Meteorologia

  • 05 FEVEREIRO 2023
Tempo
10º
MIN 8º MÁX 18º

AO MINUTO: Putin terá mandado parar invasão; Kiev? Recolher obrigatório

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre o conflito na Ucrânia.

AO MINUTO: Putin terá mandado parar invasão; Kiev? Recolher obrigatório

A madrugada e manhã deste sábado são marcadas pela continuação do conflito entre Ucrânia e Rússia, que continua a assombrar tanto cidadãos ucranianos como europeus. Embora se viva um ambiente de tensão constante e muitos países tentem auxiliar, existem outros que se pretendem abster.

Kiev amanheceu após uma noite marcada por mísseis, tiroteiros e explosões num país que se tenta defender das tropas russas. António Guterres pede que seja dada uma "nova chance à paz", já Emmanuel Macron, alertou hoje que a guerra "vai durar".

Portugal faz parte dos 50 países da ONU que prometeram levar a condenação da Rússia à Assembleia Geral da organização por considerarem que "Putin é o agressor" da Ucrânia. 

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre o conflito na Ucrânia:

15h01 - Encerramos aqui o registo da manhã. Poderá continuar a seguir as incidências da tarde aqui.

15h00 - Shengelia deixa o CSKA: "Não posso jogar pelo clube do exército russo"

Tornike Shengelia, basquetebolista georgiano que já disputou a NBA ao serviço dos Brooklyn Nets e Chicago Bulls, anunciou este sábado que irá deixar o CSKA, clube que representa, devido à situação que se vive na Ucrânia.

14h54 - As marcas da guerra chegam aos arredores civis de Kiev

O fumo ainda escapa de um dos três andares de um prédio residencial junto ao aeroporto civil Zhiliany hoje foi atingido por um míssil da aviação russa, no mais recente "efeito colateral" de um conflito sem fim à vista.

14h46 - Presidente da Lituânia apela a que Rússia "pare com tudo isto"

O presidente da Lituânia, Gitanas Nausėda, disse que "mesmo que muito mal já tenha sido feito, não é tarde demais para parar com tudo isto"

14h37 - Estónia bane companhias aéreas russas do espaço aéreo

O anúncio foi feito pela primeira-ministra da Estónia nas redes sociais, onde convidou "todos os países da União Europeia (UE) a fazerem o mesmo", acrescentando: "Não há lugar para aviões do estado agressor em céus democráticos".

14h31 - Borrell acredita que voto da ONU mostra uma "rejeição" global à Rússia

O alto representante da União Europeia (UE) para a Política Externa afirmou hoje que a votação da ONU sobre uma resolução contra a invasão da Ucrânia pela Rússia demonstra a "rejeição" da campanha militar por parte da comunidade internacional.

14h26 - A primeira mensagem de Nélson Monte após escapar da Ucrânia

Nélson Monte recorreu, ao início da tarde deste sábado, às redes sociais para publicar a primeira mensagem desde que conseguiu abandonar a Ucrânia, no seguimento da invasão por parte das forças militares russas ao longo dos últimos dias.

14h19 - Boris Johnson explica como é que o Reino Unido está a prestar apoio à Ucrânia

O primeiro-ministro do Reino Unido partilhou quais as medidas que o Reino Unido está a tomar para auxiliar a Ucrânia.

14h13 - Szczesny apoia o boicote polaco: "Recuso jogar contra a Rússia"

Wojciech Szczesny recorreu, ao início da tarde deste sábado, às redes sociais para demonstrar o seu apoio à medida tomada, horas antes, pela Federação polaca, que rejeitou defrontar a Rússia nos playoffs de apuramento para o Campeonato do Mundo.

14h04 - França apoia Moldávia e Geórgia contra eventual desestabilização

O Presidente francês, Emmanuel Macron, manifestou o seu apoio à Moldávia e Geórgia contra eventuais tentativas de desestabilização destes países, durante conversas com os homólogos moldavo e georgiano.

13h59 - Kate Middleton e William solidários com a Ucrânia

Chega, da família real britânica, mais uma mensagem de apoio ao povo ucraniano. Numa publicação feita no Twitter, os Duques de Cambridge recordam o momento em que conheceram o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, e a mulher, Olena Zelenska.

13h56 - Nove países da América Latina preparam plano para retirar cidadãos

Os governos de nove países latino-americanos estão a trabalhar num "plano de retirada conjunto" dos seus cidadãos na Ucrânia, através de um mecanismo de "cooperação consular", anunciou hoje o Ministério dos Negócios Estrangeiros argentino.

13h53 - Turquia apela à Rússia para pôr fim à operação militar

O ministro turco dos Negócios Estrangeiros apelou hoje ao seu homólogo russo, numa conversa telefónica, para pôr fim à operação militar na Ucrânia, disse fonte diplomática da Turquia.

13h49 - Paulo Fonseca já deixou a Ucrânia

O antigo treinador de Roma, Shakhtar Donetsk, Sporting de Braga e FC Porto, entre outros, deixou a capital ucraniana na quinta-feira, através da missão de repatriamento da embaixada de Portugal em Kiev, de acordo com a mesma fonte contactada pela Lusa.

13h45 - Presidente da Ucrânia falou com presidente da Turquia e primeiro-ministro da Índia

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, agradeceu ao "amigo" Recep Tayyip Erdoğan, presidente da Turquia, e ao povo turco pelo apoio.

Numa outra publicação na sua página de Twitter, Zelensky, partilhou que conversou com o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, e que estão, neste momento, mais de 100.000 invasores na Ucrânia a atacar prédios residenciais, solicitando assim apoio político por parte da Índia.

13h36 - Rússia fecha espaço aéreo a Bulgária, Polónia e República Checa

A Rússia anunciou hoje o encerramento do espaço aéreo às ligações com a Bulgária, a Polónia e a República Checa, após uma decisão idêntica tomada por Varsóvia, Praga e Sófia, para as companhias aéreas russas.

13h32 - "Aviões lançaram brinquedos e telemóveis com explosivos lá dentro"

Alexandre Pinto é um português que vive na Ucrânia e que, de momento, se encontra na cidade de Poltava, no centro do país. Em declarações à SIC Notícias, na manhã deste sábado, afirmou: "Posso dizer, por exemplo, que desde ontem andam a informar: 'Não apanhem nada do chão', porque aqui numa cidade perto, no distrito ao lado do nosso, passaram aviões que lançaram brinquedos, telemóveis e produtos de valor com explosivos lá dentro", afirmou. 

13h28 - Reino Unido diz que forças russas estão a 30 kms do centro de Kiev

O Ministério da Defesa britânico disse hoje estar em condições de confirmar que as forças russas prosseguem a sua aproximação a Kiev, encontrando-se a cerca de 30 quilómetros do centro da capital ucraniana.

13h23 - Conselheiro de Segurança da Rússia ameaça sair dos tratados nucleares

O vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia avisou hoje que o país pode optar por sair do acordo nuclear e congelar os ativos ocidentais na Rússia, considerando que as sanções são prova da "impotência política" do Ocidente.

13h17 - Ucrânia. 15 dos 40 portugueses no país já pediram ajuda para sair

O ministro dos Negócios Estrangeiros (MNE), Augusto Santos Silva, disse hoje à Lusa que há 40 portugueses ainda na Ucrânia que querem sair do país, dos quais 15 já pediram ajuda às autoridades portuguesas. "Nós temos a indicação de que cerca de 40 querem sair, e desses, dezena e meia pediram-nos apoio para essa saída, e nós estamos a organizar esse apoio", disse.

13h09 - Reino Unido pressiona FIFA a expulsar Rússia do Mundial

O Reino Unido estará a discutir, internamente, novas maneiras de pressionar a FIFA a avançar para a expulsão da Rússia do próximo Campeonato do Mundo, no seguimento da decorrente invasão das forças militares do país à Ucrânia.

12h54 - Putin terá mandado tropas russas parar invasão ontem

Vladimir Putin terá ordenado que as tropas russas parrassem a invasão à Ucrânia, afirma o Kremlin. O pedido terá sido feito na sexta-feira, mas ainda assim, os militares ignoraram a ordem e continuaram a avançar rumo a Kiev.

A informação está a ser avançada pela Sky News que refere que se crê que as tropas russas estarão a cerca de 30 quilómetros do centro de Kiev. Um ministro ucraniano refere, contudo, que poderão estar mais próximos.

12h44 - Ucraniano de 80 anos apresenta-se a militares para se juntar à guerra

Imagem do momento já se tornou viral nas redes sociais e mostra a forma como os ucranianos estão empenhados em ajudar, da maneira que for possível, a defender o seu país.


12h31 - UE reúne na segunda-feira ministros da Energia
 
A França, que preside ao Conselho da União Europeia, anunciou hoje uma reunião extraordinária do Conselho de Ministros da Energia, na segunda-feira, em Bruxelas, uma vez que muitos países europeus dependem fortemente da Rússia para importações de gás.

12h26 - Quase 50 portugueses saíram da Ucrânia e serão "repatriados"
 
Cerca de 50 portugueses saíram da Ucrânia nas últimas horas nas missões organizadas pela embaixada portuguesa em Kiev e serão repatriados nas próximas horas, disse hoje à Lusa o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

12h10 - Melitopol tomada pelos russos. Bandeira hasteada em esquadra de polícia

Os rumores de que a cidade costeira de Melitopol, na Ucrânia, foi tomada pelas forças russas confirmou-se, na manhã deste sábado, nas redes sociais, com a publicação de vídeos que mostram uma bandeira dos invasores hasteada na esquadra da polícia local. 

12h02 - Kiev decreta recolher obrigatório a partir das 17h00 (15h00 em Lisboa)

O presidente da câmara de Kiev anunciou que quem não cumprir a ordem de recolher obrigatório a partir das 17h00 (15h00 em Portugal) poderá ser preso, avança a SIC Notícias. Nas redes sociais, o autarca disse que a ordem de recolher obrigatório dura das 17h00 até às 8h00 da manhã do dia seguinte. "Todos os civis que estiverem na rua durante esse período serão considerados membros da sabotagem e dos grupos de reconhecimento inimigos", disse Vitali Klitschko na rede Telegram.

11h47 - Vice-primeira-ministra da  Ucrânia apelou à Cruz Vermelha Internacional

Iryna Vereshchuk, vice-primeira-ministra da Ucrânia, pediu publicamente à Cruz Vermelha Internacional para ajudar a devolver os corpos russos à sua terra natal.

11h32 - Presidente da Ucrânia falou com presidente da Suíça e primeiro-ministro da Grécia  

O presidente ucraniano divulga que tem recebido vários telefonemas de apoio. Na rede social Twitter, revelou que falou com o presidente da Suíça e com o primeiro-ministro da Grécia, a quem agradece o contacto.

11h24 - Zelensky pede coragem à Alemanha e à Hungria para tirar Rússia do SWIFT

O Presidente ucraniano apelou hoje à Alemanha e à Hungria para terem "coragem" de aprovarem a exclusão da Rússia do sistema interbancário SWIFT, medida analisada pela UE em reação à invasão russa da Ucrânia.

11h18 - Presidente da Ucrânia diz que UE lhe prometeu mais "apoio concreto"

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, prometeu hoje ao chefe de Estado da Ucrânia um novo "apoio concreto" do bloco europeu durante um telefonema realizado durante a ofensiva russa, anunciou Volodymyr Zelensky no Twitter. Na mensagem, o Presidente ucraniano anunciou que contactou o antigo primeiro-ministro da Bélgica para pedir mais "apoio concreto" e falar da "heroica luta dos ucranianos pelo seu futuro".

11h11 - O ataque de míssil a prédio residencial visto do interior de sala em Kiev

De acordo com Dmytro Kuleba, ministro dos negócios estrangeiros ucraniano, não se registaram vítimas mortais em resultado do ataque com míssil a um prédio residencial, em Kiev. O presidente da câmara local, Vitali Klitschko, especificou que 35 pessoas ficaram feridas, incluindo duas crianças.

11h03 - Ucrânia "quebrou o plano" russo ao terceiro dia de invasão

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, garantiu hoje que "quebrou o plano" da Rússia ao terceiro dia da invasão do seu país, pedindo aos russos que digam a Vladimir Putin para parar a guerra. "Mantivemos a nossa posição e repelimos com sucesso os ataques inimigos. Os combates continuam em muitas cidades e regiões do país, mas... é o nosso exército que controla Kiev e as principais cidades ao redor da capital", disse Zelensky, num vídeo publicado no Facebook.

10h58 - Barco russo intercetado no Canal da Mancha devido às sanções

Um barco de comércio que transportava veículos para São Petersburgo, na Rússia, supostamente pertencente a uma empresa russa visada pelas sanções da União Europeia, foi desviado hoje em França, segundo as autoridades marítimas locais.

10h52 - Esta guerra não é em "vosso nome". Johnson fala aos russos em russo

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, gravou uma mensagem na qual afirma, em russo, e dirigida ao povo da Rússia: "Não acredito que esta guerra esteja a ser travada em vosso nome", refere a EFE.

10h46 - Cem mil ucranianos entraram na Polónia desde quinta-feira

O vice-ministro do Interior polaco, Pawel Szefernaker, disse hoje que 100 mil ucranianos atravessaram a fronteira para a Polónia desde o início da invasão russa, na quinta-feira. "Desde o início das operações de guerra na Ucrânia e até hoje, ao longo de toda a fronteira com a Ucrânia, cem mil pessoas atravessaram a fronteira para a Polónia", disse Szefernaker.

10h40 - Ucrânia. Ordem dos Médicos apela para respeito pelos direitos humanos

A Ordem dos Médicos apelou hoje para o respeito pelos direitos humanos e pela neutralidade médica na Ucrânia, manifestando "elevada preocupação" e "total solidariedade" com o povo ucraniano, na sequência da invasão russa.

10h37 - Nélson Monte conseguiu fugir até à Roménia e regressa hoje a Portugal

O futebolista português Nélson Monte, que desde quinta-feira tentava sair da Ucrânia, já conseguiu chegar à Roménia, e ainda hoje vai regressar a Portugal, confirmou à Lusa Joaquim Evangelista, presidente do Sindicato dos Jogadores.

10h34 - Japão procura enviar mais gás natural importado para a Europa

O Japão está a negociar com a União Europeia (UE) o envio de mais das suas importações de gás natural liquefeito (GNL) para a Europa, perante a possibilidade de a Rússia restringir as exportações após a invasão à Ucrânia.

10h31 - República Checa vai enviar armamento no valor de 7,6 milhões de euros

A República Checa vai enviar para a Ucrânia metralhadoras, espingardas automáticas e de precisão, pistolas e munições no valor de 7,6 milhões de euros, disse hoje a ministra da defesa checa.

10h27 - Zelensky pede para União Europeia decidir agora adesão do seu país à UE

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, pediu hoje à União Europeia (UE) para tomar agora uma decisão sobre a adesão do seu país ao bloco europeu.

10h24 - Tuchel sobre a relação Abramovich-Putin: "A situação é horrível"

Thomas Tuchel, treinador do Chelsea, admitiu na tarde de sexta-feira que a relação entre Roman Abramovich, dono dos blues, e Vladimir Putin, presidente da Rússia, está a afetar o plantel dos londrinos.

10h18 - Rússia responderá a sanções e suspende colaboração europeia em lançamentos espaciais

Dmitry Medvedev, vice-chefe do conselho de segurança de Moscovo, disse, esta manhã de sábado, que serão apreendidos fundos de países e empresas estrangeiras. De acordo com a Sky News, a agência espacial russa Roskosmos suspendenderá a cooperação com a Europa em lançamentos espaciais do porto espacial Kourou, na Guiana Francesa.

10h12 - Polónia recusa defrontar Rússia no playoff de acesso ao Mundial

A Polónia decidiu, este sábado, que não irá defrontar a Rússia no próximo mês de março, onde tem previsto um duelo para o playoff de acesso ao Mundial'2022. A informação foi revelada nas redes sociais por Cezary Kulesza, presidente da Federação Polaca de Futebol.

10h03 - Presidente ucraniano assegura a Macron que mantém Kiev

O Presidente francês, Emmanuel Macron, e o homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, tiveram hoje uma conversa telefónica na qual este lhe disse, segundo o Eliseu, que mantém o controlo de Kiev, cidade onde esta noite se desenvolveram combates nas ruas.

9h57 - O que é que estão a fazer"? Russo dá reprimenda a soldados em Melitopol

O vídeo de um avô russo a dar uma reprimenda aos soldados do seu país pela invasão à Ucrânia, filmado na região de Zaporizhiam, em Melitopol, tornou-se viral, nas últimas horas, nas redes sociais. Neste, o homem pergunta: "O que é que estão aqui a fazer?"

9h46 - ONU diz que mais de 120 mil pessoas já fugiram para os países vizinhos"

Mais de 120 mil pessoas já fugiram da Ucrânia desde que a Rússia começou o ataque ao país vizinho, na quinta-feira, segundo dados da agência das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR). De acordo com a vice-alta comissária do ACNUR, Kelly Clements, os ucranianos estão principalmente a fugir para a Polónia e para a Moldávia, mas também para a Roménia, Eslováquia e Hungria.

9h41 - Primeiro-ministro italiano apoia a desconexão da Rússia da SWIFT

"Este é o início de uma nova página na história", pode ler-se numa publicação feita pelo presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, onde explica que, numa conversa telefónica, Mario Draghi, primeiro-ministro italiano, apoiou a desconexão da Rússia da SWIFT. No final,  Zelensky reitera "A Ucrânia deve se tornar parte da União Europeia".

9h34 - Metro de Kiev utilizado apenas como abrigo antiaéreo suspenso

Segundo The Kyiv Independent, o funcionamento do metro na cidade de Kiev encontra-se suspenso, servindo apenas como abrigo antiaéreo.

9h29 - Milhares de ucranianos atravessam a fronteira e entram na Roménia

Cerca de 20 mil pessoas entraram na Roménia, vindas da Ucrânia, desde que na quinta-feira o exército russo lançou uma ofensiva militar contra o regime de Kiev, informaram hoje as autoridades romenas.

9h23 - Governo angolano vai retirar cidadãos residentes nas áreas afetadas

O Ministério das Relações Exteriores da República de Angola (MIREX) está a trabalhar "afincadamente" com as suas representações diplomáticas na Rússia e na Polónia para retirar os angolanos residentes nas áreas da Ucrânia afetadas pelo conflito.

9h17 - "Munições, não boleia". Zelensky recusa ajuda dos EUA para deixar Kiev

Os Estados Unidos ofereceram ajuda para retirar Volodymyr Zelensky, o presidente ucraniano, de Kiev, a capital da Ucrânia, mas o chefe de Estado recusou a oferta norte-americana. "A luta é aqui. Preciso de munições, não de uma boleia", disse Zelensky, de acordo com um alto funcionário da inteligência dos EUA, citado pela Associated Press. 

9h12 - Quase 200 ucranianos mortos nestes três dias de guerra

O ministro da Saúde ucraniano, Viktor Lyashko, avançou que registam-se 198 mortes de ucranianos, incluindo três crianças desde o início da invasão por parte da Rússia. Quanto ao número de feridos, contabilizam-se já 1.115 pessoas, das quais fazem parte 33 crianças, não estando claro se estes dados são referentes apenas a civis.

8h55  Zelensky diz ter falado com presidente da Comissão Europeia

"A Ucrânia está a lutar contra o invasor de armas em punho, a defender a sua liberdade e o futuro da Europa. Discuti com [Ursula] von der Leyen apoio efetivo ao nosso país por parte da União Eurpeia nesta luta heróica. Eu acredito que a UE também está do lado da Ucrânia", indicou o presidente ucraniano.

8h15 - Presidente ucraniano pede à população para defender Kiev

O presidente da Ucrânia pediu hoje à população para não depor as armas e defender Kiev, onde o exército ucraniano se confronta já com as forças russas, dois dias depois do início da invasão. "Estou aqui. Não vamos depor as armas e vamos defender o nosso país", declarou Volodymyr Zelensky, numa mensagem de vídeo publicada na rede social Facebook.

8h10 - Ataque a edifício residencial sem mortes, mas duas crianças feridas

De acordo com Dmytro Kuleba, ministro dos negócios estrangeiros ucraniano, não se registaram vítimas mortais em resultado do ataque com míssil um prédio residencial, em Kiev. O presidente da câmara local, Vitali Klitschko, especificou que 35 pessoas ficaram feridas, incluindo duas crianças.

Citado pela Reuters, um conselheiro do ministério do Interior confirmou que, do ataque, não resultaram vítimas mortais. Anton Herashchenko sublinhou, porém, que a Rússia está a mentir sobre não atacar infraestruturas civis, indicando que foram já atacados mais de 40 locais do género.

8h06 - Edifício residencial atingido por míssil em Kiev

Um grande edifício residencial em Kiev foi atingido por um míssil, indicou hoje à AFP o serviço do Estado para as questões de emergência, sem dar informações quanto a eventuais vítimas.

8h01 - Macron adverte que a guerra "vai durar" e que é preciso "estar preparado"

O Presidente francês, Emmanuel Macron, alertou hoje que a guerra na Ucrânia "vai durar" e que todos "devem estar preparados", indicando que o governo está a preparar um "plano de resiliência" para lidar com as consequências económicas desta crise.

7h54 - Media apoiados pelo Kremlin impedidos de ganhar dinheiro no Facebook

O Facebook disse na sexta-feira que bloqueou os meios de comunicação social apoiados pelo Kremlin de ganhar dinheiro na rede social, em resposta à invasão russa da Ucrânia.

7h47 - Estados Unidos duvidam que Putin queira negociar fim da invasão

Os Estados Unidos não confiam que o Presidente russo, Vladimir Putin, esteja disposto a negociar o fim da invasão da Ucrânia e estão a considerar sancioná-lo se a escalada militar continuar, disse hoje o Departamento de Estado norte-americano, Ned Price.

7h43 - Kiev reivindica ter abatido aviões russos, incluindo de transporte

A Ucrânia reivindicou nas últimas horas ter abatido vários aviões russos, incluindo um avião de transporte militar Il-76, de grande capacidade, com pára-quedistas a bordo.

7h39 - Rússia. Facebook limitado após recusar suspender "verificação de factos"

O acesso ao Facebook foi hoje restringindo na Rússia após os dirigentes daquela plataforma terem se recusado a suspender a "verificação de factos", conforme solicitado pelo Kremlin, adiantou o vice-presidente da Meta, Nick Clegg.

7h36 - França mobiliza 500 militares para a Roménia em reforço da NATO na região

A França vai mobilizar 500 militares para a Roménia, no âmbito da NATO, para "fortalecer" a presença da Aliança Atlântica na região perante a invasão russa à Ucrânia, revelou esta sexta-feira o chefe de Estado-Maior das Forças Armadas francesas.

7h32 - Protestos no Canadá, México e Peru pedem fim da invasão russa

Manifestações nas ruas das capitais do México e do Peru e em Montreal, uma das principais cidades do Canadá, pediram, na sexta-feira, o fim da invasão russa da Ucrânia. Apesar de uma tempestade de neve, dezenas de pessoas reuniram-se junto ao consulado-geral da Rússia em Montreal para exigir ao Presidente russo, Vladimir Putin, que "tire as mãos da Ucrânia".

7h27 - António Guterres. Soldados devem regressar "aos seus quartéis"

O secretário-geral das ONU, António Guterres, apelou ao regresso "dos soldados aos seus quartéis", após o veto russo à condenação das Nações Unidas da ofensiva militar na Ucrânia, e a que seja dada "nova chance à paz". "Nós nunca desistiremos" de alcançar a paz, afirmou.

7h25 - Austrália impõe nova ronda de sanções contra Presidente da Rússia

O Governo australiano anunciou hoje uma nova ronda de sanções dirigidas diretamente ao Presidente russo, Vladimir Putin, na sequência da decisão de invadir a Ucrânia. "É uma medida excecional, sancionar os líderes, mas a situação é excecional", disse a ministra dos Negócios Estrangeiros australiana, Marise Payne, numa conferência de imprensa, no regresso de uma viagem à Europa e ao Sudeste Asiático.

7h17 - Rússia encerra espaço aéreo a aeronaves britânicas

A Rússia encerra o seu espaço aéreo às companhias aéreas britânicas a partir de hoje, em resposta a uma medida semelhante tomada por Londres, informou hoje a Agência Federal de Transporte Aéreo.

7h15 - Ouvidos tiroteios em Kiev. População aconselhada a fazer cocktail molotov

Ministério da Defesa terá aconselhado os moradores a fazer cocktails molotov para repelir russos. De acordo com vários relatos no Twitter, não confirmados oficialmente, tratar-se-á do bairro de Troieshchyna, em Kiev. 

7h12 - Rússia veta resolução do Conselho Segurança condenando agressão a Kiev

A Rússia vetou hoje uma resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas condenando a sua agressão à Ucrânia, isolada num votação que alcançou 11 votos a favor e três abstenções, incluindo da China. Em causa está uma resolução copatrocinada pelos Estados Unidos e Albânia, condenando a Rússia, "nos termos mais fortes", pela sua "agressão contra a Ucrânia" e pedindo-lhe que retire "imediatamente" as suas tropas daquele país vizinho.

7h07 - Chernobyl. Veículos militares podem ter causado aumento de radiação

As altas medições de radiação na central nuclear danificada de Chernobyl, controlada agora pelas forças russas na sequência da invasão à Ucrânia, podem ter sido causados pela passagem de veículos militares pesados, relatou hoje o regulador ucraniano.

07h00 - Bom dia! Damos início a um novo acompanhamento AO MINUTO do conflito entre a Rússia e a Ucrânia. Pode recordar o anterior aqui

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório