Meteorologia

  • 20 OUTUBRO 2019
Tempo
17º
MIN 12º MÁX 18º

Edição

Alexandra Lucas Coelho passa a ser editada pela Caminho do grupo Leya

Zeferino Coelho, o antigo editor de José Saramago, passa a ser editor da escritora.

Alexandra Lucas Coelho passa a ser editada pela Caminho do grupo Leya
Notícias ao Minuto

13:48 - 30/07/19 por Lusa

Cultura Escritora

O próximo livro da escritora e jornalista Alexandra Lucas Coelho, com título a anunciar, será publicado em outubro, na Caminho, editora do grupo Leya, a que a autora de "Deus-dará" passará a estar associada, anunciou o grupo editorial.

"Em outubro próximo será publicado, na Caminho [...], um novo livro da escritora Alexandra Lucas Coelho. Zeferino Coelho, que será o seu editor, passará a ser responsável pela sua obra - vários romances e livros de não ficção", lê-se no comunicado do grupo Leya, enviado à agência Lusa.

Zeferino Coelho, o antigo editor de José Saramago, citado pelo comunicado, manifestou "particular satisfação pela decisão da autora", em optar pela Caminho, considerando que "esta chegada contribui para um significativo enriquecimento do catálogo" da editora e do grupo.

Alexandra Lucas Coelho tem 11 livros publicados, quatro deles romances, cinco obras de viagens, crónica e reportagem, e dois títulos de literatura infanto-juvenil.

Pelo romance de estreia, "E a Noite Roda" (2012), uma história de amor passada em Jerusalém, entre Israel e a Palestina, recebeu o Grande Prémio da Associação Portuguesa de Escritores (APE).

"O Meu Amante de Domingo" (2014), uma sátira desenrolada num Portugal em crise, foi Livro do Ano da Time Out e publicado em França pela Seuil.

Seguiu-se "Deus-dará" (2016), finalista do Grande Prémio APE, romance em que a escritora quis dar voz a narrativas que a história portuguesa no Brasil acabou por anular -- as narrativas de quem resistiu, tanto dos povos indígenas como dos povos africanos.

No seu mais recente romance, "A Nossa Alegria Chegou", publicado em setembro do ano passado, Alexandra Lucas Coelho cria um lugar, com a sua fauna, a sua flora e o que sobra de uma língua perdida, cruzando deuses antigos, servos, pirâmides, também mortes em série, inteligência artificial e uma conceção vaga do tempo e do espaço.

Este ano, publicou "Orlando e o Tambor Mágico", segundo volume da coleção literária para os mais novos, inspirado numa viagem à Guiné-Bissau.

A série, escrita e ilustrada pela autora, surgiu em 2017, com "Orlando e o Rinoceronte", que recupera a história verídica, trágica e marítima, da viagem de um rinoceronte, no tempo dos Descobrimentos.

Na altura, a autora explicou à Lusa que a ideia era fazer uma série de livros que lidem "com a vida, com a família, com o passado, com questões de género", com "tanta coisa que pode ser contada a crianças".

"Orlando e o tambor mágico" e "Orlando e o rinoceronte" foram publicados pela Alfaguara, enquanto o quarto romance de Lucas Coelho surgiu na Companhia das Letras, duas chancelas do grupo Penguin Random House. Este grupo acolhia a escritora desde 2017, até então autora da Tinta-da-China.

A Companhia das Letras reeditou algumas obras de Alexandra Lucas Coelho, como os dois primeiros romances e "Viva México", finalista do Prémio Portugal Telecom (atual Prémio Oceanos), que surgiu em 2010, na coleção Literatura de Viagens, da Tinta-da-China.

Nesta coleção, foram igualmente editados "Vai, Brasil" (2013), "Tahrir!" (2011), diário pessoal dos dias de tumulto e mudança de poder, no Egito, e "Caderno Afegão" (2009), retrato de um país marcado pela guerra e pelo fundamentalismo.

O primeiro livro de Alexandra Lucas Coelho, "Oriente Próximo", surgiu na Relógio D'Água, em 2007, e resultou da sua experiência como correspondente do Público em Israel e nos territórios ocupados da Palestina.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório