Meteorologia

  • 20 MARçO 2019
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 12º

Edição

Com a "confiança renovada" é agora tempo de "prosseguir o trabalho"

Foi através do Twitter que o primeiro-ministro comentou o chumbo à moção de censura, hoje debatida e votada na Assembleia da República.

Com a "confiança renovada" é agora tempo de "prosseguir o trabalho"
Notícias ao Minuto

21:09 - 20/02/19 por Ana Lemos 

Política António Costa

Saiu do hemiciclo, após mais de três horas de debate, sem proferir quaisquer declarações aos jornalistas. E só ao início da noite, António Costa reagiu ao chumbo da segunda moção de censura apresentada pelo CDS ao Governo.

E fê-lo através da sua página na rede social Twitter, vincando que a "confiança" ao seu Executivo foi "renovada na Assembleia da República".

"Estamos determinados a prosseguir o trabalho do Governo" e "hoje podemos já avaliar os resultados positivos da mudança de política que iniciámos há três anos", escreveu no tweet publicado há cerca de meia hora.

E que mudança política foi essa? Num outro tweet, o primeiro-ministro sustenta que "em três anos foram criados 348 mil postos de trabalho, temos um saldo migratório positivo, reduzimos a pobreza e as desigualdades, temos menos abandono escolar precoce e mais alunos no ensino superior, com uma redução da dívida pública e os défices mais baixos da nossa Democracia".

Sem surpresas, PS, Bloco de Esquerda, PCP, Os Verdes e PAN votaram esta quarta-feira contra a segunda moção de censura apresentada pelo CDS contra o Executivo de Costa. À Direita, também sem qualquer surpresa, o PSD votou favoravelmente a iniciativa centrista.

No total, 103 deputados votaram a favor, face a 115 contra. Não houve qualquer abstenção. De referir ainda que o deputado não inscrito Paulo Trigo Pereira, eleito nas listas do PS em 2015, também votou contra a moção de censura.

O anúncio da rejeição do texto do CDS-PP foi aplaudido de pé por toda a bancada socialista.

Esta foi a 8.ª moção apresentada pelo CDS, partido recordista na censura aos governos, e a 30.ª a ser discutida na Assembleia da República em 45 anos de democracia, desde o 25 de Abril de 1974. 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório