Meteorologia

  • 28 SETEMBRO 2022
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 22º

Soldados russos desobedecem a ordens e sabotam próprio equipamento

Um responsável dos serviços de informação do Reino Unido disse hoje que há soldados russos desmoralizados na Ucrânia a desobedecer a ordens e a sabotar o próprio equipamento, tendo abatido acidentalmente um dos seus aviões.

Soldados russos desobedecem a ordens e sabotam próprio equipamento

Jeremy Fleming, que dirige a agência de espionagem eletrónica GCHQ, fez estas declarações na capital australiana, Camberra.

O Presidente russo, Vladimir Putin, aparentemente, "julgou substancialmente mal" a invasão, disse.

"É evidente que ele julgou mal a resistência do povo ucraniano. Ele subestimou a força da coligação que as suas ações iriam galvanizar. Subestimou as consequências económicas do regime de sanções, e sobrestimou as capacidades dos seus militares para assegurar uma vitória rápida", defendeu.

"Vimos soldados russos, com falta de armas e moral, recusarem-se a cumprir ordens, sabotarem o próprio equipamento e até a abaterem acidentalmente um dos seus aviões", acrescentou.

Fleming elogiou a "operação de informação" do Presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, por ser altamente eficaz na luta contra a campanha maciça de desinformação da Rússia.

Embora houvesse expetativas de que a Rússia ia lançar um grande ataque cibernético como parte da campanha militar, Fleming disse que tal movimento nunca foi uma parte central da estratégia padrão de Moscovo para a guerra.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que matou pelo menos 1.189 civis, incluindo 108 crianças, e feriu 1.901, entre os quais 142 crianças, segundo os mais recentes dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real de vítimas civis ser muito maior.

A guerra provocou a fuga de mais de 10 milhões de pessoas, incluindo mais de 4 milhões de refugiados em países vizinhos e quase 6,5 milhões de deslocados internos.

A ONU estima que cerca de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária na Ucrânia.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Leia Também: Zelensky exige a diplomatas mais armas para Kyiv e sanções para Moscovo

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório