Meteorologia

  • 15 NOVEMBRO 2019
Tempo
11º
MIN 8º MÁX 13º

Edição

Ana Gomes agradece ao presidente do PS por "esclarecer o óbvio"

Ana Gomes disse hoje que o presidente do PS se limitou a "esclarecer o óbvio", quando assinalou que as declarações da ex-eurodeputada sobre a transferência do futebolista João Félix refletem uma posição pessoal e não vinculam o partido.

Ana Gomes agradece ao presidente do PS por "esclarecer o óbvio"

"Agradeço ao presidente Carlos César o afã de esclarecer o óbvio: não represento o PS e o que digo e escrevo só me vincula. Sendo socialista, e não apparatchik, não abdico de dar uso à minha cabeça... Já César, usa o que pode face a Vieira: a César, o que é de César", escreveu Ana Gomes na conta oficial no Twitter.

Na quinta-feira, Carlos César esclareceu que as opiniões de Ana Gomes "refletem apenas uma posição própria e pessoal que, tal como em muitos outros casos, não vincula o PS", em resposta a uma carta que lhe foi enviada pelo presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, datada de 11 de julho.

O presidente do PS observou que o partido "não tomou qualquer posição institucional sobre o objeto das afirmações" de Ana Gomes, depois de Luís Filipe Vieira ter pedido a Carlos César que dissesse se as declarações públicas da ex-eurodeputada sobre a transferência de João Félix para o Atlético Madrid refletiam a opinião do partido.

"Vimos solicitar a V. Exa. que o PS, com a brevidade possível, e através da sua Direção, esclareça de forma a não subsistirem publicamente quaisquer potenciais equívocos, se as declarações proferidas por Ana Gomes refletem a opinião do partido ou se, ao invés, tais declarações não merecem senão rejeição e repúdio por parte do partido", indica a carta enviada a Carlos César, a que a Lusa teve acesso.

O Benfica já tinha anunciado que iria processar Ana Gomes devido a um comentário na rede social Twitter, em que questiona se a venda do futebolista João Félix "não será negócio de lavandaria".

A frase em causa foi escrita em 27 de junho, em resposta a um 'tweet' de um jornalista da revista Sábado, que se interrogava sobre a transferência de avançado internacional português por 120 milhões de euros para o Atlético de Madrid.

"Um jogador de futebol com apenas 19 anos, que jogou meia época num campeonato de terceira categoria, e que aí se revelou, é vendido por 120 milhões de euros, naquela que é a quarta maior transferência de sempre. Ainda não li uma explicação racional, e fundamentada, para isto", comentou o jornalista.

Ana Gomes reagiu, deixando uma interrogação: "Não será negócio de lavandaria?".

O Benfica considerou que aquele comentário conotava a transferência de João Félix "com uma operação de lavagem de dinheiro/branqueamento de capitais".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório