Meteorologia

  • 10 DEZEMBRO 2019
Tempo
15º
MIN 6º MÁX 15º

Edição

Recorde de chamadas à revisão na China devido aos airbags da Takata

As chamadas à revisão alcançaram este ano um novo recorde na China, envolvendo mais de 22 milhões de veículos, devido em grande medida aos problemas nos 'airbags' do fabricante japonês Takata, revelam dados oficiais.

Recorde de chamadas à revisão na China devido aos airbags da Takata
Notícias ao Minuto

06:44 - 31/12/17 por Lusa

Economia Veículos

No total, 22,8 milhões de veículos foram objeto de 251 chamadas à revisão em 2017, traduzindo um aumento de 77% face ao ano anterior, indicam dados da Administração Geral de Supervisão de Qualidade, Inspeção e Quarentena da China divulgados na noite de sábado pela agência de notícias oficial Xinhua.

Só os 'airbags' da Takata estiveram na origem de chamadas à revisão envolvendo 9,87 milhões de veículos de 29 fabricantes automóveis, detalhou o diretor do departamento de inspeção daquele organismo, Yan Fengmin.

Yan Fengmin destacou ainda que, nos últimos três anos, o número de viaturas chamadas à revisão aumentou a um ritmo superior a 50% em termos anuais.

A China, o maior mercado automóvel do mundo, é o segundo país com mais chamadas à revisão, a seguir aos Estados Unidos.

Defeitos nos 'airbags', problemas no motor, deficiências na direção e falhas no sistema elétrico figuram como os principais motivos por ordem de importância das chamadas à revisão de veículos na China.

O fabricante japonês de 'airbags' Takata declarou insolvência em junho devido aos avultados prejuízos causados pelos seus dispositivos de segurança defeituosos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório