Meteorologia

  • 25 JUNHO 2024
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 24º

Sapadores de Lisboa partem para ajudar na Turquia. Moedas "orgulhoso"

Quinze elementos seguem para o país e o presidente da Câmara Municipal de Lisboa fez uma publicação na rede social Twitter: "Orgulho e espírito de missão", salientou.

Sapadores de Lisboa partem para ajudar na Turquia. Moedas "orgulhoso"
Notícias ao Minuto

08:03 - 08/02/23 por Notícias ao Minuto com Lusa

País Carlos Moedas

É com "orgulho e espírito de missão" que o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, vê a partida de elementos do Regimento de Sapadores Bombeiros da cidade para uma missão de ajuda na Turquia, depois dos violentos sismos que assolaram o país, assim como a Síria. 

"É com orgulho e espírito de missão que vejo o Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa integrar a equipa portuguesa que parte para a Turquia para apoiar o país nas operações de salvamento", escreveu Moedas na rede social Twitter. 

Recorde-se que, como informou o Regimento de Sapadores Bombeiros - Lisboa numa publicação no Facebook, a corporação "irá integrar a equipa portuguesa que parte [dia], 8 de fevereiro, para a Turquia para apoiar nos esforços de busca e salvamento na sequência do trágico sismo que atingiu o país".

No total, é ainda destacado, são 15 os elementos da corporação que "reforçam no terreno as equipas de socorro que trabalham nesta complexa missão"

De recordar que o número de mortos nos fortes sismos que atingiram na segunda-feira o sudeste da Turquia e a vizinha Síria aumentou para mais de 8 mil, de acordo com o mais recente balanço provisório divulgado pelas autoridades. 

A Autoridade de Gestão de Desastres e Emergências turca indicou que cerca de 60.200 membros das equipas de busca e salvamento, incluindo especialistas estrangeiros e de organizações não-governamentais, estão a trabalhar em missões de buscas e salvamento e remoção de escombros, no âmbito de um dispositivo que conta com mais de 100 aviões e helicópteros destacados.

O sismo causou também o desabamento de um total de 5.775 edifícios, segundo as autoridades.

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, já na segunda-feira tinha declarado três meses de estado de emergência nas dez províncias afetadas, sublinhando que estes terramotos representam o maior desastre natural sofrido no país desde o sismo de 1939 em Erzincan, no leste da Turquia, que fez mais de 32.000 mortos.

Leia Também: AO MINUTO: Mortes ultrapassam as 7.800; Erdogan visitará região afetada

Recomendados para si

;
Campo obrigatório