Meteorologia

  • 21 ABRIL 2024
Tempo
19º
MIN 15º MÁX 24º

Varsóvia chama embaixador israelita após morte de trabalhador humanitário

O Ministério dos Negócios Estrangeiros polaco anunciou hoje que "convidou" o embaixador israelita na Polónia para discutir a "responsabilidade moral, política e financeira" do ataque israelita que matou sete trabalhadores humanitários em Gaza, incluindo um polaco.

Varsóvia chama embaixador israelita após morte de trabalhador humanitário
Notícias ao Minuto

17:01 - 03/04/24 por Lusa

Mundo Israel/Palestina

"Convidei o embaixador (...). Quero falar com ele sobre a nova situação nas relações polaco-israelitas e sobre a responsabilidade moral, política e financeira pelo incidente que ocorreu recentemente em Gaza", declarou o vice-ministro Andrzej Szajna, citado pela agência polaca PAP.

Sete trabalhadores da organização humanitária World Central Kitchen (WCK) foram mortos na noite de segunda-feira na Faixa de Gaza, num ataque que o exército israelita já classificou como "um erro grave".

Entre as vítimas encontravam-se cidadãos de nacionalidade britânica, polaca e australiana, além de um palestiniano e um americano-canadiano.

Um 'drone' (aparelho não tripulado) israelita disparou três tiros na noite de segunda-feira contra uma caravana da WCK na cidade de Deir al-Balah, no centro do enclave palestiniano, apesar de os carros estarem marcados com o logótipo da organização, segundo um relatório exclusivo publicado na terça-feira no diário israelita Haaretz.

O relatório preliminar do exército israelita, publicado hoje, conclui que o ataque ao comboio humanitário da WCK não tinha "intenção de prejudicar os trabalhadores humanitários" e deveu-se a um "erro de identificação".

O chefe do Estado-Maior do exército israelita, Herzi Halevi, insistiu que uma "entidade independente investigará o incidente minuciosamente", uma investigação mais completa que deverá estar concluída nos próximos dias, e prometeu que o exército "aprenderá com as suas conclusões, implementará medidas imediatas e partilhará essas conclusões com a WCK e outras organizações internacionais relevantes".

Na sequência do ataque, a organização suspendeu as atividades no enclave palestiniano, que enfrenta um cenário de fome, devido à guerra entre Israel e o movimento islamita palestiniano Hamas, em curso há quase seis meses.

A instituição, fundada em 2010 pelo 'chef' espanhol (com cidadania norte-americana) José Andrés, é uma das duas organizações não-governamentais (ONG) ativamente envolvidas na entrega de ajuda a Gaza por via marítima a partir de Chipre.

O ataque contra os trabalhadores humanitários foi condenado, entre outras organizações e países, pela União Europeia e pelos Estados Unidos da América, que exigiram que o incidente seja investigado.

Leia Também: Diretor da OMS "horrorizado" com morte de sete trabalhadores humanitários

Recomendados para si

;
Campo obrigatório