Meteorologia

  • 11 AGOSTO 2022
Tempo
25º
MIN 19º MÁX 26º

AO MINUTO: Russos não estão a sair da Ucrânia, alerta NATO

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre o conflito entre a Rússia e a Ucrânia.

AO MINUTO: Russos não estão a sair da Ucrânia, alerta NATO

Ao 36.º dia de invasão de guerra no Leste da Europa, as forças russas terão começado a retirar-se da central nuclear de Chernobyl, que tinham ocupado quase desde o início do conflito. O reposicionamento das tropas russas foi anunciada pelo Pentágono, no entanto, uma fonte citada pela agência France Presse garantiu que, apesar de as forças se estarem a retirar, não é possível perceber se "estão todos a ir embora".

Segundo o ministro da Defesa do Reino Unido, os bombardeamentos continuam no Noroeste do país, onde os russos tinham prometido "abrandar" o número de ataques como "gesto de boa vontade". Segundo fonte dos serviços de informação do Reino Unido, haverá soldados russos a desobedecer ao Kremlin, sabotando os equipamentos de guerra.

Apesar de, segundo fontes oficiais dos dois países, as negociações que decorrem na segunda-feira - e que retomarão amanhã, 1 de abril - estarem a correr de forma "positiva", o presidente da Ucrânia disse que não havia mais do que "palavras".

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a guerra na Ucrânia:

15h - Boa tarde! Este registo termina aqui. Pode continuar a acompanhar os novos desenvolvimentos sobre o conflito na Ucrânia neste novo registo.

14h41 - Rússia deixa de vender gás russo para os países que não pagarem em rublos a partir de amanhã

Vladimir Putin assinou, hoje, o decreto-lei no qual está previsto que os países vão ter que começar a pagar em rublos a empresas de gás russo, segundo avança a Reuters e AFP. Segundo a Reuters, a Rússia vai rescindir contrato com os países que não cumprirem com o acordo. O decreto-lei tem efeito a partir de amanhã.

"Para comprarem gás natural russo, vão ter [os países] que abrir contas em bancos russos", disse Putin, acrescentando que o país não vai fazer "caridade", já que ao país ninguém lhes "dá nada de graça".

14h35 - Draghi diz que Putin acha que ainda "não há condições" para cessar-fogo na Ucrânia

O primeiro-ministro de Itália disse, hoje, que o presidente da Rússia lhe disse que ainda "não havia condições" para um cessar-fogo nas várias cidades ucranianas. Em conferência de imprensa, Mario Draghi disse que "pelo que entendeu a decisão do pagamento [de bens russos em rublos] é um assunto que diz respeito à Federação Russa". "Mas posso estar errado", rematou.

Draghi acrescentou que Putin lhe disse que era "prematura" para um encontro com o seu homólogo ucraniano.

14h09 - Noruega pede a Putin fim das hostilidades e retirada de tropas
 
O primeiro-ministro norueguês, Jonas Gahr Støre, pediu hoje ao Presidente russo, Vladimir Putin, o fim das hostilidades na Ucrânia, a retirada das tropas russas e a garantia de acessos humanitários, anunciou o Governo de Oslo.

14h05 - Número de ucranianos em Portugal quase duplicaram em menos de um mês
 
Os ucranianos residentes em Portugal quase duplicaram em menos de um mês, depois do SEF ter concedido até hoje mais de 25.000 pedidos de proteção temporária a pessoas que fugiram da guerra da Ucrânia.
  

14h - 83% dos russos aprova ação militar de Putin
 
Cerca de 83% dos russos aprova a ação militar de Vladimir Putin, um ganho de 12 pontos face a fevereiro, segundo um inquérito divulgado hoje pelo instituto russo independente Levada, a primeira sondagem realizada desde o início da guerra.

13h50 - Forças de Mísseis Estratégicos iniciam manobras no sul da Rússia
 
As Forças de Mísseis Estratégicos russas iniciaram hoje manobras de grande envergadura na região de Oremburgo, sul da Rússia, com a participação de três mil efetivos e 300 sistemas de combate no contexto da "operação especial militar" na Ucrânia. 

13h41 - Moscovo diz que os EUA não percebem nada sobre como funciona o Kremlin
 
O  porta-voz do Kremlin  disse, hoje, que os Estados Unidos não percebem nada do funcionamento do poder na Rússia.

13h26 - Momentos mais importantes de cinco semanas de guerra
 
A invasão da Ucrânia pela Rússia começou há cinco semanas e já provocou a morte de centenas de civis e a fuga das suas casas de 10 milhões de ucranianos. Sai aqui quais quais foram os momentos mais marcantes deste conflito

12h34 - Secretário-geral da NATO diz que forças russas não estão a sair da Ucrânia, mas sim a reposicionar-se nas regiões separatistas

Jens Stoltenberg disse, esta quinta-feira, que as forças russas não estão a retirar-se da Ucrânia, mas sim a reposicionar-se nas zonas separatistas de Donetsk e Luhansk, segundo avança o Financial Times. "A brusca invasão de Putin é chocante, mas não é uma surpresa", disse o responsável da NATO durante a apresentação do relatório anual, em Bruxelas.

Stoltenberg lembrou que a Rússia não estava a cumprir com o que tinha prometido, quando falou em abrandar os ataques no Norte da Ucrânia e alertou as tropas invasoras estão a preparar-se para causar "ainda mais sofrimento", segundo os dados recolhidos pelos serviços de inteligência. "A Rússia mente repetidamente sobre as suas intenções. Por isso, só podemos julgar a Rússia pelas suas ações e não pelas suas palavras", rematou.

12h29 - Base militar em Dnipro atacada

O governador de Dnipro anunciou que uma base militar foi atacada hoje. Segundo Valentyn Reznichenko, duas pessoas morreram e cinco ficaram feridas. Recorde-se que o presidente da câmara da cidade deu uma entrevista à Lusa na qual falou de Roman Abrahamovich.

12h22 - Sobe para 16 o número de mortos do ataque a prédio do governo em Mykolaiv
 
O anterior balanço dava conta de 33 feridos e a atualização não refere que o número tenha aumentado

12h15 - Separatistas reclamam controlo de grande parte do leste ucraniano
 
Separatistas pró-russos da região ucraniana de Donbass disseram hoje que controlam quase todo o território da autoproclamada república de Lugansk e mais de metade do de Donetsk, uma das prioridades militares das forças que invadiram a Ucrânia. 
  

12h10 - TAP adia relançamento de voos para a Rússia previsto para verão
 
A TAP adiou, hoje, o relançamento dos voos para a Rússia, previsto para o verão, devido à guerra da Ucrânia causada pela invasão russa, prevendo ainda assim um verão com mais de 85% de capacidade operacional.

11h57 - Ucrânia acusa quase 3.500 militares de crimes de guerra

O conselheiro de Volodymyr Zelensky anunciou, esta quinta-feira, que a Ucrânia processou 3.457 militares russos devido à invasão no país. Segundo Mykhailo Podoliak escreveu no Twitter, os processos com mais graves estão relacionados com "mortes, violência em massa, abuso de menores e tortura". O principal responsável pelas negociações de paz entre os dois países escreve ainda que as consequências para a Rússia serão "catastróficas".

11h34 - 134 mil recrutas juntam-se ao exército russo

O ministro da Defesa russo anunciou, esta quinta-feira, que o exército terá mais 134 mil recrutas, mas garantiu que estes não serão enviados para zonas de conflito na Ucrânia. "A maioria dos militares irão para locais de treino por três a cinco meses. Sublinho que os militares não são enviados para zona de conflito", rematou.

11h25 - Reino Unido adiciona  nomes russos à lista de sancionados. Maioria fazem parte dos média 

O Reino Unido sancionou, esta quinta-feira, mais 14 pessoas em resposta à invasão das tropas russas na Ucrânia. Segundo a Sky News, a maioria fazem parte dos média russos. O diretor-executivo  da empresa Gazprom-Media, o diretor-geral da Russia Today e o responsável pela Sputnick Internacional foram sancionados, assim como Mikhail Mizintsev, o coronel russo que ficou conhecido como 'o carniceiro de Mariupol'.

11h11 - Taiwan vai 'estudar lição' para aprender a defender-se de eventual da China

Responsáveis pelo ministério da Defesa de Taiwan vão reunir-se para examinar o conflito na Ucrânia, incluindo a forma como o país tem conseguido resistir à invasão.

11h05 - Pelo menos 380 crianças morreram ou ficaram feridas desde o início do conflito

A vice-primeira-ministra da Ucrânia anunciou, esta quinta-feira, que pelo menos 148 crianças morreram e outras 232 terão ficado feridas. Ainda segundo o balanço partilhado por Iryna Venediktova, 797 instituições de ensino no país foram danificadas, entre as quais 76 ficaram destruídas.

10h59 - Zelensky pede ajuda aos Países Baixos para "adotar cidade na Ucrânia" e ajudar a reerguê-la quando o conflito acabar

Depois de pedir aos parlamentares da Austrália para não deixaram de sancionar a Rússia, o presidente da Ucrânia pediu armamento aos deputados dos Países Baixos. Durante a reunião, que decorreu em videoconferência, Volodymyr Zelensky pediu ajuda para reconstruir a Ucrânia quando o conflito terminar.

10h55 - Ucraniano preso no México passa os dias no telefone à procura do pai
 
Valerii Gorpenko, um ucraniano preso no México, fica sobretudo no seu hotel, nas redes sociais em busca de notícias do seu pai idoso, desaparecido em Mariupol.

10h43 - Missão da Cruz Vermelha a caminho de Mariupol

Um porta-voz da Cruz Vermelha anunciou que deverá começar uma operação amanhã em Mariupol. Segundo Ewan Watson contou à Reuters, falta apenas acerctar as horas, duração e como vão chegar de forma segura à cidade, que é uma das mais afetadas pelo conflito. "Dezenas de milhares" de pessoas dependem do sucesso desta missão, diz o responsável.

10h32 - Bruxelas faz inspeções sem aviso prévio ao setor do gás na Alemanha
 
A Comissão Europeia confirmou hoje ter realizado inspeções sem aviso prévio a empresas do setor do gás natural na Alemanha por temer abuso de posição dominante, proibida pelas regras concorrenciais da União Europeia (UE), suspeita que investiga.

10h07 - Brasil oferece-se para substituir dependência energética europeia
 
O ministro da Economia do Brasil, Paulo Guedes, salientou que o seu país pode ser "a solução" para a Europa resolver os seus problemas geoestratégicos de abastecimento energético e agrícola após a guerra na Ucrânia.

9h57 - Mulher chora ao encontrar-se com soldados ucranianos
 
Soldado ucraniano de Kherson partilhou momento nas redes sociais.

9h52 - Guerra limita operação de transportadoras da UE e fabrico de peças
 
A Airlines for Europe (A4E), a maior associação de companhias aéreas na União Europeia (UE), admite que a guerra da Ucrânia limita a operação das transportadoras, principalmente do nordeste da Europa, afetando ainda a produção de peças aeroespaciais.

9h49 - Setor aéreo europeu otimista com verão apesar de guerra e crise
 
A Airlines for Europe (A4E), a maior associação de companhias aéreas na Europa, diz que o setor está otimista relativamente ao próximo verão, mas admite incertezas pela "situação volátil" da Ucrânia e aumento da inflação, que afetam a procura.

9h42 - Turquia diz que reunião entre ministros dos Negócios Estrangeiros da Rússia e da Ucrânia pode ser possível

O MNE da Turquia, Meylut Cavusoglu, anunciou hoje que a reunião entre os dois responsáveis, Serguei Lavrov e Dmytro Kuleba, poderá acontecer nas próximas duas semanas

9h34 - Militares russos que estão a sair de Chernobyl apresentam sintomas de envenenamento por radiação, avança o Guardian

Os soldados russos que estão a deixar Chernobyl estarão a ser levados para instalações médicas especiais na Bielorrússia, segundo o Guardian. De acordo com a publicação, os soldados terão apresentado sintomas de envenenamento por radiação, após terem alegadamente construído trincheiras na zona de exclusão de Chernobyl.

9h25 - Rússia "isolada" na ONU depois de avaliarem 'linhas vermelhas'
 
A Rússia encontra-se isolada na Organização das Nações Unidas (ONU), tendo sido abandonada até por importantes países aliados, que consideram que foram ultrapassadas 'linhas vermelhas' com a guerra na Ucrânia, disse à Lusa fonte diplomática.

9h20 -  Turquia reconhece que nem todas as decisões que saíram das negociações de paz foram cumpridas

O ministro dos Negócios Estrangeiros, que esteve presente nas negociações entre a Rússia e a Ucrânia na segunda-feira, reconheceu que nem todas as decisões discutidas foram realizadas. Segundo a Reuters, que cita um discurso de Mevlut Cavusoglu emitido num canal turco, o responsável deu o exemplo da promessa russa de retirada das tropas, que não foi cumprida. 

9h15 - Organizações nos Estados Unidos preparam acolhimento de refugiados

Os Estados Unidos preparam-se para receber até 100 mil refugiados da Ucrânia, tendo a sociedade civil de cidades como Sacramento e Seattle se mobilizado para garantir alimentos, abrigo e apoios às vítimas da invasão russa. 

9h11 - Ucranianos refugiam-se no México na esperança de chegar aos EUA

Os ucranianos que chegaram recentemente ao México após terem fugido da invasão russa esperam pela sua vez para tentar entrar nos EUA no Porto de Entrada de San Ysidro na fronteira EUA-México, em Tijuana.

9h09 - Anonymous prestes a desvendar ficheiros sensíveis sobre a Rússia
 
O grupo de ‘hackers’ tem realizado ataques informáticos a organizações russas como forma de protestar contra a invasão da Ucrânia.

9h04 - Reino Unido prevê guerra intensa junto a Kyiv "nos próximos dias"

Segundo o ministério da Defesa, as tropas russas não deverão reduzir os ataques ucranianos esta semana.

9h - Ucrânia diz que abateu quatro aviões russos em Kharkiv

A Força Aérea ucraniana terá derrubado quatro aviões russos na quarta-feira, de acordo com o relatório diário das Forças Armadas ucranianas. Os aviões terão sido atingidos pela defesa ucraniana na região de Kharkiv, e segundo as forças, seriam caças-bombardeiros Su-34.

8h57 - 17 dos 48 autocarros rumo a Mariupol partiram de Zaporizhzhia

A informação foi dada pela vice-primeira-ministra da Ucrânia e, segundo a agência France-Press, as restantes 28 viaturas vão partir de Vasylivka, que fica junto a Zaporizhzhia.

8h45 - Organização que luta por diretos LGBT+ começa angariação de fundos

A Organização não governamental All Out começou uma angariação de fundos para apoiar a comunidade LGBT+ ucraniana afetada pelo conflito. Segundo o diretor da ONG, os fundos servirão para comida, água, medicação, apoio jurídico e habitação. "Estamos a falar de pessoas que estão a enfrentar vários traumas. Estão a sair da Ucrânia, um país homofóbico e transfóbico devastado pela guerra, para a Polónia, outro país que, enquanto está em paz, é semelhante anti-LGBT", disse Matt Beard, explicando os fundos seria utilizados tanto na Ucrânia como nos países vizinhos.

8h35 - Zelensky participa em sessão parlamentar na Austrália

O presidente da Ucrânia dirigiu-se, esta quinta-feira, ao parlamento da Austrália, sublinhando a importância de combater o risco de um desastre nuclear.  "Ninguém, em qualquer parte do mundo, pode dizer que está a salvo da contaminação radioativa que surgirá, caso sejam usadas armas nucleares", disse Volodymyr Zelensky, acrescentando que os países que estão a ponderar invadir os "países vizinhos" conseguirão ver que isso é possível se a Rússia não for travada agora. "O futuro da segurança a nível global está a ser decidido agora", rematou.

8h25 - Ucrânia. Kyiv vai enviar 45 autocarros para retirar civis de Mariupol
 
Kyiv vai enviar 45 autocarros para retirar civis de Mariupol, uma cidade no sudeste da Ucrânia, para onde Moscovo anunciou uma trégua, disse hoje a vice-primeira-ministra ucraniana, Iryna Verechtchuk.

8h22 - "Portugueses, russos nunca são de confiança", avisa responsável de Dnipro
 
O presidente da Câmara de Dnipro, a quarta maior da Ucrânia, alertou hoje que Portugal deve ajudar a parar a Rússia e apontou a cidadania portuguesa atribuída a Roman Abramovich como exemplo de "dinheiro sujo" que contamina as democracias ocidentais.

8h20 - Chefe da 'intel' militar francesa sai por desempenho insuficiente
 
O chefe dos serviços de informações militares franceses, o general Eric Vidaud, vai sair do cargo, depois do que foi considerado um desempenho insuficiente a propósito da invasão russa da Ucrânia.

8h18 - Tártaros da Crimeia exigem que península regresse ao território ucraniano
 
Representantes dos tártaros da Crimeia exigiram na quarta-feira que o regresso à Ucrânia daquela península anexada pela Rússia em 2014 seja uma das condições estabelecidas por Kyiv nas negociações com Moscovo para terminar o conflito.

8h15 - Guerra é oportunidade para rever "arquitetura militar permanente" dos EUA
 
A invasão militar russa da Ucrânia é uma oportunidade para rever a "arquitetura militar permanente" dos Estados Unidos no leste da Europa, afirmou na quarta-feira o principal comandante militar da NATO e do comando europeu das tropas norte-americanas, Tod Wolters.
  

8h11 - Presidente ucraniano discursa perante o Congresso espanhol a 5 de abril
 
O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, vai discursar, por videoconferência, no Congresso de Espanha a 5 de abril, revelou a presidente da câmara baixa do parlamento, Meritxell Batet.

8h07 - Lavrov considera "avanço positivo" negociações com autoridades ucranianas
 
O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergey Lavrov, considerou, na quarta-feira, um "avanço positivo" as negociações com a Ucrânia em Istambul, nas quais Kyiv apresentou propostas para a solução do conflito que atendem às principais exigências do Kremlin.

8h - Invasão russa mostra "inoperância" do sistema de direito internacional
 
O presidente da Câmara de Dnipro, a quarta maior da Ucrânia, afirmou hoje à Lusa que a "inoperância" das organizações internacionais perante a invasão russa revela a falência do sistema de direito internacional que garantiu a paz global desde a II Guerra Mundial.

7h58 - Autarca de Kharkiv diz que Rússia destruiu 15% das casas da cidade
 
As tropas russas destruíram 15% das casas em Kharkiv, no nordeste da Ucrânia, informou o autarca da cidade, Ihor Terkehov, numa transmissão televisiva, citado pela agência noticiosa ucraniana Ukrinform.

7h55 - EUA e UE juntos para garantir que Putin vai prestar contas pela invasão
 
Representantes do governo dos Estados Unidos (EUA) e da União Europeia (UE) reuniram-se, na quarta-feira, em Washington, e comprometeram-se a trabalhar em conjunto para que o presidente russo preste contas pela invasão da Ucrânia.

, 7h52 - Soldados russos desobedecem a ordens e sabotam próprio equipamento
 
Um responsável dos serviços de informação do Reino Unido disse, hoje, que há soldados russos desmoralizados na Ucrânia a desobedecer a ordens e a sabotar o próprio equipamento, tendo abatido acidentalmente um dos seus aviões.

7h45 - Zelensky exige a diplomatas mais armas para Kyiv e sanções para Moscovo
 
O presidente ucraniano exigiu hoje a diplomatas que garantam mais armas para a Ucrânia e mais sanções internacionais contra a Rússia, avisando-os de que "podem começar a procurar outro trabalho" em caso de insucesso.

7h42 - Para recordar:

7h30 - Bom dia! Iniciamos um novo acompanhamento AO MINUTO dos acontecimentos mais importantes sobre o conflito entre a Rússia e a Ucrânia. Pode recordar aqui o registo anterior. 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório