Meteorologia

  • 20 OUTUBRO 2018
Tempo
19º
MIN 19º MÁX 20º

Edição

"Somos um partido que tem de saber onde procurar alianças"

O dirigente e autarca socialista Fernando Medina defendeu hoje que o PS tem de concretizar os seus ideais com o realismo de um partido de Governo, sabendo ler o contexto e onde procurar alianças em cada momento.

"Somos um partido que tem de saber onde procurar alianças"
Notícias ao Minuto

18:35 - 26/05/18 por Lusa

Política Fernando Medina

Numa intervenção no segundo dia do 22.º Congresso do PS, na Batalha, distrito de Leiria, Fernando Medina afirmou que "ideário sem ação é um vazio", acrescentando: "Nós não somos um partido da proclamação retórica e vazia".

"Nós somos um partido que todos os dias, em todos os momentos, em todas as alturas tem de saber ler o contexto, tem de saber onde se mexe, tem de saber onde procurar alianças, tem de saber a forma como transformamos a realidade para uma sociedade melhor para todos", defendeu.

Segundo o presidente da Câmara Municipal de Lisboa e membro do Secretariado Nacional do PS, este Congresso convoca os socialistas a refletirem sobre a aplicação dos seus ideais nos tempos atuais.

"Como é que atualizamos o nosso ideário, como é que transformamos os ideais de liberdade, de desenvolvimento, de justiça, como é que os concretizamos nos dias de hoje e como é que os concretizamos com o realismo e com a noção de que nós somos um partido de Governo", disse.

Fernando Medina subscreveu os quatro desafios estruturais traçados pelo secretário-geral do PS, António Costa, demografia, sociedade digital, políticas de combate às desigualdades e alterações climáticas.

"A própria escolha dos temas diz muito sobre a atualização do nosso ideário", considerou, argumentando que procurar políticas concretas para responder a esses desafios, discutir temas como a economia digital, a formação profissional ou o combate à precariedade é lutar pelos mesmos valores de sempre do PS, a liberdade, a igualdade, a justiça social e o progresso.

"Nada há de mais progressista, nada há de mais revolucionário, nada há de mais socialista do que este objetivo para o futuro", declarou.

Elencando outros temas, como os fundos comunitários ou o transporte coletivo, Fernando Medina concluiu: "É por isso que esta agenda que nos é colocada não é uma agenda de outro partido, de outra frente política, e não é uma agenda proclamatória, é uma agenda do futuro da liberdade, da igualdade e do progresso para todos".

O autarca socialista terminou a sua intervenção afirmando que o PS chega a esta reunião magna "com a confiança de quem cumpriu" os compromissos que tinha assumido com os portugueses e que espera que saia com "uma energia reforçada, uma força mobilizada".

O PS "cumpriu na mudança de relação com a Europa, cumpriu na abertura de possibilidades com a Europa, cumpriu no reequilíbrio social do nosso país, mas também no défice, cumpriu na dívida e cumpriu na economia", sustentou.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório