Meteorologia

  • 16 DEZEMBRO 2017
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 14º

Edição

"O estado de graça deste Governo acabou"

Joaquim Jorge aborda os vários casos que têm afetado o Governo recentemente e sugere que António Costa deve "procurar resolver os problemas que se deparam ao governo", ao invés de estar a percorrer o país para ajudar os candidatos do PS às autárquicas.

"O estado de graça deste Governo acabou"
Notícias ao Minuto

13:00 - 12/09/17 por Notícias Ao Minuto

Política Joaquim Jorge

Nos últimos meses vários casos têm abalado o Executivo liderado por António Costa. O protesto dos enfermeiros desta semana é mais uma pedra no sapato do Governo. Num artigo de opinião enviado ao Notícias Ao Minuto, Joaquim Jorge concorda com as reivindicações dos enfermeiros e entende que é um erro "menorizar o que se está a passar" com esta classe.

"Há despedimento de enfermeiros mas há falta de enfermeiros!", destaca o fundador do Clube dos Pensadores. Joaquim Jorge considera que o Governo tem capacidade para contratar os enfermeiros necessários.

"Contratar três mil enfermeiros tem um custo de 64 milhões de euros. Este custo comparado com alterações do IRS (200 milhões) e descongelamento de escalões da Função Pública (200 milhões), é uma verba menor e com reduzido impacto no Orçamento do Estado".

Joaquim Jorge defende ainda que "não é de bom-tom" acusar Ana Rita Cavaco, a Bastonária da Ordem dos Enfermeiros, de ter instrumentalizado esta greve por ser do PSD e ser membro do Conselho Nacional. "Ser-se Bastonário da Ordem dos Enfermeiros não permite convocar greves. Quem convoca greves são os sindicatos".

O protesto dos enfermeiros junta-se ao descontentamento dos professores e dos juízes, estes com greve marcada para o próximo mês. Joaquim Jorge afirma que a isto somam-se as "réplicas" de Pedrógão Grande, que "nunca mais têm fim", e para agravar ainda mais o cenário as recentes declarações de Azeredo Lopes, o ministro da Defesa, que deixou no ar a hipótese de não ter havido furto em Tancos.

"O estado de graça deste governo acabou", conclui Joaquim Jorge, que sugere que está na altura de o primeiro-ministro "procurar resolver os problemas", em vez de "andar a correr o país para ajudar os candidatos do PS" às autárquicas.

"O dever do Governo de António Costa é separar o essencial do acessório. Onde está o poder negocial de António Costa? Por que razão só cede ao BE e PCP?", questiona Joaquim Jorge.

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório