Meteorologia

  • 13 NOVEMBRO 2019
Tempo
17º
MIN 13º MÁX 20º

Edição

Após 15 anos de prisão, jovem que matou agressor sexual recebe perdão

Cyntoia admitiu ter matado agressor em legítima defesa mas mesmo assim foi condenada a prisão perpétua, tinha então 16 anos.

Após 15 anos de prisão, jovem que matou agressor sexual recebe perdão

Cyntoia Brown, mulher que matou um homem que a abusou sexualmente, e que foi condenada por homicídio há 15 anos a prisão perpétua, vai ser libertada.

A vítima, hoje com 30 anos, foi presa mesmo depois de ter afirmado que apenas matou Johnny Allen em legítima defesa, uma vez que era vítima de abusos sexuais.

O governador do Tennessee, Bill Haslam, concedeu clemência a Cyntoia Brown esta segunda-feira. "Cyntoia Brown admitiu que cometeu um crime horrível aos 16 anos. No entanto, impor uma sentença de prisão perpétua a um jovem que exigiria que ela cumprisse pelo menos 51 anos antes mesmo de ser elegível para a liberdade condicional é muito severo, especialmente à luz dos extraordinários passos que Brown tomou para reconstruir sua vida", disse o governador.

A jovem reagiu em comunicado, agradecendo o "ato de misericórdia" e garantindo que tudo fará "para justificar a fé" depositada em si. A sua libertação está agendada para dia 7 de agosto.

A história de Cyntoia ganhou popularidade e recebeu apoio de várias personalidades que não concordaram com a sentença que lhe foi aplicada. Filha de uma mulher viciada em drogas e álcool, a jovem foi entregue a uma família adotiva da qual fugiu aos 16 anos. Nessa altura foi abordada por Johnny Allen que a forçou a prostituir-se e a sujeitava a constantes abusos sexuais.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório