Meteorologia

  • 06 DEZEMBRO 2021
Tempo
13º
MIN 9º MÁX 18º

Edição

Suspenso segurança que agrediu cliente de discoteca em Albufeira

Segurança está proibido de exercer essas funções até conclusão do inquérito criminal e do processo administrativo entretanto instaurados, informa a PSP.

Suspenso segurança que agrediu cliente de discoteca em Albufeira

O segurança que agrediu um cliente num estabelecimento de diversão noturna em Albufeira, no Algarve, foi suspenso de funções, informa esta quinta-feira um comunicado da Polícia de Segurança Pública (PSP).

A PSP faz saber que, no dia 12, por decisão do Sr. Secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, foram aplicadas as seguintes medidas ao segurança privado agressor: A "suspensão do título profissional de segurança porteiro (genericamente, de segurança privado em espaços de diversão noturna), ficando proibido de exercer essas funções até conclusão do inquérito criminal e do processo administrativo entretanto instaurados; assim como a "suspensão parcial da continuação do exercício da atividade de vigilante (genericamente, de segurança de instalações, para a qual o segurança privado agressor também estava habilitado), sem permissão de o fazer em locais de acesso público ou que incluam o contacto com o público", pode ler-se na nota. 

Segundo a PSP, o visado pela decisão administrativa, que produz efeitos imediatos, foi esta quinta-feira notificado da mesma.

Após a visualização das imagens da agressão, no exercício das suas competências de regulação e fiscalização do setor da segurança privada, a PSP solicitou informação sobre a ocorrência à força de segurança territorialmente competente. Na sequência disso, "o Departamento de Segurança Privada da PSP desenvolveu uma operação de fiscalização administrativa extraordinária às empresas de segurança privada a operar no estabelecimento onde ocorreram as agressões".

Dessa fiscalização extraordinária, acrescenta a autoridade, foi recolhida e analisada toda a informação relevante para a ocorrência em questão, nomeadamente a necessária para determinar as relações jurídicas existentes entre a empresa de segurança privada e o estabelecimento de diversão noturna, bem como a identidade do agressor".

Na terça-feira, "após  a análise de toda a informação recolhida e nos termos da legislação que regula o setor da segurança privada, a PSP desencadeou os procedimentos tendentes a propor a suspensão da atividade do segurança privada que cometeu as agressões", o que culminou na aplicação das referidas medidas.

A PSP termina a nota com um apelo para que todas as empresas de segurança privada, bem como aos seus funcionários que exercem esta atividade, "cumpram o quadro legal aplicável, em estrito respeito pelos direitos, liberdades e garantias dos nossos concidadãos". 

As agressões, recorde-se, aconteceram no início do mês numa discoteca de Albufeira, mas só agora o caso veio a público com a divulgação das imagens. O jovem agredido agradeceu o apoio através das redes sociais e lamentou o "infeliz acontecimento" pelo qual passou. André Barbosa diz esperar que a agressão de que foi vítima "sirva de lição para a falta de profissionalismo" e que "algo tão ridículo e monstruoso não se volte a repetir". Pede  justiça", tanto em relação às agressões cometidas pelo segurança como em relação às pessoas que compactuaram "com o que se estava a passar", e critica a atuação da GNR

Leia Também: "Ridículo e monstruoso". Homem agredido por segurança pede justiça

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;
Campo obrigatório