados de prisão, busca e apreensão em vários estados, em empresas como Camargo Corrêa, OAS, Queiroz Galvão e Odebrecht. Entre os detidos está o ex-diretor da Petrobras Renato Duque.

8.ª fase - 14 de Janeiro de 2015

O ex-diretor da área internacional da Petrobras, Nestor Cerveró é preso pela Polícia Federal sob a acusação de corrupção e branqueamento de capitais.

9.ª fase -- "Operação My Way" - 05 de Fevereiro de 2015

O ex-gerente de Serviços da Petrobras Pedro Barusco estima que o PT recebeu subornos, entre 150 milhões e 200 milhões de dólares (135,5 e 180 milhões de euros), em contratos da estatal.

10.ª fase -- "Operação Que país é esse?" - 16 de Março de 2015

São presos o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque, o empresário paulista Adir Assad e Lucélio Góes.

27 de Março de 2015

A PF prende Dario Queiroz Galvão Filho, sócio da Galvão Engenharia, e Guilherme Esteves de Jesus.

11.ª fase -- "Operação A origem" - 10 de Abril de 2015

O ex-deputado André Vargas (PT) é preso. Outras pessoas, como o ex-deputado federal Luiz Argôlo, também foram detidas.

12.ª fase - 15 de Abril de2015

O tesoureiro do PT João Vaccari Neto é preso sob a suspeita de receber dinheiro de suborno de contratos da Petrobras.

22 de Abril de 2015

A Justiça condena os primeiros réus da Operação Lava Jato. São oito os condenados e entre eles estão Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef.

13.ª fase - 26 de Maio de 2015

O ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró é condenado a cinco anos de prisão pelo crime de lavagem de dinheiro.

14.ª fase -- "Operação Erga Omnes" - 19 de Junho de 2015

A PF prende os presidentes das empresas Odebrecht e Andrade Gutierrez, Marcelo Odebrecht e Otávio Marques de Azevedo, respetivamente, e outros executivos das construtoras.

15.ª fase -- "Operação Conexão Mónaco" - 02 de Julho de 2015

É preso o ex-diretor da área internacional da Petrobras Jorge Zelada. Autoridades do Principado de Mónaco bloquearam 10 milhões de euros do ex-diretor.

14 de Julho 2015

Na "Operação Politeia", um desdobramento da Lava Jato, a PF cumpre mandados de busca e apreensão na casa de seis políticos: Fernando Collor de Mello, Ciro Nogueira, Eduardo da Fonte, Mário Negromonte, Fernando Bezerra Coelho e João Pizzolati.

19 de Julho de 2015

Nove pessoas são indiciadas pela PF no inquérito da 14.ª fase da Lava Jato relacionado com a construtora Andrade Gutierrez. Entre elas, está o presidente da construtora, Otávio Marques de Azevedo.

20 de Julho de 2015

Três executivos da Camargo Corrêa são condenados por lavagem de dinheiro, corrupção e organização criminosa. No mesmo dia, a PF indicia o presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e outras sete pessoas envolvidas com a construtora.

16.ª fase -- "Operação Radioatividade" - 28 de Julho de 2015

A PF prende o diretor-presidente da Eletronuclear, Othon Luiz Pinheiro da Silva.

17.ª fase -- "Operação Pixuleco" - 03 de Agosto de 2015

O ex-ministro José Dirceu, o seu irmão e outras seis pessoas são presas. O ex-ministro é suspeito de praticar crimes como corrupção, branqueamento de capitais e associação criminosa.

18.ª fase -- "Operação Pixuleco 2" - 17 de Agosto de 2015

A Justiça condena o ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró, o 'lobista' Fernando Baiano e Júlio Camargo, ex-consultor da Toyo Setal, por corrupção e branqueamento de capitais.

20 de Agosto de 2015

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresenta uma denúncia contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), por suposto envolvimento no esquema de corrupção na Petrobras. O senador Fernando Collor de Mello também é denunciado.

11 de Setembro de 2015

A Polícia Federal pede autorização ao Supremo Tribunal Federal para tomar depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, suspeito de ter beneficiado do esquema de corrupção.

15 de Setembro de 2015

O ex-ministro José Dirceu, o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto e outras 13 pessoas são acusados por corrupção e outros crimes.

19.ª fase -- "Operação Nessum Dorma" - 21 de Setembro de 2015

A Justiça condena o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, o ex-diretor da Petrobras Renato Duque e outras oito pessoas por crimes como corrupção e branqueamento de capitais.

22 de Setembro de 2015

A Justiça condena o ex-deputado federal André Vargas, o seu irmão Leon Vargas e o publicitário Ricardo Hoffmann. Com a sentença, André Vargas, que foi vice-presidente da Câmara, é o primeiro político a ser condenado num processo da Lava Jato.

29 de Outubro de 2015

O ex-deputado Pedro Corrêa é condenado pela Justiça Federal do Paraná pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro a 20 anos e 7 meses de prisão.

20.ª fase -- "Operação Corrosão" - 16 de Novembro de 2015

A Justiça Federal no Paraná condenou o ex-deputado federal Luiz Argôlo por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Argôlo foi o terceiro político a ser condenado, após as condenações de André Vargas e Pedro Corrêa.

21.ª fase -- "Operação Passe Livre" - 24 de Novembro de 2015

A PF prende o ganadeiro José Carlos Bumlai na 21ª fase da Operação Lava Jato. O lobista e delator Fernando Baiano afirmou em depoimento que repassou dois milhões de reais a Bumlai referente a uma comissão a que o ganadeiro teria direito por supostamente pedir a intermediação de Lula em uma negociação para um contrato. O dinheiro seria usado para pagar uma dívida imobiliária de uma nora de Lula da Silva.

25 de Novembro de 2015

O senador Delcídio do Amaral (PT), líder do governo no Senado, é preso pela PF por tentar atrapalhar as apurações da Lava Jato. Também são presos o banqueiro André Esteves, do banco BTG Pactual, o chefe de gabiente de Delcídio, Diogo Ferreira, e o advogado Édson Ribeiro, que defendeu Nestor Cerveró.

Operação Catilinárias (dentro de 21ª fase) - 15 de Dezembro de 2015

A Polícia Federal cumpre mandados na casa do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Também são alvos da operação os senadores Edison Lobão (PMDB-MA), ex-ministro de Minas e Energia, e Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), e outros políticos. Batizada de Catilinárias, o nome da operação remete a discursos célebres do cônsul romano Cícero contra o senador Catilina, que planejava tomar o poder e derrubar o governo republicano

22.ª fase -- "Operação Triplo X" - 27 de Janeiro de 2016

A PF deflagra a 22ª fase da Lava Jato em SP e em SC. A operação tem como objetivo investigar suspeitos de abrir empresas offshores e contas no exterior para ocultar e disfarçar o crime de corrupção com o pagamento de propinas

19 de Fevereiro de 2016

O senador Delcídio do Amaral (PT) deixa a prisão após 87 dias. O ministro Teori Zavascki, do STF revogou a prisão preventiva e determinou o recolhimento domiciliar no período noturno e dias de folga, enquanto no pleno exercício do mandato de senador. Caso seja afastado ou cassado do mandato, Delcídio deverá ficar em prisão domiciliária até nova demonstração de ocupação lícita

23.ª fase -- "Operação Acarajé" - 22 de Fevereiro de 2016

A operação tem como alvo o publicitário baiano João Santana, responsável das campanhas da Presidente Dilma Rousseff e da campanha da reeleição do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2006. Foi decretada a prisão temporária dele e da sua mulher, permanecendo ainda presos.

03 de Março de 2016

O senador Delcídio do Amaral (PT-MS) assinou o acordo de "delação premiada" em que diz que Lula da Silva e Dilma agiram para travar a Lava Jato.

24.ª fase -- "Operação Aletheia" - 04 de Março de 2016

As autoridades investigam a relação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seus familiares com construtoras envolvidas no esquema de corrupção da Petrobras. Lula da Silva é alvo de um mandado e foi detido para prestar esclarecimentos, tendo sido libertado cerca de três horas depois.

08 de Março de 2016

A Justiça Federal condena o empresário Marcelo Odebrecht por corrupção ativa, branqueamento de capitais e associação criminosa, a 19 anos a e quatro meses de prisão. Além dele, também são condenados outros executivos e funcionários da Petrobras.

10 de Março de 2016

Promotores do Estado de São Paulo pediram a prisão preventiva de Lula da Silva relacionada com a denúncia que apresentaram sobre crimes cometidos na aquisição de um apartamento tríplex no Guarujá.

17 de Março de 2016

Lula da Silva tomou posse, em Brasília, como ministro da Casa Civil, entre protestos pró e contra o Governo um pouco por todo o país. Logo a seguir, uma decisão judicial suspende a nomeação. Lula da Silva não assume o cargo.

25.ª fase -- "Operação Polimento" - 21 de Março de 2016

A polícia judiciária portuguesa cumpriu a 25ª fase da Operação Lava Jato, em Lisboa.

O operador financeiro Raul Schmidt Felippe Junior, que estava foragido desde julho de 2015, foi preso preventivamente. Esta foi a primeira operação internacional realizada pela Lava Jato e foi batizada pelas autoridades portuguesas de 'Polimento'.

26.ª fase -- "Operação Xepa" - 22 de Março 2016

A investigação detetou o pagamento de subornos relacionados com a construção da Arena Corinthians, palco da abertura do campeonato do mundo de futebol de 2014.

23 de Março de 2016

A Polícia Federal indiciou o publicitário do PT João Santana, a mulher dele, Mônica Moura, e outros seis investigados por alegados crimes de lavagem de dinheiro, corrupção passiva e organização criminosa através de depósitos no exterior não declarados.

29 de Março de 2016

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pela investigação Lava Jato, admitiu que se equivocou ao autorizar a divulgação de escutas telefónicas entre a Presidente Dilma Rousseff e o seu antecessor, Lula da Silva.

Nos áudios divulgados, Dilma Rousseff diz a Lula da Silva que mandou alguém entregar o termo de posse do ex-Presidente como ministro da Casa Civil, para o caso de ser necessário.

As declarações foram interpretadas como uma possível combinação para garantir a imunidade de Lula da Silva, mas a Presidente esclareceu que falavam na assinatura do seu antecessor para a tomada de posse, quando ainda não era certa a presença de Lula no evento.

27.ª fase -- "Operação Carbono 14" - 01 de Abril 2016

A operação investigou um esquema de branqueamento de capitais a partir do Banco Schahin, que pode ter beneficiado o Partido dos Trabalhadores (PT). A polícia cumpriu mandados de prisões temporárias, ordens de busca e apreensão e conduções coercivas (levar para depoimento) para investigar crimes de extorsão, falsidade ideológica, fraude, corrupção ativa e passiva e branqueamento de dinheiro.

Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, foi um dos alvos de condução coerciva.

28.ª fase -- "Operação Vitória de Pirro" - 12 de Abril de 2016

A operação envolveu mandados de prisão para três pessoas, incluindo o antigo senador Gim Argello, 14 autorizações de busca e apreensão e cinco mandados de condução coercitiva.

28 de Abril de 2016

O Ministério Público Federal apresentou denúncias de corrupção e branqueamento de capitais contra Marcelo Odebrecht, herdeiro do maior grupo empreiteiro do Brasil, e o publicitário de campanhas do Partido dos Trabalhadores (PT) João Santana.

05 de Maio de 2016

O Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou, por unanimidade, a suspensão do mandato do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha. O parlamentar é acusado de usar o seu cargo para obter vantagens em benefício próprio pela Procuradoria-Geral da União num processo enviado ao STF em dezembro.

18 de Maio de 2016

A Justiça condenou o ex-ministro do PT José Dirceu a 23 anos e três meses de prisão por crimes como corrupção e branqueamento de capitais no âmbito da Operação Lava Jato.

29.ª fase -- "Operação Repescagem" - 23 de Maio de 2016

As autoridades cumpriram seis mandados de busca e apreensão, um de prisão preventiva contra João Cláudio Genu e dois de prisão temporária. Recaíram sob João Cláudio Genu, que foi tesoureiro do Partido Progressista (PP), suspeitas de distribuição de dinheiro oriundo do esquema de corrupção na Petrobras a políticos do PP.

30.ª fase -- "Operação Vício" - 24 de Maio de 2016

Esta fase incidiu sobre suspeitas de que contratos firmados pela Petrobras com duas fornecedoras de tubos podem ter sido usados para o desvio de, pelo menos, 40 milhões de reais (10,6 milhões de euros) para o pagamento de subornos entre 2009 e 2013.

As autoridades consideraram existirem fortes indícios da participação na fraude de José Dirceu, que foi ministro da Casa Civil e o "homem forte" durante o primeiro governo do ex-Presidente Lula da Silva, e do ex-diretor de Engenharia da Petrobras, Renato Duque.

O Presidente interino do Brasil, Michel Temer, demitiu o ministro do Planeamento, Romero Jucá, um dia depois de este ter pedido para suspender funções até que o Ministério Público Federal se manifestasse sobre os áudios em que aparece a falar da operação Lava Jato.

14 de Junho de 2016

O juiz do Supremo Tribunal Federal (STF) brasileiro Teori Zavascki negou o pedido de prisão do presidente do Senado, Renan Calheiros, do ex-Presidente da República José Sarney e do ex-ministro do Planeamento Romero Jucá.

A decisão surgiu em resposta a um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), que apontou tentativas de obstrução da Operação Lava Jato, com base em áudios secretos gravados pelo ex-presidente da Transpetro (subsidiária da Petrobras), Sérgio Machado.

16 de Junho de 2016

O ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, pediu a demissão, um dia após terem sido divulgadas declarações do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, em que este acusa o governante de ter recebido subornos.

23 de Junho de 2016

Paulo Bernardo, ex-ministro dos governos de Lula da Silva e de Dilma Rousseff, é preso na Operação Custo Brasil, um desdobramento da Lava Jato.

A operação investiga o pagamento de subornos, provenientes de contratos de prestação de serviços de informática, no valor de 100 milhões de reais (26,6 milhões de euros) entre 2010 e 2015.

01 de Julho de 2016

A Polícia Federal prendeu preventivamente o corretor Lúcio Bolonha Funaro, aliado do Presidente da Câmara dos Deputados afastado, Eduardo Cunha, num desdobramento da Lava Jato denominado Sépsis.

A operação também teve como alvo a empresa JBS, sob suspeita de que tenha pago subornos, através de Lúcio Bolonha Funaro, para obter recursos do fundo de investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), da estatal Caixa Económica Federal.

31.ª fase -- "Operação Abismo" - 04 de Julho de 2016

A Polícia Federal investiga crimes no contrato celebrado pelo Consórcio Novo Cenpes para a construção do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), no Rio de Janeiro.

"Operação Prypiat" (dentro da 31ª fase) - 06 de Julho de 2016

O ex-presidente da Eletronuclear Othon Luiz Pinheiro da Silva foi preso durante a Operação Pripyat, que investiga irregularidades na companhia.

32.ª fase -- "Operação Caça-fantasmas"07 de Julho de 2016

A ação investiga infrações contra o sistema financeiro brasileiro e ações de branqueamento de capitais praticadas pelo FPB Bank, do Panamá.

Nesse âmbito, foram realizadas 16 ordens judiciais, das quais sete conduções coercivas e nove mandados de busca e apreensão.

21 de Julho de 2016

O publicitário João Santana e a mulher, Mônica Moura, admitiram, perante o juiz que investiga a Operação Lava Jato, terem recebido dinheiro não declarado da campanha de Dilma Rousseff em 2010.

22 de Julho de 2016

Dilma Rousseff disse que não autorizou pagamentos de dinheiro não declarado a publicitários durante a sua campanha. "Se houve pagamento de 'caixa 2' [não declarado] para alguém, não tenho conhecimento", sublinhou.

28 de Julho de 2016

Lula da Silva enviou ao Comité de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) uma petição para tentar travar ações que considerou como "abuso de poder" do juiz Sérgio Moro.

29 de Julho de 2016

A Justiça Federal de Brasília constituiu Lula da Silva e outras seis pessoas arguidas por alegadas tentativas de obstrução à justiça na Operação Lava Jato.

Em causa está uma alegada tentativa de impedir o ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró de assinar um acordo de "delação premiada".

33.ª fase - 'Operação Resta Um' - 02 de Agosto de 2016

Esta fase da operação mirou a construtora Queiroz Galvão, suspeita de defraudar licitações da petrolífera e pagar subornos para evitar investigações parlamentares.

Foram expedidos 23 mandados de busca, dois de prisão preventiva, um de prisão temporária e seis de condução coercitiva. Entre os executivos detidos estão o ex-presidente da Queiroz Galvão Ildefonso Colares Filho e o ex-diretor Othon Zanoide de Moraes Filho.

04 de Agosto de 2016

O ex-presidente da estatal Eletronuclear Othon Luiz Pereira da Silva foi condenado a 43 anos de prisão, a pena mais pesada no âmbito da Operação Lava Jato, pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro, embaraço às investigações, evasão de divisas e participação em organização criminosa.

O ex-presidente da Eletronuclear, subsidiária da Eletrobras, recebia 1% de suborno nos contratos assinados entre a estatal e as empreiteiras Andrade Gutierrez e Engevix, para a construção da central nuclear Angra 3, no complexo nuclear de Angra dos Reis.

07 de Agosto de 2016

A revista Veja avançou que o Presidente Michel Temer pediu, em 2014, apoio financeiro ao magnata da construção Marcelo Odebrecht, preso pelo seu envolvimento no caso Lava Jato, tendo recebido quase três milhões de euros.

A revista brasileira cita parte do acordo judicial que Marcelo Odebrecht está a negociar com o Ministério Público.

"Operação Irmandade" (dentro da 33ª fase) - 10 de Agosto de 2016

O empresário Samir Assad foi preso na Operação Irmandade, lançada para investigar membros de uma organização criminosa que seria responsável pelo desvio de dinheiro público em obras da empresa do setor de energia Eletronuclear.

A ação é uma continuação da operação Pripyat, um desdobramento das investigações de corrupção na petrolífera estatal brasileira Petrobras. Ao todo, a justiça brasileira acusou mais 11 pessoas por crimes de branqueamento de capitais, formação de organização criminosa e falsidade ideológica.

31 de Agosto de 2016

Fora da Operação Lava Jato, a Presidente Dilma Rousseff é afastada do cargo e assume o vice-presidente, Michel Temer.

12 de Setembro de 2016

O deputado brasileiro Eduardo Cunha perdeu o mandato na Câmara dos Deputados (câmara baixa), por 450 manifestações a favor, 10 votos contra e nove abstenções.

14 de Setembro de 2016

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou Lula da Silva, a sua mulher, Marisa Letícia, Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, e outras quatro pessoas ligadas à mesma empresa de construção civil pelos crimes de corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro.

Lula da Silva é acusado de ter sido beneficiado com obras no imóvel, feita pela construtora. Segundo o MPF, a remodelação foi oferecida pela empresa como compensação por ações do ex-Presidente no esquema de corrupção da Petrobras.

15 de Setembro de 2016

O juiz federal Sérgio Moro condenou José Carlos Bumlai, amigo íntimo de Lula da Silva, a nove anos e dez meses de cadeia, pelos crimes de corrupção e gestão fraudulenta.

20 de Setembro de 2016

O juiz federal Sérgio Moro aceitou a acusação contra Luiz Inácio Lula da Silva por corrupção e lavagem de dinheiro, tornando-o arguido. Em causa estão alegadas irregularidades num imóvel no Guarujá.

A decisão também converteu em réus a mulher de Lula da Silva, Marisa Letícia Lula da Silva, o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto, o ex-presidente da construtora OAS, Leo Pinheiro, e outros quatro executivos daquela empresa.

34ª fase - "Operação Arquivo X" - 22 de Setembro de 2016

O ex-ministro das Finanças Guido Mantega foi detido, por ser suspeito de ter pedido pagamentos de subornos para o Partido dos Trabalhadores (PT) para auxiliar empresas investigadas pela Operação Lava Jato.

Porém, horas depois, o juiz federal Sérgio Moro, revogou a prisão temporária após saber do quadro de saúde da mulher de Guido Mantega. O magistrado justificou também que, como as buscas e apreensões nas casas e escritórios dos investigados nesta fase da Lava Jato já haviam sido realizadas, não havia necessidade de mantê-lo preso.

O Supremo Tribunal de Justiça de Portugal anulou o acórdão do Tribunal da Relação de Lisboa a autorizar a extradição para o Brasil do empresário Raul Schmidt, um dos suspeitos na investigação Lava Jato sobre crime económico.

O Ministério Público Federal (MPF) do Brasil informou que o empresário Eike Batista, considerado o homem mais rico do Brasil até perder milhares de milhões de dólares em investimentos na empresa de exploração de petróleo OGX, pode ser investigado por suposta participação nos crimes cometidos na Petrobras.

23 de Setembro de 2016

Sérgio Moro pediu à Presidência da República que analise os bens de Lula da Silva que estavam guardados no Banco do Brasil.

Em causa estão suspeitas de que "há alguns bens que, se recebidos como presentes durante o exercício do mandato de Presidente da República, talvez devessem ter sido incorporados ao acervo da Presidência".

Um juiz do Supremo Tribunal Federal autorizou a abertura de investigações preliminares a alegações de que o Presidente brasileiro, Michel Temer, procurou doações ilícitas para uma campanha em 2012.

35ª fase -- "Operação Omerta" - 26 de Setembro de 2016

A Polícia Federal prendeu Antônio Palocci, que foi ministro da Casa Civil no Governo da Presidente Dilma Rousseff e ministro das Finanças no Governo de Lula da Silva.

O ex-governante é acusado de ter intermediado créditos de um banco estatal brasileiro para a empreiteira Odebrecht investir em Angola em troca do pagamento de subornos.

Dilma Rousseff alertou que o Brasil caminha para "o estado de exceção", ao comentar o fato de ministro da Justiça, Alexandre de Moraes ter antecipado, num ato de campanha, novas ações da Lava Jato, um dia antes da prisão de Antônio Palocci.

29 de Agosto de 2016

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, alertou que três partidos estão envolvidos na "mesma organização criminosa" no âmbito da operação Lava Jato e organizavam-se internamente para cometer crimes.

A acusação envolve o PT, o Partido Progressista (PT) e o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB).

02 de Outubro de 2016

O PT, que tem sido a força política mais implicada nos esquemas de corrupção na Petrobras, foi bastante castigado na primeira volta das eleições municipais do Brasil.

05 de Outubro de 2016

A Polícia Federal indiciou Lula da Silva pelo crime de corrupção passiva, por alegadamente ter usado a sua influência para favorecer o pagamento de um suborno ao seu sobrinho Taiguara Rodrigues em contratos firmados em Angola.

06 de Outubro de 2016

O Supremo Tribunal Federal autorizou a divisão do maior inquérito da Operação Lava Jato que ali tramita, incluindo na investigação o ex-Presidente Lula da Silva, que passou assim a ser investigado por suspeita de participação em organização criminosa.

Ao todo, serão 66 investigados divididos em quatro inquéritos relativos a três partidos: PT, PP e PMDB.

Entre os investigados estão também o Presidente do Senado (câmara alta do Congresso), Renan Calheiros, e o ex-presidente da Câmara dos Deputados (câmara baixa do Congresso), Eduardo Cunha, ambos do PMDB, o mesmo partido do Presidente da República, Michel Temer, e vários ex-ministros.

10 de Outubro de 2016

O Ministério Público Federal acusou Lula da Silva pelos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro, tráfico de influência e corrupção passiva, devido a negócios em Angola.

A acusação envolveu mais 10 pessoas, entre elas o empresário Marcelo Odebrecht e o sobrinho de Lula da Silva, Taiguara Rodrigues dos Santos.

11 de Outubro de 2016

O Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social (BNDES) anunciou que estão suspensos, desde maio, os financiamentos para 25 projetos de empresas investigadas na Operação Lava Jato, entre eles obras em Angola e Moçambique.

12 de Outubro de 2016

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou que a Operação Lava Jato demonstrou que o sistema político brasileiro está completamente falido e são necessárias mudanças profundas.

13 de Outubro de 2016

Lula da Silva foi constituído arguido pela terceira vez, agora por suspeitas de organização criminosa, lavagem de dinheiro, tráfico de influência e corrupção em negócios em Angola.

A decisão envolveu também o empresário Marcelo Odebrecht, o sobrinho de Lula da Silva, Taiguara Rodrigues dos Santos, e outras oito pessoas, todos constituídos arguidos.

17 de Outubro de 2016

O Supremo Tribunal Federal indultou José Dirceu, o "homem forte" no primeiro Governo do Presidente Lula da Silva, condenado no processo Mensalão, o caso de compra de apoio de parlamentares. Porém, entretanto, ele foi condenado a 23 anos e três meses de prisão pelo Sérgio Moro.

19 de Outubro de 2016

A Polícia Federal prendeu o ex-deputado Eduardo Cunha, um político influente no país, que ficou conhecido por ter dado início ao processo de afastamento de Dilma Rousseff da Presidência.

Eduardo Cunha é suspeito de ter recebido 5 milhões de reais (1,4 milhões de euros) em subornos pagos em contas secretas na Suíça, que foram abastecidas com dinheiro desviado de contratos de exploração de petróleo da petrolífera estatal Petrobras em África.

36ª fase -- "Operação Dragão" - 10 de Novembro de 2016

A PF cumpre a 36ª fase da Lava Jato em cidades do Paraná, de São Paulo e do Ceará. A ação apura a lavagem de R$ 50 milhões para empresas já investigadas. O empresário e lobista Adir Assad, que já está preso na carceragem da PF, em Curitiba, é um dos alvos dos mandados de prisão

37ª fase -- "Operação Calicute" - 17 de Novembro de 2016

A PF deflagra a 37ª fase da Lava Jato, em operação conjunta com o Rio de Janeiro, intitulada Calicute, e prende o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral. Ele é suspeito de receber milhões em propina para fechar contratos públicos. O prejuízo estimado em obras é de mais de 220 milhões de reais (58,4 milhões de euros).

16 de Dezembro de 2016

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, a mulher e mais cinco pessoas são denunciados por envolvimento no pagamento de vantagens indevidas a partir do contrato da Petrobras com o Consórcio Terraplanagem Comperj, formado pelas empresas Andrade Gutierrez, Odebrecht e Queiroz Galvão.

19 de Janeiro de 2017

O relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Teori Zavascki, morre aos 68 anos, após a queda de um avião em Paraty, no litoral sul do Rio de Janeiro.

30 de Janeiro de 2017

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, homologa as 77 delações de executivos e ex-executivos da construtora Odebrecht. A homologação dá validade jurídica às delações.

02 de Fevereiro de 2017

O ministro Edson Fachin é escolhido como o novo relator da Operação Lava Jato no STF após um sorteio eletrónico. Ele ocupa a vaga de Teori Zavascki, o antigo relator, morto em um acidente aéreo. No mesmo dia, o juiz federal Sérgio Moro condena o 'marqueteiro' João Santana, a mulher dele e mais quatro réus em um processo da 23ª fase da Lava Jato. Entre os crimes citados na sentença estão corrupção ativa e branqueamento de capitais.

10 de Fevereiro de 2017

O ex-governador do Rio Sérgio Cabral, o empresário Eike Batista e mais sete pessoas viram réus na Operação Eficiência.

14 de Fevereiro de 2017

A Justiça Federal aceita denúncia e torna réu o ex-governador Sérgio Cabral Filho réu pela quarta vez em desdobramentos da 'task-force' da operação Lava Jato. São 184 crimes de lavagem de dinheiro. O ex-governador, a mulher dele, Adriana Ancelmo, e outras nove pessoas são acusados de lavar mais de R$ 39 milhões em 10 meses.

38ª fase -- "Operação Blackout" - 23 de Fevereiro de 2017

A PF realiza a 38ª fase da Lava Jato, que tem como alvos dois operadores ligados ao PMDB e apura o pagamento de US$ 40 milhões de propinas durante 10 anos. Segundo as investigações, entre os beneficiários há senadores e outros políticos, além de diretores e gerentes da Petrobras

14 de Março de 2017

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva presta depoimento e nega que tenha atuado para obstruir a Operação Lava Jato. Segundo Lula, há três anos ele vem sendo vítima de um 'massacre'. No mesmo dia, o diretor da Companhia de Transportes sobre Trilhos do Estado do Rio de Janeiro (RioTrilhos), Heitor Lopes de Sousa Junior, e o atual subsecretário de Turismo do estado e ex-subsecretário de Transportes, Luiz Carlos Velloso, são presos na Operação Tolypeutes., um desdobramento da Lava Jato.

Operação Satélites (dentro da 38ª fase) - 21 de Março 2017

A PF cumpre 14 mandados de busca e apreensão em Pernambuco, Alagoas, Brasília, Bahia e Rio de Janeiro. Os mandados são os primeiros com base na delação premiada da empreiteira Odebrecht e têm como alvos pessoas ligadas aos senadores Renan Calheiros (PMDB-AL), Eunício Oliveira (PMDB-CE), Valdir Raupp (PDMB-RO) e Humberto Costa (PT-PE).

39ª fase "Operação Paralelo" - 28 de Março de 2017

A fase foi batizada de Operação Paralelo em razão da ação clandestina no mercado financeiro por parte dos investigados.

30 de Março de 2017

Eduardo Cunha é condenado a 15 anos de reclusão por três crimes na Lava Jato. O ex-presidente da Câmara está preso desde outubro de 2016

11 de Abril de 2017

O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, autoriza a Procuradoria-Geral da República (PGR) a investigar 98 políticos, sendo 8 ministros, 3 governadores, 24 senadores e 39 deputados federais. Os pedidos se baseiam na chamada lista de Janot, feita com base em delações de ex-executivos da Odebrecht.

40ª fase -- "Operação Asfixia" - 04 de Maio de 2017

A PF deflagra a 40ª fase da operação com o foco em três ex-gerentes da Petrobras suspeitos de receber mais de 100 milhões reais em propinas de construtoras que eram contratadas pela petrolífera. Os alvos são investigados pela prática dos crimes de corrupção, fraude em licitações, evasão de divisas, lavagem de dinheiro, entre outros

10 de Maio de 2017

Lula da Silva é ouvido pelo juiz federal Sérgio Moro, que é um dos responsáveis pela Operação Lava Jato.

O depoimento do ex-Presidente aconteceu dentro do processo em que Lula da Silva é acusado de ter recebido, em 2009, propina da empreiteira OAS por meio da reserva e reforma de um tríplex no edifício Solaris, no Guarujá, município do litoral de São Paulo.

17 de Maio de 2017

O jornal O Globo revelou que o empresário Joesley Batista, acionista da empresa JBS, gravou uma conversa na qual o Presidente Michel Temer o autoriza a pagar um suborno pelo silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha, condenado por participação no esquema de corrupção na Petrobras, no âmbito da Lava Jato.

O chefe de Estado brasileiro confirmou o encontro com o empresário, entretanto sublinhou que "não participou e nem autorizou qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça pelo ex-parlamentar".

18 de Maio de 2017

Aécio Neves foi afastado do seu mandato pelo Supremo Tribunal Federal, e Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu a sua detenção.

Em consequência das notícias, a bolsa de São Paulo interrompeu a negociação, após quedas de cerca de 10% e a moeda brasileira, real, chegou a depreciar-se 8,82% face ao dólar às 10:40 locais (14:40 em Lisboa).

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório