Meteorologia

  • 26 SETEMBRO 2018
Tempo
28º
MIN 27º MÁX 29º

Edição

'A Forma da Água' venceu quatro Óscares e o cinema venceu fronteiras

Guillermo del Toro em destaque nesta 90.ª cerimónia de entrega dos prémios da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos, vencendo a categoria de Melhor Filme e Melhor Realizador. "Isto é uma porta, deitem-na abaixo e entrem", suplicou o mexicano, dirigindo-se aos jovens artistas.

'A Forma da Água' venceu quatro Óscares e o cinema venceu fronteiras

Num país fortemente atento às fronteiras geográficas, o cinema provou esta noite de domingo que a arte não as conhece. Guillermo del Toro, mexicano, "um imigrante", como o próprio definiu, sagrou-se no vencedor da noite ao conseguir quatro Óscares para 'The Shape of Water' ('A Forma da Água'), incluindo Melhor Realizador e Melhor Filme.

"Quero dedicar isto a cada jovem realizador, à juventude que nos mostra como se fazem as coisas. A sério, eles fazem-no. Em todos os países do mundo. Eu era um miúdo apaixonado por filmes. Enquanto crescia, no México, pensei que isto nunca poderia acontecer, mas acontece, e digo-vos: todos os que sonham com a parábola de usar o género fantasia para contar histórias de coisas que são reais no mundo de hoje, [saibam que] é possível. Isto é uma porta, deitem-na abaixo e entrem", disse o autor, no seu discurso.

Já antes, ao vencer a categoria de Melhor Realizador, referiu o facto de ser imigrante e ficar contente por ver que a indústria cinematográfica continua a "apagar as linhas na areia enquanto o mundo as tenta decalcar", numa alusão à conturbada relação entre a administração Trump e o México.

A vitória de del Toro como Melhor Realizador é, inclusive, um marco para o México: em apenas cinco anos, o Óscar de Melhor Realizador foi entregue a um mexicano por quatro vezes (Alfonso Cuáron, por ‘Gravity’, em 2014, e Alejandro González Iñarritu, por ‘Birdman’ e ‘The Revenant’, em 2015 e 2016, respetivamente).

Mais ainda: além de assistirmos ao primeiro filme do género fantasia a ganhar Melhor Filme em 15 anos (o último foi ‘Lord of The Rings - The Return of the King’, em 2003), é também o primeiro filme com uma protagonista feminina a vencer esta categoria em 14 anos (o último foi 'Million Dollar Baby', em 2004).

No que respeita a vencedores, Frances McDormand conquistou o galardão de Melhor Atriz e Gary Oldman o de Melhor Ator, como era esperado. Sam Rockwell e Allison Janney venceram na categoria de Ator e Atriz Secundária. 'Three Billboards Outside Ebbing, Missouri' acabou a noite com duas estatuetas, atrás de 'Dunkirk', que conseguiu três, embora em categorias técnicas. Uma das melhores surpresas - esperadas - da noite foi a vitória de 'Get Out', de Jordan Peele, na categoria de Melhor Argumento Original.

'Darkest Hour' e 'Blade Runner 2049' conseguiram ambos dois Óscares, 'Call Me By Your Name' e 'Phantom Thread' conseguiram um. Entre os nove filmes nomeados para Melhor Filme, apenas 'Lady Bird' e 'The Post' saíram do Teatro Dolby sem nenhuma estatueta.

A 90.ª cerimónia de entrega dos prémios da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos ocorreu sem os percalços do ano anterior mas nem por isso foi menos importante. Pelo contrário, várias foram as estrelas a surgir com o pin do fundo Time's Up na lapela, tendo sido incluído na cerimónia um vídeo protagonizado por vários membros da indústria, onde apelam a um futuro mais inclusivo e igualitário para mulheres e minorias

Os discursos de apresentadores e premiados, incluindo a galvanizante mensagem passada por Frances McDormand ao receber o Óscar, pedindo a todas as mulheres que se levantassem e que fossem notadas, ou o apelo feito por Ashley Judd por um mundo mais justo para as mulheres, denotaram uma vontade de mudança que parece ter vindo para ficar. Num outro tema, os atores Lupita Nyong'o, queniana, e Kumail Nanjiani, paquistanês, fizeram um apelo pelos jovens indocumentados, os chamados 'dreamers'.

Confira abaixo os vencedores por categoria e os principais momentos da noite:

  •  O discurso de Guillermo del Toro após vencer Melhor Filme:

  • MELHOR FILME: 'The Shape of Water', de Guillermo del Toro. Era o filme mais nomeado. Vence na principal categoria e conquista um total quatro estatuetas. Depois da épica troca de envelopes no ano passado, Guillermo del Toro quis certificar-se de que 'The Shape of Water' era mesmo o título do filme que estava escrito.

  • MELHOR ATRIZ: Frances McDormand, por 'Three Billboards Outside Ebbing, Missouri'. Num emocionado e galvanizante discurso, Frances coloca todas as mulheres no Teatro Dolby de pé para dizer que "todas têm histórias para contar e projetos que precisam de financiamento". É o primeiro Óscar para a atriz de 60 anos.

  • MELHOR REALIZADOR: Guillermo del Toro vence o Óscar de Melhor Realizador por 'The Shape of Water'. "Sou um imigrante, como o Alfonso [Cuarón], como a Salma [Hayek]", começa por dizer o mexicano, num curto discurso, onde aponta que o cinema lhe permite viver num país sem fronteiras. É o primeiro Óscar para del Toro e o terceiro prémio da noite para 'The Shape of Water'.

  • Apresentado o segmento 'In Memoriam', onde são apresentados os artistas falecidos no último ano.
  • MELHOR CANÇÃO: 'Remember Me', do filme 'Coco'.
  • MELHOR BANDA SONORA ORIGINAL: 'The Shape of Water', por Alexander Desplat. É o segundo Óscar para Desplat, que ganhou antes com o filme 'The Grand Budapest Hotel', em 2015.

  • Keala Settle interpreta 'This is Me', nomeada para Melhor Canção pelo filme 'The Greatest Showman', realizado por Michael Gracey.

  • Academia reserva um pequeno espaço para dedicar um vídeo de homenagem aos militares, recordando filmes que "honram histórias de militares", num bizarro momento que surge sem qualquer contexto.
  • MELHOR FOTOGRAFIA: 'Blade Runner 2049', por Roger A. Deakins. Primeiro Óscar para Deakins na sua 14.ª nomeação. Esteve nomeado na mesma categoria em filmes como 'The Shawshank Redemption', 'Fargo', 'Oh Brother, Where Art Thou?', 'The Man Who Wasn't There', 'No Country For Old Men' ou 'Sicario'. Segunda estatueta para 'Blade Runner 2049'.

  • "Quero agradecer à minha mãe que ensinou o amor, mesmo na face do ódio", afirmou Jordan Peele, no seu discurso.
  • MELHOR ARGUMENTO ORIGINAL: Jordan Peele, por 'Get Out'. Peele, aos 39 anos de idade, é o primeiro afro-americano a ver um filme seu nomeado nas três principais categorias: Melhor Filme, Melhor Argumento Original, Melhor Realizador. É o primeiro Óscar para 'Get Out', um dos maiores sucessos do ano passado. 

  • MELHOR ARGUMENTO ADAPTADO: 'Call Me By Your Name', por James Ivory. É o primeiro Óscar para o autor de 89 anos de idade, o mais velho a receber a estatueta. Ivory já foi nomeado três vezes, sempre na categoria de Melhor Realizador. Esta nomeação, na categoria de Melhor Argumento Adaptado, foi a quarta.
  • Ashley Judd, Salma Hayek e Annabella Sciorra fazem um discurso sobre o movimento Me Too. "Igualdade, diversidade, inclusão", refere Judd, num momento "cheio de emoção", antes de passar um videoclipe com testemunhos de várias mulheres e homens da indústria cinematográfica. Mira Sorvino, Geena Davies, Yance Ford, Sarah Silverman, Ava DuVernay, Barry Jenkins, Lee Daniels, Greta Gerwig falam sobre o futuro das mulheres e das minorias no cinema.
  • Jimmy Kimmel faz uma pequena rábula com as pessoas que estavam a ver um filme num cinema ao lado.

  • Andra Day e Common interpretam 'Stand Up for Something', canção nomeada pelo filme 'Marshall', realizado por Reginald Hudlin.

  • MELHOR CURTA-METRAGEM: 'The Silent Child', Chris Overton e Rachel Shenton.
  • MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTAL: 'Heaven is a Traffic Jam on the 405', de Frank Stiefel.
  • MELHOR MONTAGEM: 'Dunkirk', por Lee Smith.
  • MELHORES EFEITOS VISUAIS: 'Blade Runner 2049', por John Nelson, Gerd Nefzer, Paul Lambert e Richard R. Hoover.
  • Surfjan Stevens interpreta 'Mistery of Love', tema de 'Call Me By Your Name', nomeada para Melhor Canção Original. A acompanhá-lo está Annie Clark (St. Vincent).

  • MELHOR FILME DE ANIMAÇÃO: 'Coco', de Lee Unkrich e Darla K. Anderson.
  • MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO: 'Dear Basketball', de Glen Keane e Kobe Bryant. O antigo jogador da NBA é o primeiro atleta campeão a ganhar um Óscar. Curta é baseada na carta de despedida do jogador da sua profissão.

  • MELHOR ATRIZ SECUNDÁRIA: Allison Janney, por 'I, Tonya'. É a primeira nomeação e o primeiro Óscar para Janney.

  • MELHOR FILME ESTRANGEIRO: 'A Fantastic Woman', do Chile, por Sebastián Lelio.
  • O México no palco do Teatro Dolby. Gael García Bernal, Natalia Lafoucarde e Miguel cantam 'Remember Me', do filme 'Coco', um filme sobre o 'Dia de los Muertos', uma importante data no México.

  • MELHOR CENOGRAFIA: 'The Shape of Water', por Paul Denham Austerberry, Shane Vieau e Jeffrey A. Melvin.
  • MELHOR MISTURA DE SOM: 'Dunkirk', por Mark Weingarten, Gregg Landaker e Gary A. Rizzo.
  • MELHOR MONTAGEM DE SOM: 'Dunkirk', por Richard King e Alex Gibson.
  • Mary J. Blidge interpreta 'Mighty River', uma das canções nomeadas para Melhor Canção. 'Mighty River' é a canção de 'Mudbound', filme pelo qual Blidge está nomeada para Melhor Atriz Secundária.

  • Eve Marie Saint torna-se na atriz mais velha a apresentar um Óscar, aos 93 anos de idade. Eve Marie ganhou uma estatueta por Melhor Atriz Secundária em 1955 por 'Há Lodo no Cais', de Elia Kazan, onde contracenou com Marlon Brando.

  • MELHOR GUARDA-ROUPA: 'Phantom Thread', por Mark Bridges.

  • MELHOR CARACTERIZAÇÃO: 'Darkest Hour', por Kazuhiro Tsuji, David Malinowski e Lucy Sibbick.

  • MELHOR ATOR SECUNDÁRIO: Sam Rockwell por 'Três Cartazes à Beira da Estrada'. É a primeira nomeação e o primeiro Óscar para Sam Rockwell.

  • Ao falar sobre 'The Shape of Water': "Os homens fizeram tanta asneira este ano que as mulheres começaram a namorar com peixes". Veja abaixo um excerto do monólogo de abertura:

  • "Não fazemos filmes como 'Chama-me pelo teu Nome' para fazer dinheiro. Fazê-mo-lo para chatear o Mike Pence". Uma tirada política.
  • "O que aconteceu com Harvey já devia ter acontecido há muito", afirmou Jimmy Kimmel, brincando depois que quando o problema estiver resolvido em Hollywood, "as mulheres só precisam de se preocupar com assédio em todos os outros lugares".
  • Começa a cerimónia: "Este ano quando ouvirem o vosso nome, não se levantem logo. Esperem um minuto". Jimmy Kimmel, a apresentar pelo segundo ano consecutivo, começa por tocar no fiasco que aconteceu com o anúncio de Melhor Filme do ano passado.
  • Greta Gerwig, nomeada na categoria de Melhor Realizador e Melhor Argumento Original por 'Lady Bird'. Atriz e argumentista de 34 anos é nomeada com o seu primeiro trabalho atrás da câmaras e torna-se – apenas – na quinta mulher a ser nomeada nesta categoria. São as duas primeiras nomeações de Gerwig.

  • Octavia Spencer, nomeada para Melhor Atriz Secundária por 'The Shape of Water'. Spencer já ganhou um Óscar de Melhor Atriz Secundária por 'The Help'.

  • Saoirse Ronan, nomeada para Melhor Atriz pelo seu papel em 'Lady Bird'. Esta é a terceira nomeação para a jovem irlandesa. Já foi indicada para Melhor Atriz Secundária por 'Atonement' (2007) e Melhor Atriz por 'Brooklyn' (2015).

  • Jordan Peele, realizador de 'Get Out', filme que reúne quatro nomeações. Peele, aos 39 anos de idade, é o primeiro afro-americano a ver um filme seu nomeado nas três principais categorias: Melhor Filme, Melhor Argumento Original, Melhor Realizador.

    Jordan Peele's first step on the #Oscars red carpet. @jordanpeele

    Uma publicação partilhada por The Academy (@theacademy) a 4 de Mar, 2018 às 4:16 PST

  • De acordo com a Reuters, a campanha Time's Up terá destaque na cerimónia, enquanto na passadeira vermelha muitas das estrelas mostram o seu apoio à causa. Não houve indumentária especial, mas o movimento Me Too está presente também nos Óscares.

  • Daniel Kaluuya, o Chris de 'Get Out', papel pelo qual recebeu a sua primeira nomeação para Melhor Ator.

  • Uma troca de 'tweets' engraçada. Tommy Wiseau, o excêntrico ator do filme 'The Room', que serviu de inspiração a 'The Disaster Artist' (interpretado e realizado por James Franco), pede a Mark Hamill (o Luke Skywalker de 'Star Wars') para "usar a Força" e conseguir um bilhete para ele e para Franco. Mark Hamill responde com humor e diz que nem para os filhos conseguiu bilhetes extra. Veja a troca de mensagens abaixo. Recorde-se que James Franco, depois de ganhar um Globo de Ouro por interpretar Wiseau (e bem posicionado para os Óscares), ficou de fora da cerimónia ao ressurgirem contra si várias alegações de assédio sexual.

  • A algumas horas da cerimónia, Ellen DeGeneres deseja boa sorte ao seu colega Jimmy Kimmel, que este domingo vai apresentar a cerimónia dos Óscares. "Jimmy, hoje é a tua noite! Se ficares nervoso, imagina-os a todos sem roupa. Não sei se ajuda, mas que é divertido é", escreveu.

  • As estrelas estão a usar dois emblemas: o pin do fundo Time's Up e um anel Be Fierce (Sê Destemida).

  •  Rita Moreno surge com o mesmo vestido que usou em 1962, quando ganhou a estatueta na categoria de Melhor Atriz Secundária por 'West Side Story'.

  •  Ashley Judd e Mira Sorvino,  integrantes do fundo Time's Up e duas das atrizes com mais notoriedade a juntar as suas vozes às dezenas de vítimas de assédio sexual por parte de Harvey Weinstein, chegaram juntas à cerimónia.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório