Meteorologia

  • 18 AGOSTO 2022
Tempo
31º
MIN 17º MÁX 32º

António Costa em Irpin, Ucrânia: "O que aconteceu aqui foi inadmissível"

O primeiro-ministro esteve hoje em Irpin, onde os ucranianos travaram a progressão russa até Kiev, viu áreas residenciais destruídas e manifestou-se impressionado com relatos de atos criminosos do exército russo.

António Costa em Irpin, Ucrânia: "O que aconteceu aqui foi inadmissível"

Irpin, situada a cinco quilómetros a noroeste de Kiev, que antes da guerra tinha 100 mil habitantes, foi palco de violentos combates entre o final de fevereiro e março.

Se os russos tomassem Irpin, de acordo com as Forças Armadas ucranianas, teriam caminho até Kiev, mas a resistência foi tenaz. Em 02 de abril, o Governo ucraniano anunciou que tinha recuperado o controlo da região com a retirada das forças russas.

Uma secretária do Conselho Municipal de Irpin disse a António Costa que, dos 100 mil habitantes, apenas 25 mil regressaram à cidade. Destes, cinco mil nunca a abandonaram, apesar da elevada destruição de infraestruturas.

Depois de escutar relatos sobre o que aconteceu na cidade durante a fase mais intensa de guerra, António Costa afirmo: "Estou impressionado com a brutalidade do que aconteceu com as populações civis".

"Sabemos que a guerra é sempre dramática, mas a guerra tem regras. Aqui, já não estamos a falar de uma guerra normal, mas de atos verdadeiramente criminosos", declarou António Costa.

A intervenção russa em Irpin, prosseguiu, "visou a pura destruição da vida das pessoas".

"É fundamental que as investigações prossigam e que todos os crimes de guerra sejam devidamente apurados e punidos. A guerra também tem de obedecer à lei. O que aconteceu aqui foi inadmissível", frisou.

Após a visita a Irpin, o primeiro-ministro português colocou uma mensagem na rede social Twitter para reforçar a forma como ficou tocado pela destruição naquela cidade ucraniana.

"A visita à cidade de Irpin vai ficar para sempre na minha memória. O nível de destruição e violência é absolutamente devastador. Testemunhei aqui a evidência de ataques cruéis, indiferenciados e, a todos os títulos, injustificados", escreveu António Costa, numa mensagem acompanhada por fotografias da visita e dos edifícios destruídos.

António Costa esteve em Irpin cerca de uma hora e regressou a Kiev para se reunir com o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

Leia Também: "Putin foi claro quanto às suas ambições de criar uma Rússia maior"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório