Meteorologia

  • 10 DEZEMBRO 2018
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 15º

Edição

Bruno de Carvalho saiu em liberdade, mas está "diferente". Bom ou mau?

Bruno de Carvalho e Nuno Mendes estão acusados, cada um deles, de cerca de 100 crimes. Ainda assim, o juiz de instrução deixou os dois suspeitos saírem em liberdade depois de pagarem uma caução de 70 mil euros. O Ministério Público pondera recorrer da decisão, depois de ter visto o seu pedido de prisão preventiva negado por inexistência de provas concretas.

Bruno de Carvalho saiu em liberdade, mas está "diferente". Bom ou mau?
Notícias ao Minuto

09:20 - 16/11/18 por Patrícia Martins Carvalho 

País Alcochete

Bruno de Carvalho, Nuno Mendes, mais conhecido por Mustafá, e Bruno Jacinto, elo de ligação entre a Juventude Leonina e o clube, foram os autores morais do crime. Para o Ministério Público não há qualquer dúvida de que foram os três os responsáveis pela invasão à Academia do Sporting e pelas consequentes agressões à equipa técnica e aos jogadores do principal escalão do futebol leonino.

Mas se Bruno Jacinto ficou em prisão preventiva, Bruno e Mustafá tiveram melhor sorte. A medida de coação aplicada aos dois suspeitos é o natural termo de identidade e residência e ainda a obrigatoriedade de apresentações diárias nos postos policiais das respetivas áreas de residência. Isto depois de pagarem uma caução de 70 mil euros. 

Os apoiantes de Mustafá e Bruno de Carvalho regozijaram-se com a decisão e aplaudiram quando os seus líderes saíram do interior das instalações judiciais. Nuno Mendes falou aos jornalistas, mas Bruno de Carvalho saiu em silêncio, optando por conversar com a comunicação social apenas no Lumiar, pedindo, inclusive, para que não fosse formado um 'acampamento' à sua porta.

Ministério Público não tem dúvidas, mas também não tem provas

Notícias ao MinutoA procuradora Cândida Vilar é a responsável pelo processo da invasão à academia© Global Imagens

A procuradora Cândida Vilar, do Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa teve de completar a acusação em ‘cima do joelho’ por se ter atrasado nos prazos, quase permitindo que os primeiros 23 detidos fossem libertados.

Os seis meses de investigação permitiram ao Ministério Público concluir que não existem dúvidas de que Bruno de Carvalho, Mustafá e Bruno Jacinto são coautores do crime. Aliás, este último – elo de ligação entre a claque e o clube – avisou o departamento de segurança da Academia que a Juve Leo iria até Alcochete no fatídico 15 de maio. Quando o responsável pela segurança se apercebeu de que não seria uma visita cordial, já era tarde.

No entanto, e pese embora os registos telefónicos recolhidos e o testemunho de quatro dos 38 detidos, o tribunal de instrução criminal do Tribunal do Barreiro entendeu não existirem provas contundentes relativamente aos crimes imputados a estes três suspeitos e, por isso, optou por não aplicar a medida de coação de prisão preventiva que havia sido pedida pelo Ministério Público que, por sua vez, está a ponderar recorrer desta decisão. 

Afinal, o que diz a acusação?

Notícias ao MinutoInvasão à Academia do Sporting ocorreu na tarde de 15 de maio© Global Imagens

Segundo a acusação do Ministério Público – que ‘correu contra o tempo’ para conseguir terminar o documento e, assim, impedir a saída de 23 dos 38 detidos em prisão preventiva – o ataque foi planeado a 5 de maio após o empate sem golos em Alvalade frente ao rival Benfica.

Já durante o jogo a Juventude Leonina havia dado mostras do seu descontentamento ao atirar tochas para o relvado na direção de Rui Patrício.

Mas o pior ainda estava por vir. A 13 de maio o Sporting foi ao Estádio dos Barreiros perder por 1-2 com o Marítimo e os ânimos exaltaram-se. Quando a equipa se encontrava no aeroporto para regressar a Lisboa, alguns elementos da claque abordaram os jogadores e a conversa não foi amigável. Aliás, conta a RTP, que teve acesso ao despacho da acusação, Fernando Mendes, ex-líder da Juve Leo, avisou Jorge Jesus que a conversa continuaria em Alcochete.

Poucas horas depois, cerca das 01h00, Bruno de Carvalho terá dado a ordem para o ataque. Mas para o Ministério Público também Mustafá e Bruno Jacinto são coautores do crime, pois saberiam e terão instigado os elementos da claque a avançar contra o plantel e equipa técnica. 

Bruno de Carvalho está “diferente”. Para “melhor” ou para “pior”?

Notícias ao MinutoAntigo presidente do Sporting diz ter mudado com os quatro dias que passou detido© Global Imagens

Assim que foi conhecida a decisão do juiz de instrução criminal, Bruno de Carvalho surgiu a uma das janelas do Tribunal do Barreiro para acenar, em jeito de agradecimento, ao grupo de apoiantes que, desde segunda-feira de manhã, lhe prestaram apoio nas imediações daquele juízo, envergando, inclusivamente, cartazes de apoio.

À saída do tribunal, o ex-presidente do Sporting não falou, optando por o fazer à porta de sua casa na Quinta do Lambert, no Lumiar.

“Foi o pior momento da minha vida”, começou por dizer, agradecendo o apoio que teve de amigos, familiares e sportinguistas. Depois de garantir que estes dias em que esteve detido foram “terríveis”, Bruno de Carvalho deixou uma garantia: "É um Bruno muito diferente o que sai daqui hoje. Não sei se para melhor ou pior mas garantidamente, quer a nível pessoal como profissional, que é completamente diferente".

Mustafá garante que não é terrorista e vai ver jogo do Sporting

Notícias ao MinutoMustafá foi libertado a tempo de ir ao Pavilhão Rocha ver o Sporting golear o Sibiryak em futsal© Global Imagens

Ser líder da Juventude Leonina e acompanhar a equipa do coração parece estar no sangue de Nuno Mendes, também conhecido como Mustafá.

Depois de ter saído ontem, ao final da manhã, em liberdade, o 45º arguido do processo da invasão a Alcochete disse aos jornalistas não sair “satisfeito” do tribunal, considerando ter sido injustiçado e negando as acusações feitas pelo Ministério Público.

“Não sou traficante e não sou terrorista. Sou líder da Juventude Leonina”, afirmou perentoriamente.

E depois de quatro dias detido, longe das quatro linhas, Mustafá foi até ao Pavilhão João Rocha, nas imediações do Estádio de Alvalade, para assistir à partida de futsal entre o Sporting e o Sibiriyak, da UEFA Futsal Cup, e foi recebido pelos elementos da claque com cânticos especiais. "Tu és líder", gritaram os seus seguidores.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório