Meteorologia

  • 21 OUTUBRO 2018
Tempo
16º
MIN 16º MÁX 17º

Edição

Encontro de escritores apresenta ao Brasil vozes negras de África

Um encontro internacional de escritores africanos reuniu no último domingo, na cidade de São Paulo, vozes negras da literatura produzida em África, pouco conhecidas no Brasil.

Encontro de escritores apresenta ao Brasil vozes negras de África
Notícias ao Minuto

06:32 - 06/08/18 por Lusa

Cultura Literatura

Durante um dia inteiro de programação dedicada a África foram realizados painéis temáticos que abordaram assuntos como os rituais e o teatro, pintura e literatura, filosofia e história oral.

Isidro Sanene, escritor e artista plástico nascido em Angola, disse à Lusa que a novidade deste encontro consistiu em mostrar a literatura realizada por negros em África.

"Este evento é um marco para a sociedade brasileira porque reforça o protagonismo dos autores negros africanos. Também pudemos contribuir com a desconstrução de um olhar dos brasileiros, que muitas vezes pensam que a África é um continente, algo uniforme, quando na verdade tem culturas totalmente diferentes de um lugar para outro", disse.

O autor explicou que, durante um painel sobre literatura periférica, apresentou sua vivência e tentou exemplificar um olhar recorrente sobre autores da África.

"Se fizermos uma pesquisa sobre os escritores africanos conhecidos no Brasil vemos que a maioria deles são brancos como, por exemplo, o Mia Couto, o Pepetela e o [José Eduardo] Agualusa. Estes autores são muito bons, mas muitas vezes como brancos ele apresentam uma África vista pelo binóculo, diferente da África que os autores negros veem", afirmou.

"Assim, os autores da literatura periférica africana vêm agora para quebrar barreiras (...) Como angolano penso que posso romper barreiras e trazer dentro da literatura lusófona as línguas nacionais de Angola como o umbundo. Fazer uma mescla entre o português e a língua nacional africana para reforçar minha identidade", acrescentou.

Já a poetisa e artista plástica angolana Amélia da Lomba avaliou que o evento, independentemente de pregar a valorização dos escritores negros da África, representou uma oportunidade para autores e o público debaterem conceitos, princípios, éticas e fontes de inspiração.

"Eu não vim a um encontro da angolanidade ou da africanidade neste evento realizado aqui no Brasil. Eu não vim ao encontro de uma cor, de uma etnia, mas vim ao encontro da poesia, da letra e da literatura", afirmou.

"Falei numa mesa [de debates] sobre a literatura oral e filosofia africana. Foi muito agradável partilhar minhas experiências sobre estes temas. Tive uma boa receção", acrescentou.

Da programação, destaque para a participação dos escritores nigerianos Sunday Nkeechi e Otunba Adekunle Aderonmu, do cabo-verdiano Moustafa Assem, dos angolanos Amélia da Lomba, Marta Santos, Isidro Sanene, do moçambicano Miller A. Matine e da camaronesa Alexandrine Biyouha.

Além das apresentações de painéis temáticos pelos escritores convidados também foram realizados lançamentos de livros inéditos em português, declamação de poesia, exposição, teatro, dança e música.

O Encontro Internacional com Escritores Africanos foi idealizado pela TM Editora, em parceria com o Centro Cultural Olido, a Prefeitura de São Paulo, o Centro Cultural Africano e a Associação Palanca Negra.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório