Meteorologia

  • 19 FEVEREIRO 2019
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 12º

Edição

Brasil: A "heroína" que resgatou o motorista enquanto outros filmavam

Leiliane assistiu ao acidente entre um helicóptero e um camião, em São Paulo, que resultou na morte de duas pessoas, e conseguiu resgatar o condutor do pesado.

Brasil: A "heroína" que resgatou o motorista enquanto outros filmavam
Notícias ao Minuto

17:08 - 13/02/19 por Notícias Ao Minuto 

Mundo Acidente

O motorista do camião que na passada segunda-feira esteve envolvido num acidente mortal com um helicóptero, em São Paulo, no Brasil, foi retirado dos destroços por uma mulher, enquanto outros assistiam e filmavam.

Leiliane Rafael da Silva seguia de moto com o marido na Rodovia Anhanguera quando viu o helicóptero chocar com o camião. A mulher de 28 anos de idade explicou ao G1 que pediu ao marido para parar e correu para o veículo pesado, para verificar se alguém precisava de ajuda.

“Não pensei em nada. Falei para parar a moto e voltei correndo. Fui ver o camião para ver se tinha alguém vivo. O moço estava vivo, felizmente”, indicou Leiliane, à mesma publicação.

A vendedora, mãe de três filhos, usou o capacete para partir o que restava do vidro da porta do camião, pediu uma faca ao grupo de trabalhadores que estava a limpar mato da estrada, naquela zona, e cortou o cinto de segurança do motorista. Depois, foi ajudada a tirar o homem em segurança.

“A gente tirou ele para fora pelo vidro porque a porta estava emperrada e não saía”, explicou a mulher, acrescentando que no momento “queria ajudar” e não pensou em mais nada.

João Adroaldo Tomanckeves, de 52 anos, acabaria por ser o único sobrevivente do acidente, que custou a vida ao piloto Ronaldo Quatrucci e ao jornalista Ricardo Boechat. A mulher é agora elogiada tanto na imprensa, como nas redes sociais brasileiras, que lhe chamam “super-heroína”.

Notícias ao MinutoMomento em que Leiliane tenta abrir a porta enquanto um homem filma é desenhado em versão cartoon, onde a brasileira é representada como 'Mulher Maravilha'© Reprodução Twitter

Leiliane indicou, ainda, que viu que uma pessoa saltou da aeronave antes da colisão com o veículo pesado. Os investigadores acreditam que tenha sido o jornalista, dada a localização do corpo. Boechat acabaria também por morrer ao ser atingido pelo helicóptero.

A brasileira queixou-se de que foi impedida de se aproximar do helicóptero por funcionários da concessionária, por causa do risco de explosão. Inicialmente, Leiliane criticou os funcionários.

“Mas eu queria salvar ele. Porque o piloto não pulou, ficou dentro do helicóptero. A minha intenção ali na hora era tirar ele de lá. Eu tinha que ter tirado ele de lá. Tinha que ter puxado para o meio da pista. O outro moço já tinha morrido”, indicou.

No entanto, Leiliane sabe que não ter ido foi a melhor opção. “Só que agora que eu estou aqui e que eu já sei que não tinha mais como tirar ele de lá, porque explodiu novamente. Eu vejo que eu podia ter morrido junto com ele”, admitiu.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório