Meteorologia

  • 16 JULHO 2020
Tempo
39º
MIN 25º MÁX 39º

Edição

Lisgráfica volta aos prejuízos em 2019 atingindo 5,4 milhões

A Lisgráfica, grupo de impressão de jornais e revistas, voltou aos prejuízos no ano passado, com resultados líquidos de 5,4 milhões de euros negativos, face aos lucros de 8,2 milhões de euros registados em 2018, adiantou a empresa.

Lisgráfica volta aos prejuízos em 2019 atingindo 5,4 milhões
Notícias ao Minuto

20:17 - 03/06/20 por Lusa

Economia Lisgráfica

No seu relatório e contas consolidado de 2019, publicado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Lisgráfica referiu que houve uma "uma quebra generalizada de vendas, nos segmentos de publicações, em especial revista", nos quais "o decréscimo é mais significativo".

A Lisgráfica justificou esta queda com "a saída de algumas publicações" e uma "redução generalizada a nível das tiragens".

Assim, a faturação líquida do grupo atingiu os 13,2 milhões de euros, uma queda de 12,2% face a 2018, indicou a empresa.

O EBITDA (resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações) atingiu os 269 mil euros, uma melhoria face aos 327 mil euros negativos registados em 2018.

A empresa indicou ainda que houve uma redução de custos com pessoal, de 22% face ao ano anterior, "pelo facto de no final do primeiro semestre ter havido uma redução do número de trabalhadores, por via de despedimento coletivo e rescisões por mútuo acordo. No final do ano anterior a empresa tinha 196 trabalhadores e no final deste exercício o número é de 125", de acordo com o documento.

Para 2020 e tendo em conta o covid-19, a empresa espera "um impacto elevado a nível de trabalhos comerciais (catálogos e folhetos), os quais no 2.º trimestre foram na sua maioria suspensos", referiu.

"Este facto vai agravar a já débil situação deste setor, estimando-se uma redução de faturação acima dos dois dígitos, mas difícil de quantificar no contexto atual", segundo o grupo.

"Tendo em consideração estas circunstâncias, a empresa Lisgráfica revê em baixa as expectativas previstas no plano de recuperação para os próximos anos, antecipando um esforço redobrado para cumprimento dos compromissos financeiros", lê-se no documento.

Em junho de 2017, a empresa apresentou um Plano Especial de Revitalização (PER), com o objetivo de recalendarizar o seu passivo, o qual foi aprovado pelos credores em 20 de dezembro de 2017 e homologado em 19 de fevereiro de 2018, adiantou a empresa, no seu relatório e contas relativo a 2017.

Em 13 de abril de 2018, e no seguimento de recurso interposto por alguns credores, o tribunal veio anular a sentença de homologação e definir prazo para nova votação do PER apresentado pela Lisgráfica.

Esta situação não foi inédita, uma vez que, no final de 2012, a empresa também tinha aderido a um PER para renegociar com os credores as dívidas e evitar a falência.

Em maio de 2013, os credores aprovaram o plano de viabilização da Lisgráfica, que contemplou uma reestruturação do passivo da empresa e previa um redimensionamento.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório