Meteorologia

  • 24 MAIO 2022
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 20º

Empresas europeias apreensivas com guerra comercial EUA/China

As empresas europeias na China estão apreensivas face à escalada nas disputas comerciais entre Pequim e Washington, e algumas consideram transferir parte das operações no país para o sudeste asiático, revelou hoje um grupo empresarial.

Empresas europeias apreensivas com guerra comercial EUA/China
Notícias ao Minuto

06:24 - 19/09/18 por Lusa

Economia Pesquisa

Segundo uma pesquisa da Câmara de Comércio da União Europeia na China, 54% das 200 empresas inquiridas consideram que o aumento das taxas alfandegárias vai causar "alterações significativas" na cadeia de produção global.

Os dados revelam que 7% das firmas já transferiu, ou está a considerar transferir, a sua produção para fora da China. A percentagem pode subir, sendo que algumas empresas estão ainda a avaliar o impacto da guerra comercial.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou na terça-feira taxas alfandegárias sobre um total de 200 mil milhões de dólares (171 mil milhões de euros) de importações oriundas da China. Pequim afirmou que vai retaliar, com "contra medidas sincronizadas".

Trata-se da segunda ronda de taxas, depois de, em junho passado, Trump ter avançado com 25% de impostos sobre 50 mil milhões de dólares (43 mil milhões de euros) de bens chineses. Pequim retaliou com impostos sobre o mesmo montante de bens importados dos EUA.

Em causa está a política da China para o setor tecnológico, nomeadamente o plano "Made in China 2025", que visa transformar o país numa potência tecnológica, com capacidades em setores de alto valor agregado, como inteligência artificial, energia renovável, robótica e carros elétricos.

Os EUA consideram que aquele plano, impulsionado pelo Estado chinês, viola os compromissos da China em abrir o seu mercado, nomeadamente ao forçar empresas estrangeiras a transferirem tecnologia e ao atribuir subsídios às empresas domésticas, enquanto as protege da competição externa.

Mas apesar de defenderem que "há melhores formas de lidar com os problemas" do que a estratégia seguida por Trump, as autoridades europeias partilham as mesmas queixas de Washington.

"Acreditamos que se a China se abrir mais, remover as barreiras no acesso ao mercado, e realizar mais reformas económicas, sem criar grupos estatais mais fortes, estas [disputas comerciais] podem ser evitadas", afirmou Carlo Diego D'Andrea, vice-presidente da Câmara de Comércio da UE na China.

Empresas multinacionais estão já a considerar deslocar capacidade produtiva para países como o Vietname e as Filipinas, visando evitar as taxas impostas sobre componentes importados dos EUA para montagem e processamento na China.

O relatório da câmara empresarial antecipa um abrandamento no crescimento económico e a perda de milhões de postos de trabalho, menos comércio e maiores custos de produção.

"Ambos [os países] estão sujeitos a perder empresas, como resultado", adverte.

Segundo o presidente do organismo, Mats Harborn, o centro das disputas comerciais entre Pequim e Washington reside no défice entre o nível de desenvolvimento da China e as reformas implementadas pelo país.

"As empresas europeias há muito que são asfixiadas por este défice de reformas e agora estão a sofrer danos colaterais da guerra comercial China/EUA", afirmou Harbon.

Notícias ao Minuto nomeado para os Prémios Marketeer

O Notícias ao Minuto é um dos nomeados da edição de 2022 dos Prémios Marketeer, na categoria de Digital Media. As votações decorrem até ao próximo dia 31 de maio.

Para nos ajudar a vencer, basta aceder ao site da iniciativa organizada pela revista Marketeer, clicando aqui, e proceder ao preenchimento do formulário, selecionando Notícias ao Minuto na categoria de Digital Media e formalizando depois a votação. Obrigada pela sua preferência!

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório