Meteorologia

  • 19 AGOSTO 2022
Tempo
35º
MIN 21º MÁX 37º

"Não vamos ser apenas a voz da oposição. Vamos ser a voz do futuro"

O social-democrata foi eleito com 73% dos votos.

"Não vamos ser apenas a voz da oposição. Vamos ser a voz do futuro"

Luís Montenegro, líder eleito do Partido Social Democrata (PSD), considerou, este sábado, que a sua vitória nestas eleições diretas é uma vitória para todo o país.

"Hoje, no essencial, não fomos nós que ganhámos. Não foi tão pouco o PSD que ganhou. Hoje, no essencial, quem ganhou foi Portugal", rematou, acrescentado que com a sua vitória vai trazer uma "alternativa ao socialismo" que tem governado e "desgovernando" Portugal.

"Nós sabemos que o caminho vai ser difícil, que temos muitos obstáculos para ultrapassar. Mas o sinal que sai daqui é um sinal de vitória", disse, acrescentando que a alternativa "vitoriosa" de que fala não será imediata.

"O dia de hoje vai ficar marcado como sendo o princípio do fim da hegemonia do Partido Socialista em Portugal", sublinhou.

O discurso do presidente eleito ficou marcado pelas críticas à liderança socialista. "A marca de água de António Costa e dos seus delfins é, infelizmente, o empobrecimento de Portugal", criticou, acrescentando "de forma direta e frontal aos portugueses": "Vamos ser uma oposição firme, exigente e vigilante [...]. Uma oposição que seja a voz dos que esperam à porta dos hospitais", mas também dos "jovens que estudam".

"Vamos ser a voz daqueles que trabalham, ou daqueles que já não estando na vida ativa, têm reformas e pensões baixas", mas também daqueles que recebem os "rendimentos mais baixos".

"Não vamos ser apenas  a voz da oposição. Vamos a ser a voz do futuro". Montenegro prometeu também que, além de apontar as "omissões e fracassos" da governação, serão também apresentadas alternativas.

"Nós vamos construir um projeto alternativo para podermos governar Portugal, retirar Portugal da cauda da Europa, e colocá-lo na linha da frente", notou.

Luís Montenegro elogiou ainda o opositor, Jorge Moreira da Silva, dizendo que este tinha não só capacidade para servir o país, como também o PSD. "Nós não vamos prescindir do seu talento, nem daqueles que o apoiaram nestas eleições", garantiu.

[Notícia atualizada às 22h54]

Leia Também: Montenegro, de tribuno nos tempos da 'troika' a 19.º presidente do PSD

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório