Meteorologia

  • 11 DEZEMBRO 2017
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 13º

Edição

Mais de 200 mortos em massacre no Egito. Há ainda 130 feridos

Explosão seguida de tiroteio causou pelo menos 235 mortos. Mesquita sufi foi o alvo dos extremistas, numa região que enfrenta uma insurreição jihadista.

Mais de 200 mortos em massacre no Egito. Há ainda 130 feridos
Notícias ao Minuto

13:25 - 24/11/17 por Pedro Bastos Reis

Mundo Sinai

Mais de duas centenas de morreram no atentado desta sexta-feira na península do Sinai, no Egito.

O último balanço dá conta de 235 mortos e 130 de feridos, no ataque mais mortífero de sempre no Sinai.

O ataque ocorreu durante as orações desta sexta-feira, numa mesquita sufi, uma crença do islão, vista como apóstata por grupos extremistas, como por exemplo o autodesinado Estado Islâmico .

Os atacantes, a partir do exterior da mesquita de al-Rawda, fizeram explodir uma bomba. Depois, abriram fogo indiscriminadamente.

Até ao momento, o ataque ainda não foi reivindicado, mas tudo aponta para que o Daesh (acrónimo árabe para Estado Islâmico), que tem perpetrado vários ataques na região, seja responsável por este massacre.

Desde 2013, altura em que Mohamed Morsi, que chegou a presidente do país com o apoio da Irmandade Muçulmana, foi afastado do poder por um golpe militar que o Egito enfrenta uma forte insurreição jihadista. 

A península do Sinai costuma ser alvo de ataques terroristas, sendo que os alvos preferenciais são, sobretudo, militares. No entanto, centenas de civis têm morrido na onda de violência que varre a região.

O presidente egípcio,  Abdel-Fattah el-Sissi, reuniu de emergência com a forças de segurança. Foram decretados três dias de luto nacional. 

[Atualizada às 15h07]

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório