Meteorologia

  • 28 JUNHO 2017
Tempo
24º
MIN 21º MÁX 25º

Edição

PRS nega acordo sobre Augusto Olivais para primeiro-ministro

O Partido da Renovação Social (PRS), segunda maior força política da Guiné-Bissau, negou hoje ter chegado a acordo para indicar Augusto Olivais para primeiro-ministro, anunciou em comunicado.

PRS nega acordo sobre Augusto Olivais para primeiro-ministro
Notícias ao Minuto

15:08 - 18/10/16 por Lusa

Mundo Guiné-Bissau

No documento, o PRS esclarece que em "nenhum momento" concordou com as demais forças vivas da Guiné-Bissau, durante a mediação promovida pelo Presidente da Guiné-Conacri, Alpha Condé, para a escolha de Augusto Olivais para primeiro-ministro.

O chefe do Estado da Guiné-Conacri, mandatado pela Comunidade Económica dos Estados da Africa Ocidental (CEDEAO), juntou os partidos políticos e a sociedade civil guineense, na semana passada, em busca de consensos sobre o próximo líder do governo e a composição da sua equipa.

Em conferência de imprensa, na segunda-feira, o líder do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), Domingos Simões Pereira, indicou ter sido alcançado um acordo em Conacri para a indigitação de Olivais - dirigente do PAIGC - para chefe do novo Governo.

"Esclareça-se que durante as consultas bilaterais promovidas pelo mediador, em nenhum momento o PRS terá sido confrontado com o nome de Augusto Olivais como tendo sido escolhido pelas partes e muito menos de que este nome terá reunido algum consenso", lê-se no comunicado.

Para o PRS "é no mínimo estranha" a forma como o PAIGC tem vindo a veicular o nome de Augusto Olivais, uma vez que o mesmo partido terá apresentado vários nomes para liderar o Governo, sem que os mesmos tenham merecido o consenso, diz ainda o comunicado.

No entender dos "renovadores" o acordo de Conacri têm sido "objeto de deturpações e interpretações abusivas" pelo que o partido teve a necessidade de prestar um esclarecimento público por ser parte do mesmo.

O Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, apresentou ao mediador da CEDEAO, três nomes (Umaro Cissoko Embalo, João Aladje Fadiá e Augusto Olivais) para do grupo ser escolhida a figura para liderar o novo Governo.

José Mário Vaz disse, na segunda-feira, que brevemente irá anunciar o nome do primeiro-ministro e garantiu terá que será uma figura da sua confiança.

Campo obrigatório