Meteorologia

  • 21 AGOSTO 2019
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 21º

Edição

Igreja ucraniana recebe decreto de independência do patriarca de Istambul

O Presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko (na imagem), e o chefe da recém-criada Igreja ortodoxa autocéfala ucraniana, metropolitano Epifânio, viajam para Istambul no sábado para receber o 'tomos' (decreto) sobre a independência da Igreja ucraniana, informaram hoje fontes oficiais.

Igreja ucraniana recebe decreto de independência do patriarca de Istambul

A delegação ucraniana, que permanecerá dois dias na Turquia para a cerimónia de entrega do 'tomos' presidida pelo patriarca de Constantinopla Bartolomeu I, também incluirá o presidente do parlamento do país, Andrei Parubiy.

De acordo com o Executivo de Kiev, Poroshenko e Parubiy têm previstos encontros no sábado com o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, e com Bartolomeu I.

O comunicado oficial acrescenta que os membros da delegação "também vão participar na cerimónia da entrega do 'tomos' por parte do patriarca ecuménico Bartolomeu", seguida de uma oração na catedral ortodoxa de São Jorge em Istambul.

No domingo, terá lugar a cerimónia oficial da entrega do decreto sobre a autocefalia da Igreja ucraniana, que também contará com a participação de todos os membros da delegação ucraniana.

De seguida, Bartolomeu I e Epifânio celebrarão uma liturgia conjunta, acrescenta o comunicado.

A Ucrânia celebrou em 15 de dezembro um concílio de unificação no qual proclamou a sua independência face ao Patriarcado de Moscovo e nomeou um novo líder, Epifânio (Dumenko), de 39 anos.

A Igreja ortodoxa russa rejeitou categoricamente o reconhecimento deste concílio e denunciou a sua politização.

As atuais tensões tiveram origem numa decisão do Patriarcado universal de Constantinopla (atual Istambul), que em outubro de 2018 anulou o "tomos" que vinculava a Igreja ucraniana à russa desde 1686.

Até agora existiam três Igrejas ortodoxas que rivalizam na Ucrânia: uma dependente de Moscovo, que é maioritária, uma segunda do patriarcado de Kiev, e a última minoritária, que se tornou independente da Rússia em 1920 e que se autoproclamou Igreja Autocéfala Ortodoxa da Ucrânia.

No sínodo realizado em 15 de dezembro em Kiev, participaram essencialmente membros do patriarcado de Kiev e da Igreja Autocéfala Ortodoxa da Ucrânia.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório