Meteorologia

  • 24 MAIO 2024
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 25º

Polónia investiga como homicídio morte de trabalhador humanitário em Gaza

O Governo da Polónia classificou hoje a morte de um trabalhador humanitário polaco num ataque aéreo israelita na Faixa de Gaza como homicídio e exigiu o apoio de Israel a uma investigação de Varsóvia sobre o caso.

Polónia investiga como homicídio morte de trabalhador humanitário em Gaza
Notícias ao Minuto

17:36 - 12/04/24 por Lusa

Mundo Israel

O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros polaco, Wladyslaw Teofil Bartoszewski, disse aos deputados no parlamento que a morte, no dia 01 de abril, de Damian Soból, 35 anos, e de seis outros trabalhadores da instituição World Central Kitchen na Faixa de Gaza foi "chocante e perturbante".

A Polónia espera a "cooperação total" de Israel na investigação aberta pelos procuradores polacos na cidade natal de Soból, Przemysl, no sudeste da Polónia, disse Bartoszewski.

Os procuradores "classificaram [o caso] como homicídio", afirmou o governante.

Israel conduziu uma investigação rápida e assumiu a responsabilidade pelas mortes dos funcionários da organização humanitária, mas disse que o ataque foi um erro trágico, tendo partilhado as conclusões com os países que perderam cidadãos na ação militar.

As forças israelitas demitiram dois oficiais e repreenderam outros três, alegando que violaram as regras de combate do Exército.

Bartoszewski disse que as demissões e medidas disciplinares foram "inadequadas" e reclamou que o caso fosse julgado por um tribunal independente em Israel.

Durante um debate no parlamento polaco, muitos deputados exigiram que as mortes fossem consideradas um crime de guerra.

O ministro polaco disse que Varsóvia está a trabalhar com outros países cujos cidadãos foram mortos no bombardeamento - Austrália, Grã-Bretanha, Canadá e Estados Unidos - para pressionar em conjunto para uma investigação detalhada sobre a forma como os carros em que seguiam as vítimas, e que estavam identificados como viaturas humanitárias, se tornaram alvos de repetidos bombardeamentos por parte dos israelitas.

Bartoszewski realçou que todas as regras internacionais de defesa foram violadas neste ataque e que a Polónia exige uma indemnização para a família de Soból.

O bombardeamento surgiu na sequência da guerra na Faixa de Gaza, iniciada há mais de seis meses com um ataque sem precedentes do grupo islamita palestiniano Hamas em solo israelita, onde matou quase 1.200 pessoas e levou outras 240 como reféns.

Desde então, Israel encetou uma retaliação em grande escala na Faixa de Gaza, provocando a morte de mais de 33 mil pessoas, na maioria civis, e mergulhando o enclave numa grave crise humanitária.

Leia Também: Varsóvia chama embaixador israelita após morte de trabalhador humanitário

Recomendados para si

;
Campo obrigatório