Sousa Tavares chama "palhaço" a Cavaco e diz que "pior é difícil"

Por ocasião do lançamento do seu mais recente livro intitulado ‘Madrugada Suja’, Miguel Sousa Tavares dá uma entrevista ao Jornal de Negócios, publicada esta sexta-feira, na qual não poupa nada nem ninguém. Ao Presidente da República, Cavaco Silva, chama “palhaço”, e ao primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, “grau zero da política”.

© DR
Política Entrevista

“Já não temos idade para brincar aos generais”, começa por sublinhar Miguel Sousa Tavares numa extensa entrevista publicada hoje no Jornal de Negócios. E prossegue: “O pior que nos pode acontecer é um Beppe Grillo, um Sidónio Pais. Mas não por via militar”.

PUB

Nesta senda, questionado sobre se um dia nos pode “calhar um ditador populista, um palhaço”, numa alusão a declarações de Pacheco Pereira, Sousa Tavares responde: “Nós já temos um palhaço. Chama-se Cavaco Silva. Muito pior do que isso, é difícil”.

O comentador político e escritor, que lança agora a sua obra mais recente, ‘Madrugada Suja’, faz notar, no mesmo tom cáustico, que “estamos hoje reduzidos aos Passos Coelhos e Antónios Josés Seguros. Que são o grau zero da política”.

No entender de Sousa Tavares, “os três mal endémicos de Portugal são a dependência do Estado, o poder das corporações e a inveja”, lembrando, a este propósito, uma tese do seu pai a qual indicava “que os países não progridem sem elite e que a elite portuguesa morreu toda em Alcácer-Quibir”.

O escritor define ainda os portugueses como ora sendo “escravos”, ora sendo “reis”. “São capazes do melhor e do pior”, concretiza Sousa Tavares.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser