Meteorologia

  • 17 JUNHO 2024
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 22º

Meta de Medina cumprida. Dívida pública sobe em 2022, mas peso no PIB cai

O peso da dívida pública no produto interno bruto (PIB) reduziu-se de 125,5% em 2021 para 114,7% em 2022 e e ficou abaixo do previsto pelo Governo (115%).

Meta de Medina cumprida. Dívida pública sobe em 2022, mas peso no PIB cai
Notícias ao Minuto

11:05 - 01/02/23 por Notícias ao Minuto

Economia Dívida pública

A dívida pública na ótica de Maastricht aumentou 3,3 mil milhões de euros para 272,6 mil milhões de euros em 2022, de acordo com os dados divulgados esta quarta-feira pelo Banco de Portugal (BdP). O peso da dívida pública no produto interno bruto (PIB) reduziu-se de 125,5% em 2021 para 114,7% em 2022.

O ministro das Finanças, Fernando Medina, tinha revelado que a sua expectativa era que a dívida pública se situasse em 115% do PIB, o que significa que esta meta foi cumprida

"Em comparação com o final de 2021, a dívida pública, na ótica de Maastricht, aumentou 3,3 mil milhões de euros. Esta subida resultou, em grande medida, das emissões líquidas positivas de certificados de aforro (7,2 mil milhões de euros), de obrigações e bilhetes do Tesouro (1,0 mil milhões de euros) e de outros depósitos junto do Tesouro (0,6 mil milhões de euros)", explica o BdP, em comunicado

Em sentido contrário, destacaram-se as amortizações de obrigações do Tesouro de rendimento variável (-3,5 mil milhões de euros) e a redução de certificados do Tesouro (-2,6 mil milhões de euros).

Os ativos em depósitos das administrações públicas reduziram-se 1,6 mil milhões de euros. Deduzida desses depósitos, a dívida pública aumentou 4,9 mil milhões de euros, para 258,7 mil milhões de euros.

No último mês do ano, em dezembro, a dívida pública, na ótica de Maastricht, diminuiu 0,7 mil milhões de euros, para 272,6 mil milhões de euros.

"Esta diminuição refletiu as amortizações líquidas de títulos de dívida (-2,8 mil milhões de euros). Em sentido contrário, verificou-se um aumento das responsabilidades em depósitos (1,8 mil milhões de euros), designadamente devido às emissões de certificados de aforro (1,9 mil milhões de euros)", nota o supervisor.

Leia Também: A dívida pública e outras 3 coisas que deve saber para começar o dia

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório